Segunda-feira, 21 de agosto de 2017

ISSN 1983-392X

Insignificância - Latas de azeite

de 14/5/2017 a 20/5/2017

"É por isso e outras jabuticabas dessas que o Brasil não anda (Migalhas 4.113 - 17/5/17- "Insignificância – Latas de azeite" - clique aqui). Ter o Supremo para resolver um caso desse que qualquer juiz de primeira instância deveria ter feito e dado fim ao processo, é o fim da Justiça nesse país. Casos muito mais significantes ficam parados por causa disso."

Cristiano Ferraz - 17/5/2017

"Assim como o TST está revogando o art. 482 da CLT em suas decisões sem pé nem cabeça, principalmente a alínea 'a', agora o STF está institucionalizando o furto (Migalhas 4.113 - 17/5/17- "Insignificância – Latas de azeite" - clique aqui). Onde vamos parar. Nesse caso, para os pequenos comerciantes que um chocolate furtado é prejuízo, vão ter que apelar à Deus. Triste onde estamos chegando com os nossos tribunais (vou deixar a letra minúscula)."

Rogerio Lima de Carvalho - 17/5/2017

"Senhores, vamos falar a verdade, é de dar vergonha um caso deste chegar ao STF, é por estas e outras que um processo leva tanto tempo para ser julgado (Migalhas 4.113 - 17/5/17- "Insignificância – Latas de azeite" - clique aqui). Este caso não era para sair nem da delegacia de polícia. Fosse eu o delegado, nem lavrava o BO."

Odair Nocetti Orlando - 17/5/2017

"Há notícia de que o ministro José Carlos Moreira Alves era insurgente contra a criação do STJ. Um dos motivos é que ele gostava de ficar decidindo causas de vizinhança em pleno STF (Migalhas 4.113 - 17/5/17- "Insignificância – Latas de azeite" - clique aqui). Sim, muita pose para diminuta produção jurisdicional. Veja se mudou alguma coisa. O STF não enquadra o juiz da roupa preta das araucárias nem o TRF4, o gaiato do Celso de Mello vive a dar entrevistas em corredor de shopping center, embora divulgue que só fala nos autos - nada de tomar medidas em prol da República - se deliciam mesmo é no varejo miúdo de HC para trancar processo cujo coagido subtraiu cinco latinhas de sardinha quando a discussão engrossa para saber se era ao óleo ou ao molho de tomate. Valha-nos Deus."

Cidrac Pereira de Moraes - 18/5/2017

Comente