Quarta-feira, 25 de abril de 2018

ISSN 1983-392X

10 melhores práticas dos departamentos jurídicos

Juliana Marques

Muito se tem falado sobre a mudança no perfil da gestão do departamento jurídico e acredito que somente quando co-meçarmos a colocar em prática as nossas ideias, o que aprendemos e as ações necessárias, que conseguiremos tornar o nosso departamento uma peça fundamental na estratégia das empresas.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Após palestrar sobre os 10 maiores erros dos escritórios de advocacia no 7º Congresso Brasileiro de Sociedade de Advogados realizado no final do ano passado, tive o prazer de ser convidada para participar de alguns encontros realizados pela Comissão de Departamentos Jurídicos da OAB Pinheiros, para debater sobre os erros e acertos dos advogados internos de empresa e dos escritórios de advocacia.

E, como resultado, e até mesmo para fazermos um contraponto à palestra apresentada, tivemos uma reflexão muito interessante sobre diversos aspectos importantes para uma boa gestão, sendo que aqui vão algumas das melhores praticas:

1. Conheça o seu negócio

Para fazer um bom gerenciamento da sua área, você precisa conhecer o negócio da sua empresa. O que vocês fazem, como agregam valor, como se diferenciam dos seus competidores, por exemplo. Mas como fazer isto? Simples. Não tenha receio de ir à fábrica ou de visitar os laboratórios, faça mais perguntas, participe de reuniões da área comercial, peça para ser incluído nos comunicados internos das áreas, participe de reuniões com as associações de classe sempre que possível e não tenha medo de aprender todos os dias com a enxurrada de informações que você irá receber.

2. Seja estratégico

Em minha opinião, mais importante do que conhecer o negócio da empresa em que você trabalha, é o que você vai fazer com toda esta informação. Como você pode agregar valor para sua empresa, considerando as perguntas acima? Vale a pena desenvolver algumas métricas para monitorar a sua demanda trabalhista, por exemplo? Aliás, de nada adianta ter um monte de métricas da área se elas não agregam valor no final do dia. Estas medições precisam ser realizadas para suportar o seu processo de gestão, identificação de gaps e processos de melhorias. Tente pensar em como você pode contribuir para o sucesso da empresa com o trabalho da sua área.

3. Tenha a mente aberta para novas ideias

Muitas vezes estamos tão focados no trabalho do nosso dia-a-dia que deixamos de enxergar o todo e com isto não nos abrimos a novas ideias. Em princípio, pode ser que aquela sugestão da área de operações ou de vendas possa ser "estranha" ou "desafiadora" do ponto de vista jurídico, mas por que não pesquisar melhor e propor uma solução similar com alguns ajustes? Em uma das minhas experiências profissionais, aprendi que o Direito não regulamenta tudo. Há situações que precedem leis, normas e regulamentos e é o nosso papel endereçar estas questões da melhor forma, inclusive ajudando a normatizá-las quando necessário.

4. Crie parceiros de confiança

Já dizia a frase: você não precisa saber fazer, você precisa conhecer quem saiba fazer. E assim é na gestão de um departamento jurídico. Impossível você dominar todos os temas, todas as situações e ter o controle de tudo. Mas ter parceiros de confiança, com conhecimento em diversas áreas, que sempre estarão disponíveis para te atender e te ajudar, seja com uma consultoria, uma indicação ou um conselho, é fundamental para que você possa ter sucesso na sua função.

5. Seja próximo dos seus clientes internos

Como já mencionei em outro artigo, cliente é cliente e é muito importante que você esteja próximo a eles para entender quais são as suas expectativas, antecipar as suas necessidades e prover um bom trabalho. Isto porque, no final do dia, apesar de o departamento jurídico ser uma área que presta serviços para as demais áreas, é importante que seja considerado como uma peça importante e relevante no processo de decisão. Estar próximo aos seus clientes internos irá te ajudar a ser cada vez mais estratégico.

6. Saia da sua caixa

Estamos o tempo todo conectados, seja por celular, pelas redes sociais ou por outras diversas formas. Hoje em dia não tem como você fazer uma boa gestão do departamento jurídico sem estar envolvido com as tendências de mercado e as técnicas que estão sendo aplicadas por outros gestores. Sendo assim, amplie a sua rede de contato para trazer as melhores práticas para dentro da sua empresa.

7. Faça combinados com os seus parceiros de confiança

Mais importante do que ter parceiros de confiança, é fazer combinados com eles de forma antecipada. É importante deixar claro a forma como você gosta de trabalhar, que tipo de reporte precisa, se ele deve envolver outras pessoas da empresa ou centralizar todas as informações em você, como será o tipo de cobrança, enfim, toda a parte operacional do relacionamento. Assim vocês economizam tempo e juntos constroem um trabalho de melhor qualidade.

8. Formalidades e preciosismos para que?

O estilo antigo, no qual os departamentos eram extremamente hierarquizados, formais e sem interface com outras pessoas, não tem mais lugar. Particularmente, acredito que ser extremamente formalista com discussões teóricas ou usar "juridiquês" em suas mensagens serve somente para afastar pessoas. Ao contrário do que possa parecer, ou seja, que este tipo de comportamento traz mais respeito e consideração dos demais pela sua área, esta forma de trabalhar somente te deixará mais longe do seu objetivo final, que é fazer uma boa gestão da sua área de maneira integrada aos negócios da sua empresa.

9. Conheça os escritórios e os parceiros com que você trabalha

Tão importante quanto fazer os combinados com os seus parceiros é conhecê-los bem, de forma que você possa entender como eles podem te ajudar e aproveitar ao máximo este recurso em seu processo de gestão. Às vezes ficamos tão limitados consultando a área cível do escritório, que perdemos uma ótima oportunidade de ter uma excelente assessoria na área penal, por exemplo.

10. Tome posições e assuma riscos alinhados com os da sua empresa

Para um advogado nunca é fácil assumir riscos ou tomar posições. Em nossa cabeça, o papel do advogado interno é aconselhar a melhor decisão, mas quem tem que tomar a decisão é a área responsável pela demanda, não é mesmo? Mas será? Se determinada decisão faz sentido e é o melhor para a empresa, porque não recomendá-la e tomar uma posição no tema? Saiba o perfil de riscos da sua empresa e esteja alinhado com eles durante o processo de decisão.

Muito se tem falado sobre a mudança no perfil da gestão do departamento jurídico e acredito que somente quando começarmos a colocar em prática as nossas ideias, o que aprendemos e as ações necessárias, que conseguiremos tornar o nosso departamento uma peça fundamental na estratégia das empresas.
__________________

*Juliana Marques é integrante do Jurídico de Saias e do departamento jurídico da Givaudan do Brasil Ltda.

Jurídico de Saias