Terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

ISSN 1983-392X

2006

Já sendo vila, quando foi criada a comarca de São Paulo, em 1700, ficou pertencendo a esta; termo de Jacareí, S. José e Paraibuna, 2ª comarca (Capital), pelo Ato do Presidente da Província, em Conselho, de 23 de fevereiro de 1833; termo reunido de Jacareí com S. José, comarca de Jacareí, pelo dec. nº 162, de 10 de maio de 1842; idem da comarca de Jacareí, pela lei nº11, de 17 de julho de 1852.

Esta comarca foi criada com os municípios de Jacareí, S. José, Santa Isabel, Paraibuna, Mogi das Cruzes, S. Sebastião e Vilabela, (hoje Formosa).

Foram incorporados os municípios de Santa Branca, pela lei nº1 de 5 de março de 1856 e S. José do Paraítinga (Salesópolis), pela lei nº9, de 24 de março de 1857.

Reorganização pela lei nº16, de 30 de março de 1858, ficou constituída dos municipios de Jacareí, S. José, Mogi das Cruzes, compreendendo S. José do Paraitinga, Santa Isabel e Santa Branca.

Foram desanexados por essa mesma lei os municípios de Paraibuna, S. Sebastião e Vilabela (hoje Formosa).

De novo organizada pela lei nº 61, de 20 de abril de 1866, ficou composta dos seguintes municípios: Jacareí, S. José do Paraíba, hoje S. José dos Campos, Santa Branca, Santa Isabel, S. José do Paraitinga e Mogi das Cruzes.

Foram desanexados os municípios de S. José dos Campos, pela lei nº46, de 6 de abril de 1872; S. José do Paraitinga e Mogi das Cruzes, pela lei nº29, de 14 de março de 1874 e Santa Branca e Santa Isabel, pela lei nº80, de 25 de agosto de 1892.

Jacareí ficou pertencente à comarca de:

Comarca da Capital – 1700
2ª Comarca (Capital) – 1833
Comarca de Jacareí – 1852

A comarca de Jacareí não atende nenhum outro município.

Advogados de destaque na década de 50:

  • Dr. Pedro Vergueiro
  • Dr. José Ramos de Freitas

Fundadores: Antônio Afonso e seus filhos, Francisco Estevão e Bartolomeu.

Data da fundação: Ano de 1652.

Jacareí foi fundado em território de Mogi das Cruzes. Em 1652, Antonio Afonso e seus filhos Francisco, Estevão e Bartolomeu Afonso com suas famílias e agregados, vindo das bandas de Piratininga, estabeleceram-se à margem direita do Paraíba, entregando-se à exploração da terra. Pouco depois erigiam uma modesta capela, sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição. Com o auxílio dos pacíficos silvícolas, o arraial prosperou e um ano após o estabelecimento dos Afonsos, em 3 de abril de 1653, foi elevado à vila pelo donatário da capitania Itanhaém D. Diogo de Faro e Souza, conde da Ilha do Príncipe, representado pelo capitão-mor Jorge Fernandes da Fonseca.

A Carta Régia de 27 de outubro de 1700, criadora da comarca de São Paulo deu-lhe o nome de vila de Paraíba. Mais tarde, passou a denominar-se Jacareí. Não se sabe a origem exata do nome, porém consta dos arquivos da Municipalidade que em tempos idos, existia nas lagoas e no rio Paraíba, grande abundância de jacarés, cuja presença, embora em menor escala, ainda se constatava até há pouco tempo, e, que por ocasião de um convescote, realizado à margem do rio e próximo à lagoa em cuja margem está localizada a Escola Profissional Agrícola, um dos componentes do grupo que ali se divertia, observando um grande bando de jacarés, chama a atenção dos companheiros, e, estes em uníssono manifestaram sua admiração com um prolongado hii... Foi esta simples interjeição que, ligada a jacaré, deu como resultado: Jacareí.

Pela lei nº17, de 3 de abril de 1849 foi elevado a município com a vila de Paraíba (Jacareí). Foram incorporados: Paraibuna, pelo Alvará de 7 de dezembro de 1812; Santa Branca, pela lei nº11, de 20 de fevereiro de 1841; São José dos Campos, data ignorada. Foram desmembrados: São José dos Campos, pela Ordem de 27 de julho de 1767; Paraibuna, Decreto de 10 de julho de 1832; Santa Branca, Lei nº 1, 5 de março de 1856. Atualmente, Jacareí conta de um único distrito de paz, o de Jacareí.
____________

  • Origem do Nome

Devido à existência abundante de Jacarés.
____________

  • Personagens

João da Costa Gomes Leitão

O alferes João da Costa Gomes Leitão nasceu em Braga, Portugal, em 1805. Faleceu na década de 70 do século XIX em Jacareí. No Brasil, instalou-se em Jacareí, destacando-se como negociante, cafeicultor e escravocrata. Formou uma grande fortuna, possuindo várias propriedades rurais, emprestando dinheiro a fazendeiros mediante a hipoteca de terras e escravos e sendo um dos acionistas na construção da Estrada de Ferro São Paulo-Rio. Como testemunho de sua riqueza e poder, construiu uma residência em grande estilo, finalizada em 1857, na qual recebeu várias personagens que freqüentavam a corte imperial. O Solar Gomes Leitão, localizado na Rua XV de Novembro, foi tombado como patrimônio estadual e abriga, desde 1981, o Museu de Antropologia do Vale do Paraíba.

José Maria de Abreu

José Maria de Abreu nasceu em 07 de fevereiro de 1911 na cidade de Jacareí e faleceu em 11 de maio de 1966, no Rio de Janeiro. Filho do maestro Juvenal Roberto de Abreu mudou-se aos oito anos para São Paulo e aos vinte anos para o Rio de Janeiro. Lá se destacou como compositor, fazendo valsas, canções e samba-canções, chegando a gravar mais de trezentas valsas. Compôs, também, fox, sambas, músicas carnavalescas e jingles comerciais. Além de pianista e pintor, exerceu a função de maestro da Companhia de Dercy Gonçalves, no Teatro João Caetano no Rio de Janeiro. Musicou várias peças de revistas para outras companhias, como a Cia. de Revistas de Walter Pinto, com o espetáculo “Muié Macho Sim Sinhô”. Expoente do gênero popular, suas músicas foram gravadas por intérpretes respeitáveis, como Francisco Alves, Orlando Silva, Carlos Gualhardo, Sylvio Caldas, Dick Farney, Elis Regina, Gal Costa, entre outros. Entre várias homenagens a ele prestadas, a Fundação Cultural de Jacarehy o elegeu como patrono desde 1993.

Henrique de Macedo

Henrique de Macedo nasceu em Jacareí em 29 de dezembro de 1880 e faleceu em São Paulo a 21 de setembro de 1944. Intelectual de projeção nos meios literários de São Paulo e do Brasil, atuou como prosador, poeta, jornalista e tradutor de poesias. Também escreveu letras de hinos e músicas, e trabalhos esparsos sobre espiritualismo e esoterismo. Foi membro da Academia de Ciências e Letras, autor dos livros “Pátria brasileira” (prosa), “Paisagens que Passam” (crônicas), “Prosa Nobre” (conferências teosóficas e maçônicas) e “Nova Primavera” (versos).

Coronel Carlos Porto

Carlos Frederico Moreira Porto nasceu em Jacareí em 28 de setembro de 1856. Participou ativamente da política local e regional, chegando a ser eleito deputado estadual em 1897. Foi nomeado tenente da Guarda Nacional em 1881. Em 1893, obteve o título de coronel comandante superior da Guarda Nacional da Comarca de Jacareí pelo Marechal Floriano Peixoto. Dedicou atenção especial à área da Educação, destacando-se na implantação e consolidação do Primeiro Grupo Escolar de Jacareí, que o homenageou dando o seu nome à escola. O 1º Grupo Escolar iniciou suas atividades em 1896 no antigo Solar Gomes Leitão, antes da instalação do Museu de Antropologia do Vale do Paraíba. Em 1980 foi transferido para edifício localizado atrás do Solar.
______________

  • Locais Históricos

Praça Padre Anchieta

Considerado por alguns pesquisadores como o sítio inicial da fundação de Jacareí, local onde acontece tradicionalmente a festa da Padroeira da cidade no dia 08 de dezembro. A igreja Matriz da Imaculada Conceição tem referências datadas do século XVIII, o atual edifício é uma construção de taipa, de meados do século XIX.

Praça Conde Frontin

Denominada anteriormente como Largo do Bom Sucesso e passou a chamar-se Conde de Frontim pó volta de 1915, em homenagem ao Diretor da Central do Brasil. O edifício da igreja do Bonsucesso data do início do século XX.

Museu de Antropologia do Vale do Paraíba - MAV

Construído em 1857 para ser residência de João da Costa Gomes Leitão, passou a abrigar o Grupo Escolar Carlos Porto em 1895. Em 1978 foi tombado como patrimônio histórico pelo Condephaat e passou a ser a sede do Museu de Antropologia do Vale do Paraíba.

Igreja Nossa Senhora dos Remédios

Não existe certeza quanto à data de sua construção. Algumas hipóteses sugerem o século XVIII mas é improvável pois os dados mais antigos são de 1855 e 1856 (livros no. 38 e 40 da freguesia de Jacareí, arquivo do Estado de São Paulo). A igreja passou por um processo de restauro e está tombada pelo CONDEPHAAT. Atualmente a igreja Nossa Senhora dos Remédios pertence ao patrimônio do município.

Estação de Jacareí

A estação de Jacareí foi aberta em 1876 pela E. F. do Norte. Em 1925, foi entregue o prédio atual, demolindo-se o original. A linha ali está abandonada há anos, por causa da não utilização do trecho desde 1993, mas, perto da estação, a linha está limpa como se ainda fosse utilizada. O prédio foi reformado em 2000, e abriga hoje um centro cultural. Em fevereiro de 2004, foram retirados os trilhos da parte urbana da cidade, pela Prefeitura, mesmo contra a ordem da RFFSA e do Ministério Público.

Histórico da linha
: Em 1869, foi constituída por fazendeiros do Vale do Paraíba a E. F. do Norte (ou E. F. São Paulo - Rio), que abriu o primeiro trecho, saindo da linha da S.P.R. no Brás, em São Paulo, e chegando até a Penha. Em 12/05/1877, chegou a Cachoeira (Paulista), onde, com bitola métrica, encontrou-se com a E.F.Dom Pedro II, que vinha do Rio de Janeiro e pertencia ao Governo Imperial, constituída em 1855 e com o ramal, que saía do tronco em Barra do Piraí, Província do Rio, atingindo Cachoeira no terminal navegável dois anos antes e com bitola larga (1,60m). A inauguração oficial do encontro entre as duas ferrovias se deu em 8/7/1877, com festas.

As cidades da linha se desenvolveram, e as que eram prósperas e ficaram fora dela viraram as "Cidades Mortas"... O custo da baldeação em Cachoeira era alto, onerando os fretes e foi uma das causas da decadência da produção de café no Vale do Paraíba. Em 1889, com a queda do Império, a E.F.D.Pedro II passou a se chamar E.F.Central do Brasil, que, em 1890, incorporou a E.F. do Norte, com o propósito de alargar a bitola e unificá-las. Os trabalhos começaram em 1902 e terminaram somente em 1908. Em 1957 a Central foi incorporada pela Refesa.

O trecho entre Mogi e São José dos Campos foi abandonado no fim dos anos 80, pois a construção da variante do Parateí, mais ao norte, foi aos poucos provando ser mais eficiente. Em 31 de outubro de 1998, o transporte de passageiros entre o Rio e São Paulo foi desativado, com o fim do Trem de Prata, mesmo ano em que a MRS passou a ser a concessionária da linha. O transporte de subúrbios, existente desde os anos 20 no ramal, continua hoje entre o Brás e Estudantes, em Mogi.
_____________

  • Curiosidades

Parque dos Eucalíptos

O parque, construído na década de 70, possui 28 mil metros quadrados de área e está localizado na região central da cidade. Possuem área para recreação, esportes, playground, lago artificial e área para feiras e eventos. Muito freqüentado por habitantes de todas as idades, proporciona ótimos momentos de relaxamento e diversão à sombra de seus eucaliptos.

Represa do Jaguari

Construída em 1973, no rio Jaguari. Localizada entre Jacareí e São José dos Campos, oferece uma bela paisagem, além de área de pesca e lazer. Muito utilizada para a prática de esportes náuticos.

Hino

"Antonio Afonso, homem eterno
O fundador, o pai e o herói
deste torrão gentil e mui terno
que a grandeza da Pátria constrói!
Berço puro de filhos brilhantes,
tradição de inegável valor,
teu passado foi feito de instantes
de trabalho, de força e de amor!
Morada do Progresso
luto por ti!
Cidade - paz
Jacareí
E bem sei que o futuro não dista
novamente serás
grande Atenas Paulista

És terra e a todos encanta
E ver teu Rio Paraíba altaneiro
é perceber que o vento nos canta
grande ventura em ser brasileiro!
Os teus bairros tranquilos, serenos
tuas praças e teus cidadãos
que são negros, são loiros, morenos
sempre iguais como puro irmãos!

E a tua alma é um sonho brilhante,
pra conduzir teu povo feliz!
És bela flor do vale gigante
bem como orgulho deste país!
Lar de escolas, de fé e de igrejas,
De comércio tão firme e leal!
Lar da indústria, é preciso que sejas
deste vale a incomum capital!"

Letra - Benedito José Mendes e Silva
Música - Messias Santos



Agricultura

Prop. Agríc. Existentes: 1.509
Prop. Agríc. Com menos de 20 alqueires: 1.363
Prop. Agríc. De 20 a 50 alqueires: 88
Prop. Agríc. De 50 a 100 alqueires: 32
Prop. Agríc. De 100 a 200 alqueires: 18
Prop. Agríc. De 200 a 500 alqueires: 7
Prop. Agríc. De mais de 500 alqueires: 1

Variedade de culturas praticadas: café, arroz, milho, feijão, frutas e legumes.

Valor global aproximado das propriedades agrícolas: Cr$ 337.000.000,00

Comércio

Número de firmas taxadas no Imposto de Indústrias e Profissões: 626

Relação das consideradas grandes firmas (*):

Secos e Molhados: Roberto Martins & Cia. Ltda., Casa Maria Toledo Ltda., Chaquib S. Ahmed, Amin Esper & Filhos.

Tecidos: Tecidos Buri S. A., Casa Madidi Ltda.

Representações: Irmãos Scanove.

Gasolina e Peças de Automóvel: Alfredo de Campos, Irmãos Esper, Álvaro Piovesan, Agência Ford, Zonzini & Cia. Ltda., J. G. Mello & Cia

Material para construção: Pedro Scalissi & Filho Ltda., Benedito Garbocci.

Indústria

Número de Indústrias taxadas no imposto de Indústria e Profissões: 55

Relação das consideradas grandes indústrias (*):

Malharia e Fiação: Malharia Nossa Senhora da Conceição S. A., Malharia Coração de Jesus, Indústria de Meias Vale do Paraíba, Industria de Meias Maluf, Mogames & Cia., Meias Zélia, Fiatex S. A.

Fábrica de Macarrão: Batista Scanove, Rudolf Burgemeistar & Filho.

Refrigerantes: Refrigerante Vale do Paraíba S. A.

Destilaria: Destilaria Continental.

Biscoitos: Biscoitos Jacaré Ltda

Cartonagem: Cartonagem Progresso Ltda.

Cortume: Cortume Jacareí.

Benefício de Arroz: Jorge Abrahão, Roberto Martins & Cia. Ltda., Amim Esper & Filhos, Irmãos Rustom, Farez Rustom.

Bancos

Agências ou filiais de bancos no município: Banco Paulista do Comércio S/A., Banco Nacional da Cidade de São Paulo S/A, Banco Moreira Sales S/A, Banco do Vale do Paraíba S/A.

Caixa Econômica Federal

Número de depositantes: 5.102
Montante dos depósitos: Cr$ 11.275.095,50

Coletoria Estadual

Arrecadação em 1948: Cr$ 3.779.800,00

Coletoria Federal

Total de arrecadação do imposto de renda: Cr$ 262.508,00 (1ª coletoria). Cr$825.83000 (2ª coletoria)
Idem do Selo de Educação e Saúde(1949): Cr$ 25.608,00 (1ª coletoria) Cr$ 13.761,60 (2ª coletoria)
Renda Federal de 1949: Cr$ 1.941.786,70 (1ª coletoria) Cr$ 1.668.323,80 (2ª coletoria)

Correios e Telégrafos

Classe de Agência: 2ª.
Montante da última arrecadação: Cr$ 218.953,20.
Serviço de Reembolso Postal: Tem.
Montante de arrecadação de taxas de Reembolso Postal: Cr$ 137.098,40
Outras agências postais existentes no município: Agência Postal de Bom Jesus.

Estradas de Ferro

Estradas de Ferro que servem o município: Estrada de Ferro Central do Brasil.

Distância entre o município e a capital: 92 quilômetros.

Tempo médio da viagem: 2,20 horas.

Custo da passagem entre a capital e o município: 1ª classe: Cr$ 59,00; 2ª classe: Cr$ 23,90

Número de trens diários entre o município e a capital: 16

Estradas de Rodagem

Estradas estaduais que cortam o município: São Paulo a Santa Bárbara.

Distância entre o município e a capital: 94 quilômetros.

Tempo médio de viagem: 2 ½ horas.

Estradas municipais que cortam o município: 291 quilômetros

Transportes Rodoviários: Auto Viação Marita Ltda., Empresa de ônibus Mogi das Cruzes e Empresa Pássaro Marron.

Aviação

Localização do campo de pouso: Defronte o cemitério, no terreno dos senhores Mendes, Costa & Bonanno.

Orçamento Municipal

Orçamento Municipal para 1949: Cr$ 2.370.000,00.

Arrecadação de 1948: Cr$ 1.600.000,00

Despesa em 1948: Cr$ 1.600.000,00

Informações Político-Administrativas

Atual Prefeito Municipal: Roberto Lopes Leal.

Vereadores Municipais: Luís de Araújo Maximo, Pedro Vergueiro, Ubirajara Mercadante Loureiro, José Augusto Gaspar dos Santos, José Maria Gibson, Vicente Scherma, Verano Câmara, Martinho Macedo, Elpidio Dantas, João Borges de Oliveira, João de Oliveira, João de Almeida Caldas, Alziro de Oliveira Santos e Aparício Lorena.

Realizações da atual administração: Reforma do tratamento d’água, escolas típicas rurais em número de 5 e reforma do prédio do Grupo Escolar “João Feliciano”.

Número de eleitores qualificados: 5.791

Zona Eleitoral: 62ª

Seções Eleitorais: 20

Número de eleitores que compareceram ao último pleito: 3.897

Educação

Escolas superiores: Ginásio Estadual, Escola Profissional Agrícola e Industrial Cônego José Bento, Ginásio Noturno Particular.

Escolas primárias: grupos escolares: 5; particulares: 2; número de alunos matriculados: 1.600

Escolas urbanas: 4 municipais e 2 estaduais.

Escolas isoladas: 7 estaduais e 5 municipais.

Número de crianças em idade escolar afastadas da escola: 160, aproximadamente.

Alfabetização de adultos: número de cursos: 2; matriculados: 60

Associações culturais: Conservatório Musical e Sociedade Mantenedora do Ensino.

Associações esportivas: Esporte Clube Elvira e Ponte Preta Futebol Clube.

Associações recreativas: Trianon Clube, Clube Elvira e Clube Ponte Preta.

Associações Profissionais: Sindicato dos Operários em Fiação e Tecelagem de Jacareí.

Saúde

Hospitais existentes no município: Santa Casa e Maternidade, mantida por instituições beneficentes.

Subvenções que recebe: municipal: Cr$ 23.000,00; federal: Cr$ 95.000,00.

Serviços de saúde: Centro de Saúde e Posto de Puericultura.

Montante da arrecadação do selo de educação e saúde no último exercício: Cr$69.396,60

Verbas Federais aplicadas nesse setor no último exercício: Cr$ 95.000,00

Informações Urbanas

Número de prédios existentes: 2.980

Edifícios públicos: Cadeia e Fórum, Prefeitura Municipal, Grupo Escolar “Coronel Carlos Porto” e “Margarida Galvão”; Centro de Puericultura, Centro de Saúde, Preventório Jacareí, Casa Maternal, Escola Profissional Cônego José Bento.

Número de ruas: 86.

Número de praças: 10.

Número de jardins: 3.

Atrações Turísticas: Rio Paraíba e Morro da Caixa d’água

Hotéis: Máximo, Santa Teresinha, Jacareí e São Silvestre.

Imprensa: “A Folha do Povo” fundada em 1929. Diretor: João Ferreira dos Santos Porto. “O Bandeirante” fundado em 1949. Diretor: Maximo, Mercadante & Cia.

Veículos licenciados: a motor: 245; a tração animal: 241.

Monumentos: do Expedicionário, localizado na Praça Conde Frontin.

Serviços Públicos

Abastecimento de água: Serviço da Prefeitura Municipal.

Rede de Esgotos: Serviço da Prefeitura Municipal.

Iluminação: A cargo da Cia. Força e Luz Jacareí-Guararema

Energia Elétrica: Fornecida pela Empresa de Eletricidade de São Paulo e Rio.

Telefones: Serviço da Cia. Telefônica Brasileira.

Calçamento: Parcial.

Matadouro Municipal: Tem

Cemitérios: 1, municipal.

Bibliotecas: Macedo Soares, Escola Técnica de Comércio e Sindicato dos Operários em Fiação e Tecelagem.

Guarda noturna: Tem

Informações Religiosas

Organização da Igreja Católica: Paróquia de N. Senhora da Conceição.

Organização da Igreja Protestante: Igreja Evangélica (Cristã Congregacional).

Organização dos Centros Espíritas: 4 centros e aproximadamente 1.200 membros, sendo que 2 centros funcionam em igreja própria e outros em prédios particulares.

Obras assistenciais mantidas pelo Espiritismo: Albergue Noturno e Casa Cônego, José Bento.

Informações Diversas

Médicos: Drs. Pompilo Mercadante, João Vítor Lamanna, Dorival Dellias, Eurico Wanderlei Morais de Carvalho, Nelson da Costa Marrelli, Paulo de Melo, Jorge Lian, Alberto Bartolomeu da Silva Oliveira.

Dentistas: Drs. Artur Napoleão de Morais, Antonio do Amaral Bueno, Romero Mazzeo, Sérgio Ribeiro do Prado, amauri Leal, Edgar Rocha, Alcides Rocha.

Farmácias: da Fé, Santa Teresinha, Popular, Nossa Senhora da Aparecida, Santa Rita, Santa Cecília, São Paulo, São José, Santa.

Drogarias: Vale do Paraíba.

Laboratórios de Análises: Centro de Saúde Estadual.

Instalações de Raio-X: Centro de Saúde e Santa Casa de Misericórdia.

Cinemas: Rosário e Rio Branco.

Corporações musicais: Coronel Carlos Porto e União Operário São Benedito.

Conjuntos orquestrais: Jazz Fila Bóia e Jazz.