Segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

ISSN 1983-392X

2010

A comarca de Passos foi criada pela lei provincial 2.203, de 1º de junho de 1876.

De acordo com as divisões territoriais de 31-XII-1936; 31-XII-1937; bem como no quadro anexo do decreto-lei estadual 88, de 30 de março de 1938, o município de Passos compreende o termo único da comarca.

Segundo os quadros anexos aos decretos-leis 148, de 17 de dezembro de 1938 e 1.058, de 31 de dezembro de 1943, que estabeleceram novas divisões territoriais judiciário-administrativas para vigorarem nos quinquênios 1939-1943 e 1944-1948, o município de Passos continua o único termo judiciário da comarca de mesmo nome, termo esse formado pelos municípios de Passos e Altinópolis.

A lei 336, de 27 de dezembro de 1953, subordina ao termo e comarca de Passos os municípios de Altinópolis e São João Batista do Glória. Atualmente, nos termos da lei 1.039, de 12 de dezembro de 1953, o município de Passos é termo único da comarca de mesmo nome.

O prédio do novo fórum foi inaugurado em 29 de fevereiro de 2008.

Juízes titulares que passaram pela comarca

Saturnino Amâncio da Silveira
Pedro Leão de Souza Guaraci
José Godofredo Moura Rangel
Fernando Rhering
Eurípedes Correa de Amorim
Sancho Augusto Montandon
Joaquim de Assis Martins Costa
Luiz Mourão Ratton
Geraldo Azevedo Costa Rias
José de Castro
Fletio Santos Coura
Rubens Xavier Ferreira
José Marinho
Paulo Emílio Fontoura
Stella Silveira Muoio de Paiva
Solange Agostini Megda Peixoto
Antônio Armando dos Anjos
Wagner Wilson Ferreira
Jorge Lucchesi Rocha
Guilherme Fraga
José Ribeiro de Castro Felix
José Fiuza Mendes
José Osvaldo Correia Furtado de Mendonça
Renato Luiz Dresch
Marcos Francisco Pereira
Guilherme Queiróz Lacerda
Jorge Paulo dos Santos
Sérgio Henrique Caldas Fernandes
Patrícia Vialli Nicolini
Guilherme Sadi
Napoleão da Silva Chaves

____________________


Fundação
: 14 de maio de 1858

Denominações anteriores: Sertões de Jacuí, Cercanias de Jacuí, Vila Formosa dos Passos, Senhor Bom Jesus dos Passos.

No século XVIII, a descoberta de ouro em Jacuí e faiscagens nas suas redondezas motivaram acirrada "questão de limites" entre São Paulo e Minas Gerais. Para assegurar a posse, foi incentivada a fixação de casas na região. Os paulistas vieram da região de Mogi, os de Minas de São João del-Rei e Lavras do Funil. Muitos outros vieram diretamente das ilhas portuguesas.

Por volta de 1780, tendo morrido o pai, o jovem Padre José de Freitas e Silva fixou-se em Jacuí e implantou a Fazenda Bonsucesso, ao pé do morro de São Francisco, onde instalou a mãe viúva e outros familiares. Dona Faustina Maria das Neves, daí para frente, dirigiu os destinos da fazenda, de cuja colônia, junto às faisqueiras do Bonsucesso, se originou a cidade de Passos, meio paulista meio mineira.

À primeira e diminuta capelinha de Santo Antônio (edificada pelos paulistas) seguiu-se outra, na atual praça da Matriz, maior e em condições de ser curada, com a invocação do Senhor dos Passos (edificada pelos mineiros). Prevaleceu a segunda, sendo modificado o traçado urbano anterior.

A capela do Senhor dos Passos, iniciada em 1829 por iniciativa de Domingos Barbosa Passos, tornou-se o centro do arraial (1835), da Paróquia (1840), da vila (1848) e da cidade (1858).

Com a criação da Vila, em 1850, surge a fase da autonomia administrativa, depois cidade, tornando-se independente, podendo então adquirir certo "status" e ter a possibilidade de exibir certa importância que outros lugares não possuíam.

A partir da organização da República a cidade passa a existir como município e conta com Prefeitura Municipal politicamente independente. Durante os anos 60 houve um significativo progresso da construção da Usina de Furnas na região. O passado provinciano e rural foi ultrapassado e Passos tornou-se cidade pólo comercial e industrial da região.

Considerada a capital do Sudoeste Mineiro, localizada próxima das margens do Rio Grande, Passos é a cidade-pólo do Circuito Turístico Nascentes das Gerais.

Além de atuar como centro político-administrativo por sediar órgãos do governo estadual e representações de órgãos e entidades federais, Passos é referência em educação devido ao campus FESP/UEMG e aos diversos cursos técnicos que atraem milhares de alunos, fator este que transforma a noite passense conhecida regionalmente.

________________

Locais históricos

________________

Curiosidades

Avenida da Moda

A cidade possui um vasto parque confeccionista com 100 fábricas que se concentram na avenida Com. Francisco Avelino Maia, conhecida também como Avenida da Moda. A indústria mobiliária (móveis rústicos e finos) vem se destacando e ganhando expressão nacional pela sua qualidade de acabamento, design diferenciado e durabilidade. Comércio forte, infraestrutura de serviços institucionais e privados, aliados à tradicional hospitalidade mineira fazem do turismo de compras em Passos realmente um diferencial para quem visita a cidade.

Personalidades nascidas em Passos

  • Selton Mello, ator, diretor e produtor brasileiro.
  • Danton Mello, ator brasileiro.
  • Milton Ribeiro, ator brasileiro celebrizado nas produções da Vera Cruz da década de 1950.
  • Regis Danese, cantor e compositor de música gospel.
  • Edinho Santa Cruz, banda do Faustão (Rede Globo).]
  • Cleber Souza, repórter cinematográfico da Rede Família de Televisão.
  • Thales Roberto, artista de música gospel

Hino

"Salve, Passos! A passos de gigante
Prossegues teu destino glorioso:
Se teu passado é heróico e grandioso,
Teu futuro é risonho e fulgurante!

Estendida entre vales e montanhas,
Aos fecundos abraços do Rio Grande,
Tua prole multíplice se expande
Como os raios do sol em que te banhas.

Salve Passos! Cidade centenária,
Torrão acolhedor e hospitaleiro,
Que sintetizas na alma legendária
As virtudes do povo brasileiro!

Se Minas toda aclama o teu valor
E ante labor algum jamais te prostas,
É que empunhas a Cruz do Redentor,
Cujos passos tu segues de mãos postas.

Na alma do teu povo varonil,
E em teus rebanhos, glebas e oficinas
Palpita a fibra épica de Minas,
Espelha-se a grandeza do Brasil!

Glória, Passos, a ti, terra excelente,
Que a todos generosa abres os braços
Possas tu caminhar eternamente
Sob as bençãos do Bom Jesus dos Passos."

Letra: Prof. Francisco Soares de Melo

Música: José Marciano Negrinho

_______________

Segundo os dados do Recenseamento de 1950, era de 33.811 habitantes a população do município. Estimativas do Departamento Estadual de Estatística de Minas Gerais dão 36.223 habitantes, como sua população provável em 31/9/1955, com densidade demográfica de 27 habitantes por quilômetro quadrado.

De acordo com os dados do recenseamento de 1950, a população de Passos/MG se dividia nos seguintes ramos de atividade :

Ramos de Atividade

População presente de 10 anos e mais

Homens

Mulheres

Total

Números absolutos

% sobre o total geral

Agricultura, silvicultura e pecuária

6.742

92

6.834

28,93

Indústrias extrativas

22

-----

22

0,09

Indústrias em formação

1.202

14

1.216

5,14

Comércio de mercadorias

536

17

553

2,34

Comércio de imóveis e valores mobiliários, crédito, seguros e capitalização

73

5

78

0,33

Prestação de serviço

534

554

1.088

4,60

Transporte, comunicações e armazenagem

488

4

492

2,08

Profissões liberais

73

3

76

0,32

Atividades liberais

90

142

232

0,98

Administração Pública, Legislativo e Justiça

63

5

68

0,28

Defesa Nacional e segurança pública

13

-----

13

0,05

Atividades domésticas não remuneradas e atividades escolares discentes

1.145

10.428

11.573

49,05

Condições inativas

871

503

1.374

5,81

Total

11.852

11.767

23.619

100,00

De acordo com os dados do recenseamento de 1950, era a seguinte a localização da população do município :

Localização da população

População presente 01/07/1950

Homens

Mulheres

Total

Números absolutos

% sobre o total geral

Sede

6.653

7.391

14.044

41,53

Quadro rural

10.428

9.339

19,767

58,47

TOTAL

17.081

16.730

33.811

100,00

A produção agrícola no município de Passos, em 1955, foi expressa pelos dados da seguinte tabela :

Culturas agrícolas

Área (ha)

Produção

Valor

Unidade

Quantidade

Cr$ 1.000

% sobre o total

Arroz

16.800

Saco 60 kg

527.000

158.000

56,95

Milho

13.000

-----

430.000

64.500

23,25

Cana-de-açúcar

3.550

Tonelada

113.600

27.264

9,82

Algodão

2.300

Arroba

149.500

14.950

5,38

Café

770

Arroba

256.650

4.108

1,48

Fumo

90

Arroba

5.600

2.520

0,90

Feijão

180

Saco 60 kg

2.700

1.350

0,48

Outras

225

-----

-----

3.697

1,74

Total

36.915

-----

-----

277.389

100,00

Da produção de origem animal, destaca-se a do leite com 6.637.000 litros e o valor Cr$ 16.592.500,00, seguida da de ovos, com 312.500 dúzias e o valor de Cr$ 3.125.000,00, perfazendo o valor total de Cr$ 20.323.550,00 :

Produto

Unidade

Quantidade

Valor (Cr$)

Cera de abelha

Kg

300

6.000,00

Crina animal

Kg

-----

-----

Kg

7.500

600.000,00

Leite

Litro

6.637.000

16.592.500,00

Ovos

Dúzia

312.500

3.125.000,00

Seda em casulos

Kg

-----

-----

Sola (souro de gado bovino)

Kg

-----

-----

Total

-----

-----

20.323.500,00

Segundo os dados fornecidos pelo Serviço de Estatística da Educação do Estado de Minas Gerais, no período de 1954/1956, foi a seguinte a situação do ensino primário no município :

Especificação

Dados numéricos

1954

1955

1956

Unidades escolares

35

35

41

Corpo docente

134

112

162

Matrícula efetiva

3.637

3.579

47,17

___________________