Quinta-feira, 18 de setembro de 2014 Cadastre-se

ISSN 1983-392X

Promoção

Resultado do sorteio da obra "Divórcio e Separação"

Veja quem ganhou a obra "Divórcio e Separação", de Regina Beatriz Tavares da Silva.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Com prefácio da ministra do STJ, Nancy Andrighi, a obra "Divórcio e Separação" (Saraiva – 2ª edição - 220p.), de Regina Beatriz Tavares da Silva, traz uma análise completa das alterações realizadas pela EC 66/2010.

Com o advento da EC 66, de 13 de julho de 2010, muitos questionamentos surgiram — qual é o melhor caminho para defender os direitos daqueles que não querem ou não pode mais manter o casamento; qual é o destino dos processos em andamento; como entender, na prática, a Emenda do Divórcio? A violação aos deveres conjugais pode acarretar a perda do direito à pensão alimentícia e ao sobrenome conjugal, assim como a condenação em indenização pelos danos morais e materiais? A prestação compensatória é instituto aplicável em nosso Direito?

Não resta dúvida de que a referida norma veio para facilitar o divórcio, mas isso não significa que a separação tenha desaparecido do ordenamento jurídico. E preciso lançar mão de critérios hermenéuticos seguros, que tenham como norte princípios fundamentais do sistema jurídico, como a liberdade, a dignidade humana e a especial proteção do Estado à família.

Segundo Regina Beatriz Tavares da Silva, autora da obra Divórcio e Separação, os princípios constitucionais e as regras da boa interpretação devem orientar o entendimento sobre a nova redação do art. 226, parágrafo 6°, da Constituição Federal e também a aplicação da legislação infraconstitucional sobre a dissolução do casamento.

Nesse sentido, fica claro que a separação não só continua a existir no direito brasileiro, em todas as suas espécies, inclusive a extrajudicial, como também estão mantidas a possibilidade de decretação da culpa na dissolução do casamento e a cumulação com a reparação de danos pelo grave descumprimento dos deveres conjugais.

A novidade está na ideia de que a EC 66/2010 possibilita a recriação do divórcio, que agora, sem a necessária natureza conversiva, pode ser promovido nas espécies até então reservadas somente á separação — sem e com culpa. Essas e outras questões permeiam este trabalho, reflexão lúcida dos efeitos advindos da referida norma sobre o direito da família como um todo, que deve se pautar em vínculos de afeto e solidariedade, sem deixar de lado a responsabilidade, a liberdade e a dignidade.

Sobre a autora :

Regina Beatriz Tavares da Silva é doutora e mestre em Direito Civil pela USP. Coordenadora e professora dos cursos de pós-graduação e Educação Continuada em Responsabilidade Civil da GVlaw. Coordenadora e professora dos cursos especializados em
Direito da Família e Direito das Sucessões da Escola Superior de Advocacia da OAB/SP. Presidente da Comissão de Direito da Família do IASP. Advogada.

__________

Ganhador :

Henrique de Lima Coletti, advogado em Itatiba/SP

__________

__________

Adquira já um exemplar :


___________

últimas quentes