Sábado, 25 de outubro de 2014 Cadastre-se

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

Sem número ou Cem número...?

quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

dúvida do leitor

O leitor Eduardo Landi De Vitto, do escritório escritório Nóbrega Direito Empresarial, enviou-nos a seguinte mensagem:

"Boa tarde, meus caros amigos do Migalhas. No informativo de hoje (Migalhas 1.529 - 1/11/06) me deparei com a seguinte nota que tratava do merecido descanso de vocês:

'Algumas emissoras de televisão, durante a madrugada, informam que estão fora do ar fazendo manutenção em seus sistemas. Para não cair no ridículo de usar esse estratagema que não cola em lugar algum, Migalhas informa a verdade : que não irá circular na sexta-feira, concedendo aos seus cem número de funcionários descanso compensatório às horas extras despendidas na catação das notas jurídico-criminais da campanha eleitoral. Voltaremos já na segunda, 6, sob os auspícios da Lua Cheia.'

Contudo, me trouxe certa estranheza a expressão acima destacada. Será que a forma correta de escrever não seria 'aos seus sem número de funcionários'? Agradeço a resposta do Dr. José Maria da Costa. Obrigado pela atenção e parabéns pelo trabalho."

envie sua dúvida

1) Sem é uma preposição, que traz para a expressão por ela iniciada a idéia de ausência, falta ou privação. Ex.: Sem armas e munição, o exército foi facilmente vencido”.

2) Cem, por outro lado, é numeral, que traz em si a indicação exata de uma centena, de dez vezes dez. Ex.: Cem vidas eu tivesse, cem vidas te daria”.

3) Quando se diz uma frase como "Trouxe consigo um sem número de assessores", o que se quer dizer não é a representação exata de uma centena de assessores, mas de um número indefinido, de falta de definição do real número de assessores, embora muitos.

4) Sem maiores dificuldades, assim, para o caso da consulta, é fácil estabelecer o que é correto e o que é errado:

a) "Concedeu privilégios a um sem número de funcionários" (correto);

b) "Concedeu privilégios a um cem número de funcionários" (errado).

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas.