Sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

Mato Grosso – Sou “de" ou Sou “do"?

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

dúvida do leitor

O leitor Luiz Otávio Bertozo Reis envia a seguinte mensagem ao Gramatigalhas:

"Diletos redatores. Há tempos verifico pequeno mas imperdoável erro nas referências ao meu querido Estado de Mato Grosso (sou paulista de nascimento, mas mato-grossense por adoção – e de coração). Hoje, mais uma vez (Migalhas 4.053 – 15/2/17 – clique aqui), na migalha referente à prisão do ex-presidente da OAB/MT, consta 'do' MT e 'no' MT, sendo que o correto é 'de' MT e 'em' MT.

Não é a primeira vez – nem a segunda, nem a terceira. Pensei tratar-se de desatenção de algum redator (que o amado Diretor o livre de muitas chibatadas), mas os erros vêm-se repetindo. Caso preciso, consultem o dr. José Maria da Costa.

Por fim, cito meu estimado amigo, brilhante advogado e poeta Gentil Bussik, que diz: 'Quem diz que é do Mato Grosso, não é de Mato Grosso'."

envie sua dúvida

1) Um leitor indaga, em suma, se o correto é usar ou não o artigo definido o antes de Mato Grosso. Em outras palavras, na prática, quer confirmar se o correto é dizer "Sou de Mato Grosso" ou "Sou do Mato Grosso".

2) Ora, em termos gerais, pode-se dizer que o artigo definido "se junta ao substantivo para indicar que se trata de um ser claramente determinado entre outros da mesma espécie", como em "O Governador foi muito aplaudido durante a convenção"; já o artigo indefinido "se emprega para mencionar um ser qualquer entre outros da mesma espécie", como em "Um Governador foi muito aplaudido durante a convenção".

3) O emprego do artigo definido antes de nomes próprios de pessoas denota intimidade, enquanto sua ausência indica formalidade: a) "Conversei com o José" (intimidade); b) "Conversei com José" (formalidade).

4) No que tange aos estados brasileiros, embora sua presença ou ausência seja uma questão de uso, o certo é que os gramáticos são unânimes quanto à questão aqui trazida pelo leitor.

5) Desse modo, Celso Cunha lembra que "a maioria [dos estados] leva artigo", mas Mato Grosso está entre aqueles com os quais não se usa, juntamente com Alagoas, Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Pernambuco, Santa Catarina e Sergipe.

6) Rocha Lima, por seu lado, de modo prático, aponta o modo como se deve dizer: "ao Pará, a Pernambuco, a Mato Grosso, ao Paraná".

7) E Evanildo Bechara resume a questão, incluindo a solução para a dúvida aqui analisada: "dispensam artigo os nomes dos seguintes estados: Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco e Sergipe".

8) Diga-se, portanto, "Sou de Mato Grosso" e "Estive em Mato Grosso", e não "Sou do Mato Grosso", ou "Estive no Mato Grosso".

9) Tem integral procedência, desse modo, como não é difícil perceber, a citação do advogado e poeta Gentil Bussik, trazida pelo leitor: "Quem diz que é do Mato Grosso, não é de Mato Grosso".

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.