Segunda-feira, 26 de junho de 2017

ISSN 1983-392X

2006

A comarca de São Caetano do Sul foi criada de acordo com a Lei nº. 2.456 do dia 30 de dezembro de 1953, e instalada no dia 3 de abril de 1955.

A comarca de São Caetano do Sul não atende nenhum outro município.

Advogado de destaque na década de 50
:


  • Dr. Dirceu de Oliveira Lima

Denominações anteriores: São Caetano.

Fundadores: Luís Baraldi, Antônio Bottan, Luís D'Agostinho, Francisco Ferrari, Caetano Garbelotti e muitos outros.



São Caetano do Sul tem uma história estreitamente ligada aos primórdios da colonização de São Paulo. Após a descoberta do Brasil, inumerosas foram as expedições que chegaram à nova terra, procedentes de Portugal e Espanha. Em uma delas vinham João Ramalho e Antônio Rodrigues. Quando em 1532, Martim Afonso de Souza iniciou a colonização da Capitania de São Vicente, já encontrou João Ramalho, que foi ao litoral para recebe-lo, acompanhado de mamelucos.

Fundada São Vicente, Martim Afonso, instado por João Ramalho transpôs a serra para fundar outro povoado, sendo então criada a vila de Santo André da Borda do Campo que, por sua posição geográfica, teve papel importante no desenvolvimento do território paulista. Situada entre São Paulo e as matas da Serra do Mar, a região era atravessada pelo caminho primitivo dos índios, o qual atingia o ponto mais favorável para transpor a serra e chegar ao litoral. Em 1560, por ato do Governador Geral Mem de Sá, foi extinta a vila, passando seus moradores para São Paulo de Piratininga. Em virtude desse ato governamental, a região ficou votada ao mais completo abandono, embora continuasse servindo de caminho para o mar. Só na primeira metade do século XVII foram organizadas fazendas em que se cultivavam o feijão, a mandioca e o arroz. Em 1631, os frades beneditinos receberam uma porção de terra que constitui a fazenda São Caetano, situada onde hoje se localiza São Caetano do Sul.

Os frades beneditinos, fundadores da Fazenda São Caetano receberam as terras denominadas Tijucuçu por doação de Duarte Machado e Fernão Dias Paes Leme. Intensa foi a atividade dos religiosos na exploração da propriedade, que em pouco tempo se tornou bastante produtiva. Eram famosas sua viticultura e indústria de barro. Por essa época, o rio Tamanduateí representou relevante papel no escoamento da produção da Fazenda de São Caetano: por ele, os produtos eram transportados para São Paulo. Com o decreto do Governo Português, que restringia a recepção de noviços nos institutos monásticos do Brasil e de Portugal, a ação dos religiosos arrefeceu. Na segunda metade do século XIX,ali residiam pouco mais de 10 pessoas. Adquirido pelo Governo Imperial, o sítio foi trasnformado em núcleo colonial, a fim de receber imigrantes. Em 28 de julho de 1877 chegavam italianos vindos da província de Treviso. Encontraram quase um deserto: reduzido número de habitantes e uma igreja, relíquia dos beneditinos, além da mata, cortada pelo leito do Tamanduateí e pelos trilhos da então São Paulo Railway. O governo se propôs a fornecer aos colonos alimentação por dois anos, em troca do que produzissem. Além disso, construiu casas e loteou terras, cuja posse definitiva foi efetivada dois anos depois.

Em 1905, a Câmara Municipal de São Bernardo resolveu considerar São Caetano distrito fiscal. Em 1917 instalou-se o distrito de paz. Em 1938, pelo Decreto nº. 9.775, posto em execução em 1º de janeiro de 1939 o município de São Bernardo, ao qual pertencia o distrito de São Caetano, passou a ter o nome de Santo André, ficando São Bernardo reduzido à condição de distrito daquele. Pelo mesmo decreto São Caetano passou à categoria de 2ª zona distrital do distrito de paz da sede do município de Santo André e pelo Decreto-lei nº. 14.334, de 30 de novembro de 1944, foi transformado em 2º subdistrito. Foi elevado a município, com o nome de São Caetano do Sul pela Lei nº. 233, de 24 de dezembro de 1948. A 30 de dezembro de 1953 foi criada a Comarca de São Caetano do Sul, solenemente instalada a 3 de abril de 1953.
________________

  • Origem do nome

Em homenagem a São Caetano.
______________

  • Personagens

Francisco Matarazzo

O conde Francisco Matarazzo (1854-1937) foi um dos primeiros empresários a se voltar prioritariamente para o mercado interno, numa época em que a economia brasileira era dominada pela exportação de café.

Foi assim desde 1881, quando ele chegou da Itália e abriu uma venda em Sorocaba, no interior paulista. A maior parte das mercadorias que expunha nas prateleiras era importada. A primeira que ele começou a produzir aqui foi a banha de porco, que era importada dos Estados Unidos e as pessoas usavam para cozinhar e conservar alimentos.

No auge, as Indústrias Reunidas F. Matarazzo produziam tecidos, latas, óleos comestíveis, açúcar, sabão, presunto, pregos, velas, louças, azulejos. Matarazzo tinha um banco, uma frota particular de navios, um terminal exclusivo no porto de Santos e duas locomotivas para transportar mercadorias no pátio da sede do complexo industrial, em São Paulo.

Em São Caetano do Sul foi instalado o complexo industrial das Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo em 1913, começando com uma fábrica de caixotes. Por mais de 60 anos a Matarazzo permaneceu em São Caetano produzindo produtos químicos, visco-seda e cerâmica.

Vladimir Capela

Nascido em São Caetano do Sul,onde mora até hoje, no dia 31 de Julho de 1951. Autodidata, começou sua carreira fazendo músicas para teatro, depois foi ator e, logo a seguir, passou a escrever e dirigir espetáculos destinados ao público infanto-juvenil em 1978.

Sempre aclamado pela crítica especializada como um dos melhores dramaturgos e diretores de teatro para crianças e adolescentes em São Paulo, recebeu por, várias vezes, todos os prêmios atribuídos aos artistas de sua área. Molière, APCA, Mambembe, Governador do Estado e Apetesp, foram alguns deles.

Sua obra completa é composta de 15 textos de teatro e 1 romance infanto-juvenil. Todos, já em fase de negociação, estarão sendo lançados brevemente pela editora Letras & Letras.
______________

  • Locais Históricos

Museu Histórico Municipal (Palacete de Nardi)

O Palacete de Nardi, onde está instalado o Museu Histórico Municipal, foi construído em 1892 por Celeste de Nardi, um dos imigrantes italianos que aqui chegou com a primeira leva de colonizadores, em 28 de julho de 1877.

O prédio foi utilizado como escola, sede de clube, e encontrava-se abandonado nos anos da década de 1980. Em dezembro de 1988, após sua restauração, passou a abrigar o Museu Histórico Municipal.

Hoje o Museu abriga um acervo de objetos e utensílios, doados pela comunidade sancaetanense, que ajudam a contar a história do desenvolvimento da cidade desde o tempo dos imigrantes, das olarias, da industrialização, da autonomia político-administrativa, até os dias atuais.

Igreja São Caetano (Matriz Velha)

A origem da atual Igreja São Caetano (Matriz Velha) remonta à fundação da primitiva capela dedicada ao santo São Caetano entre os anos de 1717 e 1720, neste mesmo local.

O atual templo foi construído a partir de 1883 pelos imigrantes italianos. Em 1908, a igreja já tinha os seus contornos atuais, porém sem a torre construída posteriormente para dar proteção aos sinos já instalados. Em 31 de março de 1924, passou à condição de Paróquia de São Caetano.

Em 1992, após escavações arqueológicas realizadas em seu entorno, foi descoberto o piso da capela de 1777, que está exposto na vitrine ao lado da Igreja.

Igreja Matriz Sagrada Família

A Igreja Matriz Sagrada Família foi inaugurada em 6 de julho de 1937, após a desativação da Igreja Matriz Velha. Sua arquitetura foi obra do padre Alexandre Grigoli, da Congregação dos Estigmatinos.

As obras da construção da igreja foram iniciadas em 1932, em terreno doado à Paróquia de São Caetano pela família de Ernesto Baraldi. A obra foi erguida entre 1933 e 1938, e a primeira missa foi celebrada no Natal de 1936.

Uma das características mais importantes deste templo é a qualidade da pintura sacra executada pelos irmãos Gentille, Pedro e Ulderico, de reconhecimento internacional.

Cinema Central

O cinema central foi inaugurado na Rua Perella como o primeiro cinema da cidade, que até então só possuía cinematógrafos, aparelhos de projeção portáteis, que exibiam filmes em diversos locais, como clubes, salões de festas e até residências.

O primeiro filme exibido foi Argila Humana, de Milton Sills. Posteriormente, este cinema passou às mãos de Maximiliano Lorenzini, que dirigiu até 1949, quando encerrou as atividades devido à inauguração do Cine Max, também de propriedade da família Lorenzini.

Estação Ferroviária

A Estação Ferroviária de São Caetano do Sul foi inaugurada em primeiro de maio de 1883, com apenas um edifício e a plataforma da Rua Perella. Foi construída ao lado da passagem de um caminho antigo. Em 1896, a estação foi ampliada, ganhando uma plataforma de 120 metros de comprimento, decorrente da duplicação da linha. Além disso foi construído um armazém de cargas e quatro casas para os empregados.

Na década de 1970, a antiga estação ferroviária foi demolida para a construção da atual, e o armazém de cargas foi demolido para a abertura da Praça Anacleto Campanella e o primeiro módulo do Terminal Rodoviário de São Caetano do Sul.

Histórico da Linha: A São Paulo Railway - SPR ou popularmente "Ingleza" - foi a primeira estrada de ferro construída em solo paulista. Construída entre 1862 e 1867 por investidores ingleses, tinha inicialmente como um de seus maiores acionistas o Barão de Mauá. Ligando Jundiaí a Santos, transportou durante muito anos - até a década de 30, quando a Sorocabana abriu a Mairinque-Santos - o café e outras mercadorias, além de passageiros de forma monopolística do interior para o porto, sendo um verdadeiro funil que atravessava a cidade de São Paulo de norte a sul. Em 1946, com o final da concessão governamental, passou a pertencer à União sob o nome de E. F. Santos-Jundiaí (EFSJ). O nome pegou e é usado até hoje, embora nos anos 70 tenha passado a pertencer à REFESA, e, em 1997, tenha sido entregue à concessionária MRS, que hoje a controla. O tráfego de passageiros de longa distância terminou em 1997, mas o transporte entre Jundiaí e Paranapiacaba continua até hoje com as TUES dos trens metropolitanos.

Antiga sede da Prefeitura e da Câmara (Atual Casa do Artesão)

O prédio foi utilizado para a primeira sede da Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul em 1949. Em outubro de 1968, o prédio foi ocupado pela Associação Cultural Recreativa e Esportiva Luiz Gama. Em 2001, a Prefeitura transformou o prédio na Casa do Artesão, onde artesãos e artistas plásticos cadastrados vendem seus produtos.
____________

  • Curiosidades

Corporação Musical

Formado em 28 de janeiro de 1958, com o nome de Corporação Santa Cecília, o grupo é constituído, atualmente, por 45 músicos e dois maestros. Entre seus principais instrumentos estão as flautas, clarinetes, requintas (instrumentos de palhetas), sax alto e tenor, trombones, trompas, baixos e baterias.

Fundação das artes

Existente desde 25 de abril de 1968, a Fundação das Artes de São Caetano do Sul integra a seleta lista de entidades que promovem a cultura, formando profissionais e platéias. A entidade prepara cidadãos capazes de se comunicar através da arte, dotando-os dos instrumentos necessários a produção de obras nas áreas de música, dança, teatro e artes plásticas. Ao mesmo tempo, cria gerações de espectadores com projetos voltados para o desenvolvimento sociocultural da comunidade. É um trabalho educativo, que visa atrair pessoas e ampliar o percentual de moradores afeito às artes, inclusive à música erudita.

Pinacoteca

Porta aberta para a arte e o acesso à cultura em São Caetano do Sul, a Pinacoteca Municipal possui áreas específicas destinadas à ação educativa, montagem de exposições e laboratório fotográfico, dentro de modernos parâmetros da Museologia, como a preocupação com a preservação das obras, cuidados com a iluminação do local, vigilância e projeção de layout. Além de valorizar o trabalho de artistas de São Caetano e região, a Pinacoteca tem a função de formar um público, aproximando a arte das pessoas, e educacional, através da realização de atividades lúdicas, didáticas e práticas.

Inaugurada em abril de 2002, integra o Complexo Educacional de Ensino Fundamental. Já abrigou as exposições Retrospectiva – 11 Anos de Salões de Arte Contemporânea de São Caetano do Sul; O Toque Revelador – Retratos e Auto-Retratos; Panorama ABC; Vitrine – Mostra Coletiva de Artistas de São Caetano do Sul; Sacilotto – Obra Gravada – Completa; e pelo projeto Diálogos exposições dos artistas Sinval Corrêa Soares, Hannah Brandt, João Suzuki, Sérgio Niculitcheff e Gregório Gruber.

Parque Botânico Presidente Jânio da Silva Quadros

Com uma área de 23 mil metros quadrados, é um ótimo parque para passeios. Possui quiosques, lago com carpas, gruta, fonte e árvores frutíferas. Abriga também a Escola de Ecologia Presidente Jânio da Silva Quadros, uma referência em educação ambiental para os estudantes da cidade e região. A escola possui laboratórios, estufas, canteiros de mudas, recintos com animais e a sala Ciências da Terra.

Parque Santa Maria

O Parque Santa Maria tem pista de cooper (com barras para ginástica), lago, lanchonete, anfiteatro a céu aberto (com palco e camarim), playground, pequenas ilhas com fonte, três quadras poliesportivas, sendo uma coberta, área para guardar bicicletas, telefones públicos, sanitários com duchas, enfermaria e sala para médicos. Localizado em uma área de 9.765 metros quadrados, o Parque Santa Maria teve um papel importante na reurbanização do local.



Hino

"São Caetano pequeno gigante

Sob um céu estrelado e de anil

És cidade, trabalho, és progresso

És infante do nosso Brasil.

Do passado nos resta lembrança

De heróis que souberam te erguer

Para frente, para frente

São Caetano, tu tens que crescer.

Do triângulo, jóia rara

Dá exemplo de teu vigor

E tua luta não pára

É grande o teu valor. (Bis)

Mais e mais chaminés se levantam

Apitos fazem-se ouvir

Do trabalho é tua glória

De grandeza será teu provir.

No futuro será monumento.

Brasil saberá te eleger

Para frente, para frente

São Caetano, tu tens que crescer."

Letra - José de Almeida Filho
Música - Roberto Manzo

Comércio

Número de firmas taxadas no Imposto de Indústrias e Profissões: 1.320

Relação das consideradas grandes firmas:

Ferragens: Casa Weigan, Casa Vincenzi.

Tecidos: Rafael Luiz, Casa Lopes, Casa Mary Stela.

Calçados: Casas Dirceu, Casas Walter, Calçados Upa.

Secos e Molhados: Casa Massei, Mercadinho da Cerâmica, O. Lopes & Cia.

Confeitaria: Bar e Confeitaria Trianon, Bar e Confeitaria Brasil, Padaria e Confeitaria Central.

Peças e acessórios: Pezzolo, Campanella & Cia. Ltda., Ao Rei das Peças.

Rádios: Ângelo Rosseto, Alexandre Machia, Timpani.

Alfaiataria: Antônio Tegão, Francisco Franzi, Francisco Bago Filho, Alfaiataria Mantovani, Crediário Irko.

Cofres e Máquinas: João Heger.

Móveis: Paulo Ostrowisk, Isaac Goldberg, Gumercindo A. Breviglieri.

Colchões: David Cohen.

Indústria

Número de firmas taxadas no Imposto de Indústrias e Profissões: 240.

Número de operários trabalhando nas indústrias: 14.500.

Capital invertido na indústria: Cr$ 1.000.000.000,00

Relação das consideradas grandes indústrias:

Montagem de automóveis: General Motors do Brasil S/A.

Cerâmicas: Cerâmica São Caetano S/A, Cerâmica Americana S/A, Cerâmica Ind. Majólica Paulista, Cerâmica Scattone, Prior & Cia. Ltda., Cerâmica Itabrasil S/A.

Tecelagem: Indústria Têxtil São Caetano, S.A.I.R.F. Matarazzo, TECELAGEM Ninatex, Tecelagem Monte Alegre, Crispim Tonet, Lanifício São Caetano, Ezio Loipes, Fiação e Tecelagem Nice S/A, Irmaões Zorzi.

Fundição: Antônio de Vita, Cia. Brás. Mineração e Metalurgia, Cia. Siderúrgica São Caetano, Elevadores Atlas S/A, Francisco Poszbiegel, Plácido Pascoal.

Metalurgia: Mateus Constantino, Metalúrgica Barile, Metalúrgica Monte Alegre, Metalúrgica Paraíba, Metalúrgica São Francisco, Metalúrgica Zaga.

Tecidos de Raion e algodão: Postiglione e Rathsam Ltda., N. Hanania & Cia., Corazza & Irmãos.

Gêneros Alimentícios: Arquimedes Vicenzi & Cia., Carvale & Casseta, Indústria e Comércio de Bebidas São Caetano, Moinho Santa Clara, Natale Segato.

Produtos Alimentícios Nacionais: Refinadora de óleos Brasil, Produtos Alimentícios Linguatto.

Serraria: Andreucci & Pandolfi, Irmãos Dall'Antônia.

Serralheira: Cecchi, Martins e Cia. Ltda., Parrela & Paladino, Sociedade Sit. Ltda.

Velas: Dal'Mas S/A, Matalquimica Glória.

Porcelanas: Porcelana Rex Ltda., Porcelana Monte Alegre, S.A.I.R.F., Matarazzo, Manufatura Brasileira de Louças Ltda., Minoru Toyoda, Indústria Paulista de Porcelanas Argilex.

Olaria: Adelino Stefanini, Ângelo Santi, Domingos Perim, Ernesto Antônio da Silva.

Produtos Químicos: Usina Colombina, Soc. Produtos Eletrolíticos e Sintéticos SIPES, Quatro Paus Ind. Químicas, Irmãos Von Zeidler, Fab. Produtos Químicos, Auxiliares Brasitex, F. Assunção & Cia. Ltda. Soc. Nacional Fabril.

Chinelos: Chinelos Floreal Ltda.

Artefatos de Ferro: Ferro Enamel.

Botões: Indústria de Botões São Jorge Ltda., Indústria de Botões São Caetano Ltda., Indústria Aliberti Ltda.

Bancos

Bancos com matriz no município: Casa Bancária São Caetano S/A.

Agência ou filiais de bancos no município: Banco de São Paulo S/A, Banco Noroeste do Estado de São Paulo S/A, Banco Mercantil S/A.

Coletoria Federal

Arrecadação em 1948: Cr$ 69.594.000,00

Total da arrecadação do Imposto de Renda: Cr$ 43.000.000,00

Idem do Selo de Educação de Saúde: Cr$ 100.000,00

Correios e Telégrafos

Classe da agência: 3ª

Montante da última arrecadação: 46.798,20

Estradas de Ferro

Estradas de Ferro que servem o município: Estradas de Ferro Santos à Jundiaí.

Distância entre o município e a capital: 11 quilômetros.

Tempo Médio de Viagem: 15 minutos.

Custo de passagens entre a capital e o município: Cr$ 1,80.

Número de trens diários entre o município e a capital: 43.

Estradas de Rodagem

Distância entre o município e a Capital: 11 quilômetros

Tempo Médio de Viagem: 20 minutos.

Estradas municipais que cortam o município: Meninos a São Caetano e Santo André a São Paulo.

Transportes Rodoviários: Empresas de ônibus existentes: 3. Auto-Bus Empresa Auto Ônibus, Empresa Auto Ônibus Santo André e Empresa Capuava Auto Ônibus S.A.

Orçamento municipal

Orçamento municipal para 1949: Cr$ 8.943.000,00

Informações Político-administrativas

Atual prefeito municipal: Dr. Ângelo Rafael Pelegrino.

Vereadores municipais eleitos: Acácio Novais, Alfredo Rodrigues, Antonio Dardis Neto, Arlindo Marchettii, Artur Zago, Antonio Moreno Rodrigues, Concetto Constantino, Genésio Carlos Alvarenga, Geraldo Cambauva, Giácomo Garbelotto Neto, Jacob João Lorenzini, Jordano P. S. Vincenzi, José Lopes Filho, Laurinston Garcia, Luís Rodrigues Neves, Mário Rades, Moisés Chapeval, Olga Montanari Melo, Oswaldo Bisquolo, Oswaldo Samuel Massei, Victorio Marcucci.

Realizações da atual administração: Calçamento em diversas vias de comunicação e estudos dos serviços de águas e esgotos.

Número de eleitores qualificados: 20.000

Zona eleitoral: 6ª.

Seções eleitorais: 36.

Número de eleitores que compareceram ao último pleito: 10.000.

Educação

Escolas secundárias: Ginásio de São Caetano, Escola Técnica de Comércio de São Caetano.

Escolas primárias: grupos escolares: 4; particulares: 5; número de alunos matriculados: 2.000.

Escolas urbanas: 12.

Escolas isoladas: 1.

Número de crianças em idade escolar afastadas das escolas: 50.

Alfabetização de adultos: número de cursos: 2; matriculados: 70.

Associações esportivas: São Caetano E. C., General Motors E. C., Cerâmica F. C.

Associações recreativas: Clube Comercial, Clube Jaraguá, S. Caetano E. C., General Motors E. C., Clube Rio Branco.

Saúde

Serviços de saúde: Pronto Socorro de São Caetano, mantido pela prefeitura.

Montante da arrecadação do selo de educação e saúde no último exercício: Cr$ 100.000,00

Informações Urbanas

Número de prédios existentes: 6.740.

Edifícios públicos: Prefeitura Municipal, Delegacia de Polícia e Cadeia Pública, Matriz de São Caetano, Centro de Saúde.

Número de ruas: 219

Número de praças: 5

Imprensa: "Jornal de São Caetano", fundado em 1947. Diretor: Mario Rodrigues. "Folha do sul", fundada em 1949. Diretor: professor Teófilo Souza Carvalho.

Veículos licenciados: a motor: 1.196; tração animal: 287.

Serviços públicos

Abastecimento de água: Mantido pela prefeitura de S. André.

Rede de esgotos: Mantido pela prefeitura local

Iluminação: Serviço da Light & Power The S. Paulo Tramway Light & Power, cobrando 0,65 por quilowatt-hora.

Energia Elétrica: Mantida pela The São Paulo Tramway Light & Power, cobrando 0,50 por quilowatt-hora.

Telefones: Tem

Calçamento: 55.300 metros quadrados.

Cemitérios: Cemitério São Caetano e Cemitério Saudades.

Bibliotecas: General Motors E. C., São Caetano F. C.

Guarda Noturna: Mantida pela população.

Informações Religiosas

Organização da Igreja Católica: Paróquia de São Caetano.

Organização da Igreja Protestante: Igreja Batista de São Caetano, Igreja Cristã Presbiteriana Filadélfia, Igreja Metodista do Brasil.

Organização dos Centros Espíritas: Centro Espírita Amor e Caridade Joana D'Arc.

Informações Diversas

Médicos: Drs. Abib João Kinch, Carlos Peixoto, José Luiz Flaquer Neto, Nelson Penteado, Nelson da Silva Carvalho, Souza Voto.

Engenheiros: Drs. Paulo Ferreira Lopes, Armando de Arruda Pereira, Afonso Martines Abelar.

Dentistas: Drs. Anísio Amaral, Carlos Paez, João Lourenço de CASTRO, José Eduardo de Rezende, Edgar Opki, Heriberto Pereira Guimarães, Maurício Schawartz, Moise Chapeval, Teodoro de Macedo, Walfredo Ramos Brandão.

Farmácias: Santa Rita, São Paulo, Socorro, Coração de Jesus, Européia, Paratodos, Paulista, São Caetano, Brasil, Paolono, N. S. Auxiliadora, N. S. da Penha, Cerâmica, Santo Antônio, N. S. Aparecida, São Judas Tadeu.

Drogarias: Drogunidas, Drogatem.

Cinemas: Cine Max, com capacidade para 2.260 pessoas. Cina Urca, com capacidade para 1.113 pessoas. Cine Parque, com capacidade para 500 pessoas.

Corporações musicais: 2.

Conjuntos orquestrais: 8.

Grupos de amadores teatrais: 1.