Sábado, 24 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Cenário

por FSB Inteligência

Cenário - 26.6.18

terça-feira, 26 de junho de 2018

A guerra comercial travada entre Estados Unidos e China avança nesta semana causando estragos previsíveis e outros nem tanto.

As exportações em vários países, sobretudo nos emergentes, já dão os primeiros sinais de que o mundo está diferente.

Em queda, as bolsas americanas e europeias indicaram ontem - e devem seguir assim hoje - que pressentem novas medidas restritivas ao comércio.

O próximo gesto de Donald Trump deverá atingir as empresas de tecnologia chinesas.

No caso das commodities, a soja é o alvo imediato.

O recuo nas cotações ao longo do último mês foi expressivo, o que preocupa o Brasil.

Até abril, quando tudo estava mais ou menos calmo, as projeções indicavam que as vendas do grão brasileiro poderiam bater 70,5 milhões de toneladas no ano 2018/2019 - 2% acima do período anterior.

STF

O caso Lula

O julgamento do pedido de liberdade do ex-presidente Lula será discutido pelo plenário do STF, como decidiu o ministro Edson Fachin.

O recesso do Judiciário terá início na próxima semana - os trabalhos só voltarão em agosto.

Com a parada, o PT continua atento ao calendário, embora as expectativas de possibilidade quanto a uma candidatura em outubro diminuam a cada dia.

Eleições

Entre alianças e discursos

Jair Bolsonaro puxou o novelo de alianças e deverá abrir também a temporada de ajustes nos discursos.

Para não afugentar apoios recentes, o pré-candidato está pronto para recalibrar as opiniões anticorrupção e antissistema.

Orçamento

Falando em dinheiro

A Comissão Mista de Orçamento está mobilizada para votar hoje a Medida Provisória 825/18, que concede crédito extraordinário ao Gabinete de Intervenção Federal no Rio de Janeiro.

Há consenso para aprovar, mas a sessão ainda busca quórum para acontecer.

Outros assuntos envolvendo a liberação de crédito suplementares também estão na fila.

Na virada de semestre, momentos assim são relativamente comuns.

Realidade brasileira

Sem moradia

Indicadores sociais mostram que vem mudando o perfil das pessoas em situação de rua nas grandes capitais do país.

Cresce, por exemplo, a presença de mulheres e crianças, o que indica um crescimento de famílias que perdem a condição de moradia.

Um dos motivos é a falta de condições de pagar aluguel.

O desemprego estrutural atinge 13,7 milhões de pessoas (13,1%), conforme dados trimestrais do IBGE.

Agenda

STF - O ministro Ricardo Lewandowski, presidente da 2ª Turma do STF, convocou sessão extraordinária para hoje, às 9h30. Ainda hoje, às 14h, será realizada a sessão ordinária.

PSDB - A executiva nacional tucana se reúne hoje em Brasília.

Eleições 2018

Testes - Técnicos e analistas em TI do TSE e TREs verificam, até sexta-feira, 29, em Curitiba/PR, funcionalidades e especificidades do sistema para identificação e correção de eventuais falhas nas urnas eletrônicas e nos sistemas que vão rodar durante as eleições.

Nos jornais

Miller - O ex-procurador da República Marcello Miller foi denunciado pelo MPF por corrupção junto com o empresário Joesley Batista. O ex-diretor jurídico da J&F Francisco Assis e Silva e a advogada Esther Flesch também foram acusados. (todos os veículos)

Lula - O ministro Edson Fachin, do STF, decidiu ontem submeter ao plenário um novo recurso da defesa do ex-presidente Lula para que um pedido de liberdade do petista seja analisado pelo tribunal. A presidente Cármen Lúcia vai definir a data do julgamento. (todos os veículos)

Lava Jato - Relator da Lava Jato no Supremo, o ministro Edson Fachin acumula uma série de derrotas na Segunda Turma, inclusive em questões cruciais da operação, como a condenação de políticos por receber dinheiro de origem ilícita via caixa 2 ou travestido de doação eleitoral oficial. (O Estado de S. Paulo)

Inspeção - A Comissão de Direitos Humanos da OAB do Paraná realizou ontem uma vistoria no Complexo Médico-Penal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, mas não verificou irregularidades no local. (O Estado de S. Paulo)

Na Justiça - A disputa pelo imposto sindical, que passou a ser facultativo desde que a reforma trabalhista entrou em vigor, em novembro, praticamente triplicou o número de ações que questionam esse ponto da legislação na Justiça do Trabalho. (manchete de O Globo)

MDB - Com o presidente da República mais impopular da história nas fileiras do partido, o MDB tornou-se "radioativo" nas conversas iniciais para a formação de alianças na disputa pelo Planalto, nacionalizando o isolamento que já era visto nos Estados. (Folha de S.Paulo)

PSDB - O ex-governador Geraldo Alckmin vai limitar a 30% do teto de gastos das campanhas estaduais o valor do repasse do Fundo Especial de Financiamento de Campanha – o chamado fundo eleitoral – para os 13 candidatos a governador da sigla. (O Estado de S. Paulo)

Negociações - A aliança entre o PR de Valdemar Costa Neto e o PSL do pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro está muito perto de ser anunciada. Ela dependeria apenas de o senador Magno Malta (ES) aceitar ser vice. (O Globo)

DEM - O apresentador José Luiz Datena se reuniu sábado com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com o líder da bancada do DEM, deputado Rodrigo Garcia (SP), e recebeu convite para concorrer à presidência. (Valor Econômico)

Ruralistas - O governo decidiu cortar R$ 15,5 bilhões em benefícios que haviam sido aprovados pelos parlamentares ao setor agrícola. A equipe econômica diz que falta dinheiro para bancar o programa, que previa a renegociação de dívidas de pequenos produtores rurais com descontos de até 95% no saldo devedor. (manchete de O Estado de S. Paulo)

Agrotóxicos - Por 18 votos a favor e 9 contra, a Comissão Especial da Câmara aprovou, ontem, o projeto de lei 6.299/2002, de autoria do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que flexibiliza e agiliza o registro de agrotóxicos no país. (todos os veículos)

Câmbio - O reforço da atuação do Banco Central no mercado de câmbio fez o dólar fechar ontem perto da estabilidade, na contramão do exterior. À tarde, o BC chegou a ofertar US$ 3 bilhões no mercado para tentar segurar a cotação da moeda americana, mas foram vendidos US$ 500 milhões. (todos os veículos)

Proposta - O governo está concluindo proposta para tentar resolver batalha jurídica entre as geradoras de energia hidrelétrica e a União. A disputa diz respeito ao chamado "risco hidrológico", isto é, aos fatores que impedem as geradoras de entregar energia na quantidade prometida devido a eventos não controlados. (manchete do Valor Econômico)