Domingo, 28 de agosto de 2016

ISSN 1983-392X

Violação marcária

Setex não pode registrar marca por semelhança com Sedex

Para TRF da 5ª região, a imitação pode provocar confusão aos consumidores.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

A empresa Termaco Terminais Marítimos de Containers e Serviços Acessórios está proibida de usar a marca Setex, referente ao serviço de entrega expressa da empresa. Decisão é da 3ª turma do TRF da 5ª região.

Para utilizar o nome Setex, a empresa Termaco precisava obter o registro da marca no INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Mas, em decisão administrativa, o órgão negou o registro. A empresa entrou com uma ação pedindo a desconstituição da decisão. A 3ª vara Federal do Ceará julgou improcedente o pedido e aplicou multa por utilização inadequada de embargos de declaração pela apelante.

Ao recorrer ao TRF da 5ª região, a empresa solicitou a retirada da multa e pediu novamente a autorização do uso da marca. A 3ª turma retirou a multa, por entender que não havia a intenção de protelar o caso. A proibição do uso da marca, no entanto, foi mantida.

O relator do processo, desembargador Geraldo Apoliano, considerou incontroversa a similaridade entre as marcas Sedex e Setex, tanto no que diz respeito à similitude gráfica e fonética, quanto no que se refere à exploração do mesmo segmento de mercado.

"Não restam dúvidas de que, devido às suas semelhanças e aos serviços oferecidos (que são os mesmos –entrega de encomendas), as marcas discutidas são hábeis a propiciar confusão ou associação entre elas no mercado consumidor."

Confira o acórdão.

leia mais

últimas quentes