Sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

ISSN 1983-392X

Voto impresso

de 4/2/2018 a 10/2/2018

"Voto impresso argumentado que, no caso de quebrar a urna o voto do eleitor poderá ser revelado. Para esses casos, há inúmeros  procedimentos que impedem que o voto seja revelado, basta o TSE escolher o que lhe parecer mais efetivo. Ao fazer essa proposta a procuradora-Geral vai contra a convicção dos especialistas de que o voto impresso é o único instrumento capaz de afastar qualquer dúvida de que o voto dado pelo eleitor é o voto computado no programa da urna. Parece-lhe preferir não saber onde o sistema eletrônico alocou o voto do eleitor, do que ter como auditar o processo caixa-preta que pode ser manipulada pelos 'donos das senhas', em acordo com os interessados em ganhar eleições. Todos os testes de quatro dias de nove horas que o TSE faz com especialistas em computação e informática revelaram que sistema implantado nas urnas é vulnerável. Todas as vezes o TSE promete que fará os reparos necessários. Os testes feitos em 2017 revelaram falhas que já deveriam estar sanadas há tempos! Por que não o voto impresso para sanar qualquer dúvida que surja em relação a uma urna? A procuradora-Geral precisa de assessoria técnica independente."

José Renato Almeida - 6/2/2018

Comente