Quinta-feira, 25 de maio de 2017

ISSN 1983-392X

Problemas fiscais

de 14/5/2017 a 20/5/2017

"Há tempos, tenho vontade de expor um pensamento pessoal que vem da percepção dos acontecimentos que vejo ao longo de vários anos. Trata-se de olhar objetivamente o que se faz com o dinheiro público, fruto da arrecadação escorchante dos impostos no Brasil. Um exemplo explícito, mas que passa despercebido, assisti ontem na mídia: os prefeitos municipais, que mais uma vez estão em Brasília com o chapéu na mão, pleiteiam do governo Federal mais uma moratória, desta vez de 20 anos ou mais, com perdão de multas e redução de juros das dívidas que têm com a previdência social. Note-se: são valores descontados do funcionalismo e não repassado à União, verdadeira apropriação indébita. Alegam, como justificativa que, se não tiverem esses benefícios, não terão como pagar a folha dos funcionários. Conclusão inevitável: os prefeitos contratam multidões de funcionários desnecessários, que não têm o que fazer, pagam-lhes salários muitas vezes maiores que os pagos na iniciativa privada e esgotam os recursos arrecadados no município. Aí, a solução (simples) é pedir que a União lhes repasse recursos extras, indevidos e inexistentes na esfera Federal. A consequência, mais uma vez, é o aumento do déficit primário do orçamento Federal e o agravamento da situação financeira, aumento de juros, quiçá aumento de impostos, inflação, desemprego, etc. etc. O mesmo, aliás, ocorre na esfera dos governos estaduais, sem tirar nem por. Alguém, nessa imprensa inútil, ignorante e corrupta levanta esse problema? Não!"

José Fernandes da Silva - 16/5/2017

"Mal acabei de escrever e enviar meus comentários a respeito de problemas fiscais no Brasil, volto-me para ver as manchetes no site de VEJA e eis o que está lá, confirmando totalmente o que acabei de expor: 'Por apoio à reforma, Temer parcela débitos de cidades e Estados. Cerca de 4.000 prefeituras devem cerca de 75 bilhões de reais ao INSS'. Esqueci de completar: essa 'assistência financeira' que o governo Federal concede é a contrapartida que os aposentados, atuais e futuros, terão que pagar novamente! Haja paciência com tamanhos descalabros!"

José Fernandes da Silva - 16/5/2017

Comente