Segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

ISSN 1983-392X

Prisão de Carlos Arthur Nuzman

de 8/10/2017 a 14/10/2017

"Nuzman ai, ai, ai (Migalhas 4.213 - 10/10/17 - "???????")! Coitadinho desse idoso. Fez uma festa tão linda, não foi?"

Abílio Neto - 10/10/2017

"Com todo respeito a esse poderoso rotativo e também sem conhecer os autos ou o sr. Carlos Arthur Nuzman, a prisão decretada em seu desfavor parece não ter fundamento jurídico idôneo pelo que se lê nos jornais (Migalhas 4.213 - 10/10/17 - "???????"). Por outro lado, argumentar pelo descabimento da prisão porque trata-se de 'um senhor de 75 anos, que trabalhou incansavelmente em diversos projetos em prol da valorização do esporte nacional' é exagero. Trata-se, a bem da verdade, de um dinossauro que jamais largou o osso do COB, que nunca permitiu que as gerações mais novas pudessem de qualquer forma se aproximar daquele Olimpo. É, em outras palavras, um irmão gêmeo do sr. Ricardo Teixeira, da CBF. O que isso tem a ver com a prisão preventiva? Absolutamente nada e nem pode ter a ver. Agora, sinceramente, não podemos assumir que essa 'dedicação' dele seja impeditivo para investigação ou prisão, na eventualidade delas terem justa causa."

José Roberto Coêlho Akutsu - 10/10/2017

"Que é isso Migalhas (Migalhas 4.213 - 10/10/17 - "???????")? Até tu! Abaixo comentei cada trecho do posto sobre o Nuzman. Perguntar não ofende: qual é o sentido da prisão de Carlos Arthur Nuzman? Alguém está acima da lei, que não possa ser preso? Um senhor de 75 anos, que trabalhou incansavelmente em diversos projetos em prol da valorização do esporte nacional? Se vocês dizem que não conhecem o Nuzman, como podem afirmar isso? O fato de alguém trazer benefícios ao esporte o impede de responder por crimes que possa ter cometido? Esse é o mesmo argumento do presidente molusco: como podem me acusar se ajudei tanto os mais pobres? Dizer que ele quis atrapalhar investigações ao retificar a declaração do IR para incluir 16kg de ouro, que em valor de hoje dá algo em torno de R$ 2 milhões, é piada de mau gosto. Este informativo não o conhece, não conhece o processo, mas tem plena certeza de que isso não está certo. Um meio de informação com o prestígio atingido pelo Migalhas não pode se prestar a esse tipo pueril de afirmação. Parece criança: não concordo e pronto! Analise o processo antes de tecer comentários. A afirmação pode até estar correta, mas perdeu toda a eficácia. Esta sanha acusatória, combinada com uma inconsequente atuação jurisdicional, está acabando com o país. Punir a corrupção é uma coisa, destruir reputações é outra. O exagero é sempre ruim. Mas o Migalhas não pode fazer uma afirmação dessas sem estar fortemente alicerçado nos fatos. Estou metido até a cabeça no meio esportivo e se eu tivesse que apostar, diria que tem muito mais por aí. Eu vejo diariamente o que as confederações e federações fazem com o dinheiro público, que infelizmente não chega como deveria aos atletas."

Wagner Cardeal Oganauskas - 10/10/2017

"Desde  quando ladrão tem boa reputação (Migalhas 4.213 - 10/10/17 - "???????")?"

Flávio Cerqueira - 10/10/2017

"De fato, a atuação jurisdicional e policial anda deveras preocupante (Migalhas 4.213 - 10/10/17 - "???????"). Sobretudo quando salta aos olhos a 'sanha acusatória, combinada com uma inconsequente atuação jurisdicional'. A impressão que causa é que há um acordo de cavalheiros entre acusadores e mídia, ou melhor, troca de favores; eu te poupo, dizem à mídia os senhores da lei, e em contrapartida dou a vocês os mais luminosos holofotes. Tem toda razão Migalhas; assim, não há país nem reputação que aguente!"

Luiz Francisco Fernandes - 10/10/2017

"Sério mesmo sobre o Nuzman (Migalhas 4.213 - 10/10/17 - "???????")? Esta é a posição do Migalhas? Ele está preso pois favoreceu a corrupção desenfreada que ocorreu na escolha do Rio como sede olímpica! Só pode ser piada do informativo. O caríssimo evento na Cidade Maravilhosa ajudou a falir a  municipalidade e o Estado, deixando milhares de funcionários públicos sem remuneração e abandonados a própria sorte e apenas favoreceu os que celebraram com pompa e circunstância a malfadada escolha, entre eles o presidente do COB que ocupa o cargo a ditatoriais 22 anos, o ex-presidente Lula, o ex-governador Sérgio Cabral entre outros menos famosos no mercado da venalidade."

José Eduardo Morato Mesquita - 10/10/2017

Comente