Domingo, 19 de novembro de 2017

ISSN 1983-392X

2006

A comarca de Serrana foi instalada no dia 25 de fevereiro de 2005, de acordo com a Lei nº 11.542 do dia 20 de novembro de 2003.

A comarca não atende nenhum outro município.

Juízes que passaram pela comarca:

  • Dr. Mário Antonio da Silveira
  • Dr. Nelson Paschoal Biazzi Júnior
  • Dr. José Henrique Rodrigues Torres
  • Dr. Carlos de Andrade Vilhena
  • Dr. André Antonio da Silveira Alcântara
  • Dra. Silvana Molandrino Molo
  • Dra. Cínthia Torres Cristofaro
  • Dr. Eliezer Walter Gentilini
  • Dr. Guilherme Infante Marconi

Denominações anteriores: Serrinha.

Fundadores: Seraphim José do Bem.

Data da fundação: Ano de 1876

Foram doadores da primeiras terras para a constituição do Patrimônio da então Serrinha, o Sr. Serafim José do Bem e sua mulher nas datas de 24 de setembro de 1890, 12 de abril de 1893 e 14 de fevereiro de 1906, conforme escrituras transcritas no livro destinado ao Tombo do Custo da Serrinha.

Após os atos de doação, foram as escrituras recebidas pelo Padre Joaquim da Siqueira que aceitou em nome da Santa Cruz de Nossa Senhora das Dores.

Em torno da Cruz de madeira plantada num ponto do patrimônio, agrupam-se habitantes dos ranchos e casas do “arrabalde” para rezarem aos domingos e dias santificados, o rosário ou a Ladainha Lauretana.

Em 218 de agosto de 1912, pela Lei n.° 1 316, foi criado o distrito de Serrinha cuja instalação deu-se a 16 de janeiro de 1913, no município de Cravinhos.

Por força do Decreto n.° 9 775, de 30 de novembro de 1938, contando apenas com o distrito de paz da sede e esta subordinado à jurisdição da Comarca de Ribeirão Preto.
_____________

  • Origem do nome

SERRINHA = pequenas serras
____________

  • Personagens

Rizzoti

Rizzoti nasceu em Serrana em 1909. Estudou decoração na Itália, o que lhe abriu caminho para a pintura.

Expôs na Novara e Turim. Figurou em vários certames brasileiros e, após dedicar-se à pesquisa, participou dos Salões Paulista de Arte Moderna de 1963, 1965 e 1966.

Firme sua presença no cenário artístico brasileiro o Grupo do Santa Helena, assim chamado porque os artistas que o integravam tinham ateliês no velho edifício Santa Helena, na praça da Sé.

Foi um grupo que se desligou da arte pacifica que então dominava - lá pelos idos de 1934 - e partiu para composições modernas. Pouco os incomodavam as investidas de determinados setores da crítica especializada ou até mesmo de seus companheiros. Estavam decididos a criar novas formas e marcaram em São Paulo um novo ponto de referência na arte moderna brasileira.
__________________

  • Locais históricos

Estação ferroviária de Serrana

Aberta em 1914, como ponto final do ramal, Serrana foi desativada em 1956, junto com o ramal. Foi demolida, e em seu lugar existe hoje um ginásio de esportes. Nada sobrou, e não consegui fotos da estação.

Histórico da Linha: O ramal de Jandaia teve o nome derivado da Fazenda Jandaia, situada logo após a Fazenda Cravinhos, pelas quais o leito do ramal passava. Foi aberto em 1910, e ainda nesse ano, a Cia. estudou o seu prolongamento do ramal, chegando até Jatobá, além do rio Pardo e local não identificado. O ramal saía da estação de Bifurcação, no ramal de Cravinhos, e chegava até Arantes, com quase 16 km. O ramal foi desativado em 1956 pela Mogiana e teve os trilhos arrancados logo depois.
________________

  • Curiosidades

Usina da Pedra



Fundada em 1953, a Irmãos Biagi S/A Açúcar e Álcool – cuja matriz fica em Serrana (Usina da Pedra), além de duas filiais em Buritizal (Usina Buriti) e Santa Rosa de Viterbo (Usina Ibirá), todas no interior de São Paulo – emprega, durante a safra, três mil pessoas. A Usina da Pedra tem capacidade de esmagamento de quatro milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra, produzindo 200 mil m³ de álcool e 220 mil toneladas de açúcar.

A vinhaça é um resíduo do processo de destilação, fonte rica em potássio e que também tem cálcio, magnésio, enxofre e micronutrientes. Cada litro de álcool fabricado gera outros 13 litros de vinhaça com diferentes teores de potássio de acordo com a origem. O produto originário do melaço, resíduo da fabricação do açúcar, possui uma concentração de quatro a oito vezes maior do que a gerada na fabricação de álcool. Apesar do valor nutricional do produto ser conhecido desde a década de 50, uma das primeiras unidades a utilizar a vinhaça na adubação foi a Usina da Pedra, de Serrana, em 1974.

Agricultura

Propr. Agric. Existentes - 83
Propr. Agric. com menos de 20 alqueires - 57
Propr. Agric. de 20 a 50 alqueires - 9
Propr. Agric. de 50 a 100 alqueires - 2
Propr. Agric. de 100 a 200 alqueires - 6
Propr. Agric. de 200 a 500 alqueires - 5
Propr. Agric. de mais de 500 alqueires - 4

Variedade de culturas praticadas: Feijão, cana de açúcar, arroz, café, milho, algodão.

Valor global aproximado das propriedades agrícolas: Cr$ 22.100.000,00.

Comércio

Número de firmas taxadas no Imposto de Indústrias e Profissões: 41.

Relação das consideradas grandes firmas :

Ferragens: Casa Borim.

Secos e Molhados: Casa Libanesa, Casa S. Jorge, Casa Serrana.

Fazendas e Armarinhos: Casa S. Benedito, Casa Serrana, Casa S. João.

Padaria e Confeitaria: do Comércio.

Indústria

Número de indústrias tachadas no imposto de indústrias e profissões: 12.

Número de operários trabalhando nas indústrias: 110.

Relação das consideradas grandes indústrias :

Usina de açúcar: Usina da Pedra, Usina S. Manuel.

Correios e Telégrafos

Classe de Agencia: 3ª

Montante da ultima arrecadação: Cr$ 16.378,90.

Serviço de Reembolso Postal: Tem.

Estradas de Ferro

Estradas de ferro que servem o município: Companhia Mogiana (ramal de Serrana) e Companhia São Paulo e Minas.

Distância entre o município e a capital: 423 quilômetros.

Tempo médio de viagem: 11,50 horas.

Custo de passagens entre a capital e o município: 1.ª classe, ida: Cr$ 149,40; ida e volta: Cr$ 239,10. 2.ª classe, ida: Cr$ 77,90; ida e volta: Cr$ 124,50.

Estradas de Rodagem

Distância entre o município e a capital: 359 quilômetros.

Tempo médio de viagem: 7 horas.

Estradas municipais que cortam o município: Cravinhos e Ribeirão Preto.

Transportes Rodoviários: Linhas de ônibus: 1; ligando o município à Ribeirão Preto.

Orçamento Municipal

Orçamento municipal para 1949: Cr$ 300.000,00.

Informações Político-Administrativas

Vereadores municipais: Alcides Costa, João Aguiar, Orlando Fernandes Machado, Namen Isa, João Manfrin, Algemiro Manfrin, Benedito José de Carvalho Ramos, Lázaro Coutinho de Mattos, Geraldo César de Paiva Reis, Maurílio Biagi, Antônio Jacinto Tavares, Premiani Domenico, Francisco Aprile.

Realizações da atual administração: Serviço de rede de água e esgoto, melhoramento de estradas e ruas.

Número de eleitores qualificados: 498.

Zona eleitoral: 109.ª.

Seções eleitorais: 2.

Número de eleitores que compareceram ao último pleito: 243.

Educação

Escolas primárias: grupos escolares de Serrana; número de alunos matriculados: 327.

Escolas isoladas: 4.

Número de crianças em idade escolar afastadas das escolas: 60.

Alfabetização em adultos: número de cursos: 1; matriculados: 35.

Associações esportivas: Serrana Futebol Clube.

Associação recreativas: Clube Recreativo de Serrana.

Informações Urbanas

Número de prédios existentes: 211.

Edifícios públicos: Prefeitura Municipal, Matriz.

Número de ruas: 11.

Número de praças: 1.

Atrações turísticas: Rio Pardo.

Veículos licenciados: a motor: 12; tração animal: 160.

Serviços Públicos

Abastecimento de água: Mantido pela População.

Iluminação: A cargo Cia. Paulista de Força e Luz, que cobra Cr$ 13,80 mensal, com direito a 20 quilowats excesso: Cr$ 0,829 por quilowatt.

Energia elétrica: A cargo da mesma Cia, que cobra Cr$ 13,80 mensal por C. V., ligado ou fração, incluindo 80 KWH. Cr$ 0,138 por KVW, por toda a energia adicionada ou excesso.

Telefones: Serviço da Cia. Telefônica Brasileira, com 27 aparelhos ligados.

Matadouro Municipal: Tem.

Cemitérios: Cemitério Municipal.

Informações Religiosas

Organização da Igreja Católica: Paróquia da Nossa Senhora das Dores.

Organização dos Centros Espíritas: Centro Espírita José do Patrocínio.

Informações Diversas

Médicos: Dr. Geraldo César de Paiva Reis.

Engenheiros: Drs. Silverino Velloso Araújo Lima, Nicolau Krespin, Paulo Henrique Amarante, Oswaldo Biagi.

Dentistas: Dr. Namen Issa.

Farmácias: Machado.

Cinemas: Cine Serrana, com capacidade para 200 pessoas.