Segunda-feira, 21 de agosto de 2017

ISSN 1983-392X

Palestra - Ministro Barroso

de 14/5/2017 a 20/5/2017

"A premissa do ministro é exageradamente otimista; isso aqui não tem conserto porque o mau costume da desonestidade está no sangue, nas entranhas, dessa raça de terceira categoria: rouba-se, do lixeiro ao presidente da República e isso é tido como normal; o resto é somente retórica e academia (Migalhas 4.111 - 15/5/17- "Uma agenda para o futuro" - clique aqui). A propósito, veja-se uma reportagem da Globo sobre a Dinamarca e compare-se o país escandinavo com esse acampamento escroque que se entenderá como isso aqui não tem conserto."

Cláudio Pio de Sales Chaves - 15/5/2017

"Claudio Chaves, o momento é desesperador (Migalhas 4.111 - 15/5/17- "Uma agenda para o futuro" - clique aqui). O ex-professor de Direito Constitucional, Luís Roberto Barroso, poderia contribuir para a derrubada de mitos, mas não é o que faz. Pelo contrário, quando não dá uma de Poliana a dizer que muito do inadmissível não é mais admitido pela sociedade brasileira, sarcasticamente atribui como mazela a mania dos zé povinhos de mendigarem algum farelo da mesa dos mais afortunados. Nenhuma palavra, nenhum gesto contra as leis que privilegiam MP e magistrados nem contra a ultrapassagem dos limites impostos por ditas leis já de si tão generosas e não isonômicas. Essa acomodação, ao lado dos poderosos e dos desmandos, reforça a ideia de que a maioria que chega ao Supremo Tapetão Federal não se dedica à causa pública, mas somente se empenha na perpetuação de privilégios e no jeito de ficar bem durante o exercício do cargo visando garantir oportunidades para os seus e para si logo que deixar a toga. Então, nunca esteve mais atual: Farinha pouca, meu pirão primeiro."

Cidrac Pereira de Moraes - 16/5/2017

Comente