Domingo, 20 de agosto de 2017

ISSN 1983-392X

Em nota à imprensa, PCdoB considera descabidas as acusações de Delúbio Soares contra o partido

segunda-feira, 5 de setembro de 2005


Em nota à imprensa, PCdoB considera descabidas as acusações de Delúbio Soares contra o partido

Sob o título "PCdoB repudia tentativa de Delúbio de relacioná-lo à CPI", o presidente da legenda, Renato Rabelo, divulgou nota à imprensa onde considera "totalmente descabida" a referência feita ao PCdoB, em documento encaminhado no dia 31/8 pelo ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, à CPI mista da Compra de Votos. Veja a íntegra da nota:

"O Partido Comunista do Brasil - PCdoB, através de seu presidente nacional, Renato Rabelo, esclarece o seguinte:

Sobre a correspondência do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, enviada à CPI da Compra de Votos, na qual cita o PCdoB numa pretensa lista de partidos que teriam sido beneficiados financeiramente pelo PT, a partir das relações desse partido com o senhor Marcos Valério.

O PCdoB nunca manteve qualquer relação ou contato o com senhor Marcos Valério, nem tampouco com bancos ou empresas vinculados ao financiamento ilícito de campanha que estão sendo investigados;

O
Partido considera sua citação neste caso totalmente descabida e ressalta que se trata de uma tentativa inócua de envolvê-lo nas investigações, posto que depois de meses de funcionamento de três Comissões Parlamentares de Inquérito, de dezenas de depoimentos e investigações realizadas, não há nenhuma referência ou alusão ao PCdoB.

O PCdoB é um antigo aliado político do PT e ao longo desse tempo sempre pautou esta aliança pela legislação do país.

Brasília, 1º de setembro de 2005
R
enato Rabelo,
Presidente do Partido Comunista do Brasil-PCdoB".

A notícia sobre o documento foi publicada na edição de quinta-feira do diário especializado Valor Econômico e a partir daí ganhou os portais noticiosos na internet. O Valor relata que "o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, entregou documento à CPI Mista do Mensalão no qual envolve o PSB e o PCdoB no esquema de caixa 2 coordenado por ele e pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza para pagamento de dívidas das campanhas eleitorais de 2002". O texto observa ainda que o PSB e o PCdoB eram os "únicos partidos da base aliada não atingidos até o momento por denúncias".

O texto enviado por Delúbio à CPI da Compra de Votos na verdade repete a afirmação feita por ele em 15/7, durante depoimento à Procuradoria-Geral da República. Inclusive a ordem das legendas citadas é a mesma: além do PT, PTB, PL, PSB, PCdoB, PP e parte do PMDB. No dia 16/8, ao depor perante a Comissão de Ética do PT, reunida em São Paulo, Delúbio repetiu a mesma afirmação. Em todas as ocasiões, Delúbio não apresentou provas sobre o envolvimento do PCdoB ou PSB, nem citou nomes, datas ou cifras.

A primeira manifestação do ex-tesoureiro foi contestada, na época (18/7), em uma nota e em declarações dadas ao Vermelho por Renato Rabelo. A nota divulgada na época, embora em tom mais comedido, já tinha por título: "PCdoB afirma que não utiliza 'caixa 2' nas suas atividades".
_____________

_______________

patrocínio

VIVO

últimas quentes