Quinta-feira, 27 de julho de 2017

ISSN 1983-392X

2010

Criado juntamente com a vila, em 29 de setembro de 1801, o termo de Resende teve a sua instalação em 29 de dezembro do mesmo ano.

A fundação da vila de Resende foi autorizada por Dias Paes Leme Câmara, neto de Garcia Rodrigues Paes, porque, pelo alvará de 20 de novembro de 1786, lhe havia sido concedida a mercê, conferida ao avô, de erguê-la onde lhe aprouvesse.

Vinculado desde então à comarca do Rio de Janeiro, o termo de Resende assim permaneceu até alcançar igual titularidade pelo decreto-geral editado em 15 de dezembro de 1833.

Instituição da comarca

O decreto-geral de 15 de janeiro de 1833 dividiu o território fluminense em seis comarcas, entre elas a de Resende, instalada naquele mesmo ano tendo, inicialmente, como termos anexos, São João do Príncipe (posteriormente São João Marcos), Valença e Barra Mansa.

Outras modificações ocorreram neste longo período de mais de século e meio, porém sempre conservou Resende a sua condição de cabeça de comarca, o que revela a sua importância no cenário judiciário.

Fórum

O Fórum antigo, que recebeu o nome do advogado Oswaldo Duarte da comarca de Resende, foi solenemente instalado em 13 de abril de 1973, pelo desembargador Jalmir Gonçalves da Fonte, presidente do TJ/RJ.

O novo edifício do Fórum de Resende teve sua construção iniciada em 2 de abril de 1998, e conclusão em 15 de julho de 1999, solenemente inaugurado no dia 1 de setembro de 1999, pelo desembargador Humberto de Mendonça Manes, presidente do TJ/RJ.

____________
__

Fonte : "O Judiciário fluminense e suas comarcas", de Antonio Izaias da Costa Abreu
___
________________

Denominação anterior : Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre da Paraíba Nova

Data da Fundação : 29 de setembro de 1801

Gentílico : resendense

Os primeiros habitantes de Resende, antes da chegada do homem branco, eram os índios Puris, termo que em português quer dizer "gente tímida e mansa".

Com a corrida pelo ouro iniciou-se o desbravamento dos Estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais.

Um dos exploradores, o coronel paulista Simão da Cunha Gago obteve licença para explorar a região à procura de ouro e pedras preciosas, em 1744.

Ele seguiu para Aiuruoca/MG de onde desceu a serra estabelecendo-se em uma colina que avançava sobre o Rio Paraíba, onde hoje é o bairro Montese.

Nesse lugar, ergueu-se um altar onde foram rezadas as primeiras missas.

Mas o acampamento não permaneceria ali para sempre, sendo transferido para o outro lado do rio devido aos constantes incômodos provocados pelos índios às roças e às plantações dos colonos.

A este novo lugar deu-se o nome de Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre da Paraíba Nova, o primeiro nome do futuro município de Resende.

Em 1756, o povoado é elevado à categoria de freguesia, e no dia 29 de setembro de 1801, ele passa a ser considerado vila de Resende.

A mudança do nome é uma homenagem ao Conde de Resende, vice-rei do Brasil naquela época.

Para simbolizar a elevação de povoado à vila foi construído, na atual Praça do Centenário, um Pelourinho (monumento que tem uma bola de cera no alto e que era o símbolo obrigatório das Vilas).

O tamanho da Vila de Resende se estendia da fronteira de São Paulo até pouco antes da Serra das Araras, além de fazer limite com Angra dos Reis e com Minas Gerais.

Com o passar dos anos e com a criação de outras vilas, no entanto, Resende foi perdendo grande parte de seu território.

Em 1821 foi construída a primeira ponte de madeira sobre o Rio Paraíba, mas ela foi destruída pela enchente de 1833. Depois, outra ponte de madeira foi feita durando até o fim do Século XIX e em 1905 é inaugurada uma ponte de ferro, a Ponte Nilo Peçanha (Ponte Velha) que resiste ao tempo e até hoje é uma testemunha da nossa história.

Em franco desenvolvimento por causa do plantio do café, em 13 de julho de 1848, Resende finalmente deixa de ser uma simples vila para ser elevada à categoria de cidade.

_______________

AMAN

Com uma área de 67 km2, a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), de formação de oficiais do Exército, estende-se da Rodovia Presidente Dutra até as encostas da Serra da Mantiqueira e do Maciço do Itatiaia.

Aberta à visitação, a AMAN dispõe de um dos maiores e mais completos parques esportivos do Estado do Rio de Janeiro, além de moderno teatro com capacidade para 2.844 pessoas.

_______________

Centro urbano

No centro urbano de Resende encontra-se várias oportunidades de negócios ao setor turístico através de acessos rápidos para diversos roteiros locais e regionais, abrangendo localidades fluminenses, paulistas e mineiras, com ênfase nas fazendas de café, podendo até alcançar a Costa Verde de Angra dos Reis.

Há também o turismo de negócios, em franco crescimento, responsável por 70% da lotação/ano dos hotéis urbanos.

O parque industrial instalado fomenta um centro de convenções local e agrega-se ao turismo de eventos realizados na Região das Agulhas Negras, como o Festival de Inverno 2000/2001.

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição (imagem), localizada na Praça Oliveira Botelho, teve sua construção foi iniciada em 1756 e a inauguração ocorreu em 1813. Em 1945, a Igreja foi praticamente destruída por um incêndio e reconstruída anos depois graças às doações dos fiéis.

___________

Ponte Nilo Peçanha

A travessia do Rio Paraíba foi um obstáculo para os moradores de Resende até o início do século XIX. Em 1821 a primeira ponte de madeira foi construída sobre o rio, mas foi carregada pela grande enchente que atingiu o município em 1833.

Depois disso, uma nova ponte de madeira foi erguida, durando até o final do século XIX.

Entretando os problemas da travessia só acabaram mesmo em abril de 1905, quando foi inaugurada a Ponte Nilo Peçanha, mais conhecida como Ponte Velha.

Pré-fabricada em estrutura metálica importada da Bélgica e trazida de navio, sua construção foi um marco no desenvolvimento da cidade. O nome, Nilo Peçanha, é uma homenagem ao presidente da época que veio a Resende especialmente para a inauguração.

Em abril de 2005, a Ponte completou 100 anos.

___________

Fumaça

No Parque Municipal da Cachoeira da Fumaça, com grandes extensões de matas preservadas, além de nascentes e riachos, encontra-se a cachoeira que dá nome ao local, com corredeira de 200 metros. São 32km de estrada do centro de Resende até a localidade.

_______________

Hino de Resende

Resendenses, entoemos um hino
Que fulgure qual mundo de sóis
A esta terra que é um berço divino
De poetas, de artistas, de heróis!

Eia, pois, fervorosos saudemos
De Resende, a cidade gentil
Onde o berço, entre flores, tivemos
Sob um céu todo azul, todo anil! (estribilho)

Chovam bênçãos de luz sobre o dia
Em que o seu centenário ela faz!
Que nos enche de doce alegria
Que ventura tão doce nos traz!

De outro século o sol majestoso
Surge agora imponente brandão
Deste vale, dourando amoroso
Toda a nova e aromal floração!

O Itatiaia emergindo das brumas
Ei-lo, o século novo a saudar!
E o Paraíba o seu manto de espumas
Vai contente e cantante, a arrastar.

Que este dia, da Pátria, na História
Fulja sempre com mago esplendor!
E que viva na nossa memória
Todo luz, todo paz, todo amor!

______________

População

No recenseamento geral de 1950, o número de pessoas presentes elevou-se a 34.752 habitantes, sendo 18.397 homens e 16.355 mulheres.

Atividades Econômicas

A pecuária, visando à produção de leite e sua industrialização, é, economicamente, a atividade preponderante no município; as indústrias de bebidas, açucareira e cerâmica desempenham papel importante na economia municipal. A lavoura tem pequena expressão, sendo que de seus produtos apenas há exportação de tomates.

Comércio e bancos

Comércio regular, dispondo a sede de 8 estabelecimentos atacadistas e 44 varejistas. O giro comercial, em 1956, elevou-se a 455 milhões de cruzeiros. O movimento bancário é feito por um estabelecimento matriz (Banco Resende S.A.) e pelas agências dos seguintes estabelecimentos : Banco do Brasil, Banco da Lavoura do Estado de Minas Gerais, Banco Moreira Salles e Banco Ribeiro Junqueira.

Riquezas naturais

No revestimento florístico predominam os capoeirões, não obstante constituírem as grandes matas apreciável reserva florestal.No intuito de mantes essa reserva foi criado o Parque Nacional de Itatiaia, cujo patrimônio se estende por cerca de 120km2, abrangendo terras e matas não apenas do município de Resende, como também dos municípios mineiros de Itamonte, Aiuruoca e Liberdade.

Nas matas há vários tipos de madeira de lei, tais como cedro, cabiúna, vinhático e, bem assim, algumas plantas oleaginosas e medicinais, além de fibras diversas, como pita, sisal, quaxima e outras.

Aspectos urbanos

A cidade está construída à margem do rio Paraíba do Sul, ligando-se por uma ponte metálica à vila de Agulhas Negras. Conta com ruas e praças bem calçadas e ajardinadas, destacando-se entre elas, em seu perímetro central, a praça oliveira Botelho. Na vila de Agulhas Negras sobressai, por seu belíssimo conjunto arquitetônico, a Academia Militar.

Das 78 ruas, praças e jardins de Resende, 23 são inteiramente calçados a paralelepípedos e 3, parcialmente, pavimentados de concreto.

Dentre vários melhoramentos urbanos possui :

Aparelhos telefônicos – 734

Ligações elétricas – 1.340

Número de domicílios servidos por abastecimento de água – 1.480

Hotéis e pensões – 3

Cinemas – 2

Assistência médico-sanitária

O município conta com 1 hospital geral (Santa Casa de Misericórdia de Resende), com 120 leitos dos quais 94 destinados a internamentos gratuitos. Funcionam ainda no município o Sanatório Militar de Itatiaia e o Hospital de Convalescentes de Campo Belo, ambos do Ministério da Guerra. Há mais, nesse setor, 8 farmácias, 17 médicos, 12 farmacêuticos e 18 dentistas.

Alfabetização

Das 29.345 pessoas de 5 anos e mais, recenseadas em 1950, sabiam ler e escrever, em todo o município, 8.794 homens e 6.060 mulheres e, na sede municipal, eram alfabetizadas 4.083 pessoas, sendo 1.959 homens e 2.124 mulheres, das 5.994 pessoas dessas idades ali recenseadas, representando 68% de sua população urbana.

Meios de Transportes

A cidade de Resende comunica-se com a rede rodoviária geral pela Rodovia Presidente Dutra, que a põe em comunicação direta com a cidade de São Paulo e cidades intermediárias servidas por essa estrada, pela qual, e sua continuação, a BR-1, dista 161 Km da primeira e 233 Km da segunda.

De Resende parte a estrada RJ-128, estrada que, após percurso de 28 Km atinge a divisa do Estado de São Paulo, a 4 Km de Formoso, nesse Estado. À altura de 3,1 Km e 3,95 Km de Resende dá essa estrada acesso ao campo de pouco de Resende.

Em todo o município existem 79 Km de rodovias federais, 81 Km de administração estadual e 251 Km de estradas municipais. A Estrada de Ferro Central do Brasil corta o município em toda sua extensão, alcançando-o na estação de Bulhões, localizada a 179,8 Km de D. Pedro II e deixando-o, para entrar no Estado de São Paulo, na de Engenheiro Passos, a 216 Km de D. Pedro II e 38,8 Km da estação anteriormente citada.

Além dessas duas estações, há no município as seguintes : Agulhas Negras (Km 190,8), estação localizada na sede do distrito desse nome, que serv à sede municipal, à qual está ligada por uma ponte de cimento armado sobre o rio Paraíba do Sul, e, pela ordem quilométrica, Marechal Jardim, Itatiaia e Nhangapi.

________________