Domingo, 28 de maio de 2017

ISSN 1983-392X

2010

Instituída pelo decreto 57, de 10 de março de 1890, a comarca de Barra do Piraí teve a sua instalação em 14 de abril seguinte.

Extinta pelo decreto 8, de 19 de dezembro de 1891, foi restaurada pela lei 43 - A, de 1° de março de 1893. Ostentou o honroso título por mais oito anos, quando então o decreto 667, de 16 de fevereiro de 1901, veio novamente rebaixá-la a termo da comarca de Vassouras.

Entretanto, pouco mais de um mês depois, determinação do decreto 681, de 28 de março seguinte, restituiu-lhe o predicado perdido, situação que perdura até o presente.

Fórum

O antigo prédio do Fórum da comarca de Barra do Piraí, atualmente Fórum nº 1, recebeu o nome do magistrado Zótico Antunes Baptista. Com o transcurso do tempo, tornando-se o imóvel acanhado para dar atendimento aos serviços forenses, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, na administração do desembargador Thiago Ribas Filho, fez construir na cidade de Barra do Piraí o Fórum nº 2, projetado pela arquiteta Maria Alice Fernandes.

O novo prédio, dotado de amplas e excelentes instalações, situado na Rua Professor José Antônio Maia Vinagre s/n°, no bairro Matadouro, foi inaugurado no dia 30 de novembro de 1999, tendo o diretor do Fórum, juiz Reinaldo Moreira Glioche, presidido a solenidade.

____________
__

Fonte : "O Judiciário fluminense e suas comarcas", de Antonio Izaias da Costa Abreu
___
________________

Data da Fundação : 10 de março de 1890

Gentílico : barrense


Dentre as várias estradas que o ciclo do ouro abriu mata adentro, algumas passaram por onde hoje é Barra do Piraí. Esses caminhos foram abertos pelas tropas de mulas que faziam o transporte do ouro e, posteriormente, do café.

Com a decadência do ciclo do ouro, iniciaram as plantações de café e, assim, o surgimento de várias cidades em torno das lavouras cafeeiras como Valença, Vassouras, Piraí, Barra do Piraí, entre outras.

Em 1843, o fazendeiro Antônio Gonçalves de Moraes compra um sítio na foz do rio Piraí, denominado Barra do Piraí. A fazenda guarda até hoje os resquícios de sua época, sendo importante roteiro turístico da cidade.

Dez anos depois, foi construída uma ponte sobre o rio Piraí. Começava então o povoado de São Benedito, em terras do município de Piraí, cidade vizinha.

Para levar a produção cafeeira do Vale do Paraíba para o Rio de Janeiro foi construída, em 1864, a estrada de ferro D. Pedro II. Tal investimento refletiu no desenvolvimento do povoado de São Benedito, tornando-se o centro do comércio cafeeiro da região com a criação de estabelecimentos comerciais e armazéns de café que recebiam o produto de várias cidades que eram transportados para o Rio de Janeiro.

Em 1881, foi construída a estrada de ferro Santa Izabel do Rio Preto, que seria denominada mais tarde como estrada de ferro de Sapucay, Rede Sul Mineira e, por fim, Rede Mineira de Viação. Nesse mesmo período também foi construída uma ponte, que ainda existe, sobre o rio Paraíba para passagem dos trens e pedestres.

Em 1889 a região ganha outra estrada : estrada de ferro Piraiense, ligando Barra do Piraí à sede do município da época, Piraí.

Com esse entroncamento ferroviário, Barra do Piraí se torno um importante centro onde os viajantes faziam baldeação e, muitas vezes, pernoitavam. Mesmo com fim do ciclo do café, as estradas contribuíram para o desenvolvimento da região.

Mesmo ganhando destaque na região com um centro econômico do Vale do Paraíba, Barra do Piraí continuou sendo povoado. Somente em 1885 foi criada a freguesia de São Benedito de Barra do Piraí.

Somente em 10 de março de 1890 que Barra do Piraí foi elevada a município, tendo suas terras desmembradas dos municípios vizinhos. Da cidade de Valença, foi desmembrada a Vila de Sant’Ana, à margem esquerda do Paraíba. De Piraí, a próspera freguesia de Barra do Piraí, situada à margem direita do Paraíba. E de Vassouras, a Vila dos Mendes, que já possuía, nesta época, uma fábrica de papel (CIPEC) e fábrica de fósforos, além de fazendas.

Ainda sendo um importante centro comercial devido ao entroncamento ferroviário, a Light instalou seus escritórios no município, dirigindo de Barra do Piraí suas atividades nos municípios vizinhos.

Com o tempo, o gado substituiu o café. A partir de 1946, passou a ser realizada uma Exposição Agropecuária Sul Fluminense, reunindo produtores de muitos municípios e até hoje são realizadas as Exposições Agropecuárias que atraem muitos visitantes.

Foi criada a Casa do Viajante para reunir os "caixeiros viajantes", que eram representantes das fábricas que vinham visitar as lojas e efetuar vendas.

A cidade também recebeu muitos imigrantes vindos da Europa e do Oriente Médio, fugindo das guerras e procurando melhores condições de vida. Eles compõem boa parcela do comércio local.

Foram vários os fatores que abalaram a liderança de Barra do Piraí no Vale do Paraíba. A criação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e o crescimento da cidade de Volta Redonda, a construção da rodovia Presidente Dutra, fazendo com que o transporte para o Vale do Paraíba deixasse de ser apenas ferroviário e a extinção dos trens de passageiros feita pelo presidente Jânio Quadros em 1961.

____________

Origem do nome

Barra significa lugar onde um rio se lança em outro. O rio Piraí, que corta a cidade, deságua nas águas do rio Paraíba do Sul, que também passa pelo município.

____________

Pontos turísticos

Ponte Presidente Getúlio Vargas

Construída em 1898, sobre o rio Paraíba do Sul, a Ponte Presidente Getúlio Vargas é passagem de trens da Rede Mineira de Viação, e posteriormente para uso dos pedestres também.

Toda construída na Bélgica, em sistema de pré-moldagem e em Barra do Piraí montada por engenheiros mineiros da Sapucahy.

Casa da Princesa

Construída em 1884, para receber e hospedar a Princesa Isabel, quando da visita do Imperador D.Pedro II, à Barra do Piraí.

Praça Nilo Peçanha

É a principal praça de Barra do Piraí e está localizada no centro da cidade. Seu principal atrativo é seu chafariz que representa os três Estados que eram servidos através do entroncamento ferroviário: Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Prédio da Estação Ferroviária D.Pedro II

A estação ferroviária de Barra do Piraí simboliza tudo aquilo que foi o maior entroncamento ferroviário do Brasil. Inaugurada em 1864 pelo Imperador Pedro II, era ponto de escoamento da produção cafeeira da região. Mais de uma dezena de trens diários ligavam Barra do Piraí ao Rio de Janeiro. O trem para Belo Horizonte teve seu encerramento em 1980, e o de São Paulo em 1998.

______________

Hino

Em dez de março de noventa,
Um sonho fez-se realidade.
Sem a menor visão sangrenta,
Surgiu a tua liberdade.

E tu, outrora tripartida,
Rompeste em marcha triufante.
E nesta luta pela vida
Foste um exemplo edificante.

Salve! Salve! Boa terra hopitaleira!
Barra! Barra! Progressista e altaneira!
Barra! Barra! Tu serás a vida inteira,
Em terras fluminenses,
Todo o nosso orgulho
De fiéis barrenses!

Entre colinas verdejantes,
Ricas, tão ricas de beleza,
Com teus dois rios coleantes,
És um primor da natureza.

Terra feliz, feliz e calma,
Sob este céu sempre de anil,
Tu és a cidade que tem alma,
Ó meu pedaço do Brasil!

Salve! Salve! Boa terra hospitaleira!
Barra! Barra! Progressista e altaneira!
Barra! Barra! Tu serás a vida inteira,
Em terras fluminenses,
Todo o nosso orgulho
De fiéis barrenses!

Ó terra minha, berço amado!
Ó meu torrão bem brasileiro!
Cheio de glória no passado
E de futuro alvissareiro!

À luz da tua própria história,
O teu caminho percorrido
É rumo certo para a glória
Deste Brasil estremecido!

Salve! Salve! Boa terra hospitaleira!
Barra! Barra! Progressista e altaneira!
Barra! Barra! Tu serás a vida inteira,

Em terras fluminenses,
Todo o nosso orgulho
De fiéis barrenses!

______________

População

Pelo Recenseamento de 1950, a população do município atinge 32.828 habitantes, sendo 16.471 homens e 16.357 mulheres. A densidade demográfica é de 54 habitantes/Km2.

Atividades econômicas

As atividades fundamentais à economia do município são caracterizadas pelas indústrias têxteis, metalúrgicas, químicas e de alimentação. Embora pequena a lavoura, o município produz milho, feijão, café, tomate e produtos hortícolas.

Comércio e Bancos

O distrito-sede dispõe de 18 estabelecimentos comerciais atacadistas e 311 varejistas. Além das praças vizinhas, inclusive as do sul de Minas Gerais e norte do Estado de São Paulo, mantém o município transações comerciais, em maior escala, com as praças do Rio de janeiro, DF, e São Paulo. Importa tudo o que se relaciona com as necessidades humanas, exportando os produtos de suas indústrias.

Há na sede municipal agências dos seguintes bancos : Banco do Brasil S.A.; Banco Comércio e Indústria de minas Gerais S.A.; Banco de Crédito Real de Minas Gerias S.A.; Banco Nacional de Minas Gerais S.A. e Banco Predial do Estado do Rio de Janeiro.

Aspectos urbanos

A cidade está situada em ambas as margens dos rios Paraíba e Piraí. É conrtada pela Estrada de Ferro Central do Brasil, à margem da qual se prolonga sua rua principal. Até poucos anos a Rede Mineira de Viação atingia também o centro comercial da cidade, entretanto, com os novos planos de urbanização que se processam, foi afastada para ponto mais distante, surgindo em seu lugar moderníssima praça. A cidade conta com 68 logradouros públicos pavimentados, sendo :

Ruas - 44

Avenida - 1

Travessas e becos - 15

Largos e praças - 7

Logradouro - 1

Estão calçados a paralelepípedos 50% da cidade, havendo pequenos trechos asfaltados e vários logradouros em pavimentações de outras espécies. Conta ainda a cidade com os seguintes melhoramentos urbanos (1956) :

Aparelhos telefônicos - 1.159

Ligações elétricas - 3.949

O abastecimento de água abrange 130 logradouros, sendo que 89 em toda suja extensão, existindo 3.350 prédios abastecidos. A rede de esgotos, com 3.820m atende a 36 logradouros. Há na sede municipal 9 hotéis e 1 pensão.

Comunicações

O Departamento dos Correios e Telegráfos mantém no município uma Agência Postal-telegráfica, na sede, quatro Agências e um Posto Postal. A polícia do Estado possui um estação radiotelegráfica, ma sede municipal, e as estradas de ferro (Central do Brasil e Ree Mineira de Viação), serviços telegráficos em suas estações. Na sede municipal há o serviço de entrega postal feito por estafetas.

Assistência médico-sanitária

O município possui 4 hospitais gerais com 113 leitos, uma maternidade e 7 farmácias. Os profissionais em atividade são :

Médicos - 19

Dentistas - 17

Farmacêuticos - 7

Alfabetização

Das pessoas recenseadas no município, em 1950, de 5 anos e mais, sabem ler e escrever : na sede municipal, 6.715 homens e 6.076 mulheres de um total de 17.180, e nas distritais 823, do total de 1.352 habitantes.

____________