Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Cenário

por FSB Inteligência

Cenário - 3.8.18

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Fernando Haddad não mente ao rejeitar o rótulo de "plano B" do PT na corrida presidencial. Na realidade, seu nome é hoje a primeira e única opção do partido.

Com Jaques Wagner mirando o Senado e a guerra jurídica por Lula cada vez mais desfavorável, o ex-prefeito de São Paulo vem sendo (e será cada vez mais!) testado fora de ambientes controlados.

Na convenção de amanhã, o PT lançará o ex-presidente. O ato simbólico (um entre tantos outros!) foi pensando para combinar marketing e ação política de curto prazo.

As atenções, porém, estarão voltadas ao discurso e aos gestos de Haddad.

Acostumado a viver sob o olhar implacável da militância e o julgamento da cúpula petista, o ex-prefeito sabe que precisará deixar no palco muito mais do que simplesmente boas impressões.

Não por acaso, antecipou ideias e medidas alternativas à reforma da Previdência e lançou balões de ensaio sobre ajustes no imposto de renda.

PT

O perfil da chapa

Alas do PT que não querem Fernando Haddad e insistem em Lula vão impulsionar a opção de colocar na vitrine dos vices o ex-chanceler Celso Amorim.

PSDB

A decisão tucana

O PSDB também fará sua convenção nacional amanhã. O ex-governador Geraldo Alckmin será oficializado como candidato ao Planalto.

Ao apresentar a chapa completa, com a senadora Ana Amélia (PP-RS) como vice, os tucanos vão reforçar a mensagem de que estão seguros e decididos.

MDB

À procura

O candidato do MDB Henrique Meirelles tem sido aconselhado a escolher como vice alguém 'leve' e 'carismático'.

Prioridades

A pauta do campo

Nenhum candidato à presidência da República participa da corrida sem sentar à mesa com o agronegócio.

Nas próximas semanas, entidades que integram o Conselho do Agro vão entregar aos candidatos um documento com as propostas de longo prazo do setor.

O texto traz projeções e cenários previstos até 2030.

Entre as propostas está a que determina o "pagamento por serviços ambientais": os produtores rurais querem ser remunerados pelas áreas que preservam.

Educação

Malabarismo orçamentário

Deputados de diversos partidos se mobilizam para levar ao plenário da Câmara proposta que inclui os gastos com a merenda escolar na rubrica de manutenção e desenvolvimento do ensino.

Com isso, a despesa passa a integrar a conta do limite constitucional mínimo de aplicação de verbas na Educação.

A medida, se aprovada, seria um alívio e tanto aos cofres municipais.

Arrecadação

Precificando o mapa

O governo investirá na demarcação de áreas da União como alternativa para arrecadar um pouco mais em taxas e, com isso, reforçar o fundo dos municípios sem ter que mexer no próprio orçamento.

A ofensiva começará pelo litoral da Bahia, onde as áreas serão mapeadas por aerofotografia para identificar os terrenos de Marinha.

Os municípios recebem 20% das taxas de ocupação arrecadadas pela União.

Empresas

O balanço da Petrobras

Serão detalhados agora pela manhã os resultados operacionais e financeiros da Petrobras no segundo trimestre de 2018.

Ontem, o mercado fazia contas para tentar antecipar quais foram os impactos da greve dos caminhoneiros e da saída de Pedro Parente do comando da estatal.

Agenda

Aborto - O STF realiza hoje a primeira das duas audiências públicas que discutirão a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação.

Transposição - O presidente Michel Temer participa de cerimônia de acionamento da estação de bombeamento da etapa Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, em Salgueiro/PE, às 11h.

Bolsonaro - A GloboNews entrevista hoje o pré-candidato do PSL à presidência da República, Jair Bolsonaro, às 22h30.

Produção - O IBGE detalha hoje a Matriz de Insumo-Produto: Brasil (2015), pesquisa que mostra a estrutura produtiva brasileira e permite avaliar o grau de interligação setorial da economia.

Nos jornais

Alckmin - Uma semana após ter sido rejeitado pelo empresário Josué Alencar (PR), Geraldo Alckmin (PSDB) confirmou ontem a senadora Ana Amélia (PP-RS) como sua candidata a vice-presidente. (todos os veículos)

Marina 1 - O ex-deputado Eduardo Jorge (PV) será vice de Marina Silva (Rede) na disputa pela presidência. (todos os veículos)

Marina 2 - Em entrevista exclusiva, Marina Silva fala sobre as alianças políticas e afirma que foram esses acordos, sem um olhar "programático", que levaram o país ao "fundo do poço". (O Estado de S. Paulo)

Meirelles - Confirmado candidato, Henrique Meirelles (MDB) fez ontem um discurso em que se colocou como o único nome capaz de resolver os problemas do país. Seu desafio é romper o isolamento político. (todos os veículos)

Aécio - O senador Aécio Neves (PSDB-MG) anunciou ontem que vai disputar a eleição para deputado Federal por Minas Gerais. Com a decisão de sair candidato à Câmara, o tucano opta por uma jogada mais segura do que a disputa para o Senado. (todos os veículos)

Arraes - O diretório estadual do PT contrariou a Executiva Nacional e aprovou, ontem, a opção pela candidatura própria ao governo de Pernambuco nas eleições 2018. Dos 251 delegados presentes no encontro, 230 indicaram a vereadora Marília Arraes para concorrer ao palácio Campo das Princesas pela sigla. (Valor Econômico e O Estado de S. Paulo)

Rio - Com investimentos caindo desde 2014, e chegando a menos da metade previsto por lei (5,1% de 12%), o governo do Estado do Rio acumula dívida de R$ 6,2 bilhões com fornecedores e prestadores de serviço da área. É o maior déficit entre todos os setores, superando os débitos com a Previdência Social e a segurança pública. (manchete de O Globo)

BNDES - O BNDES vai desembolsar em 2018 metade do que costumava emprestar por ano nas últimas duas décadas. A diretoria do banco sinalizou que a capacidade de desembolsos ficará em 1,2% do PIB, cerca de R$ 83 bilhões. (manchete de O Estado de S. Paulo)

Pesquisa - A Capes, uma das mais importantes agências de fomento à pesquisa e à formação de docentes do país, enviou ao ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, nota dizendo que o teto de gastos que deve ser imposto à entidade em 2019 pode inviabilizar o pagamento de quase 200 mil bolsas de estudo. (todos os veículos)

Frete - As tradings que atuam no mercado brasileiro de soja podem estar acumulando "passivo" bilionário enquanto perdura o embate jurídico em torno da nova tabela de preços mínimos de fretes para o transporte rodoviário de cargas no país. (manchete do Valor Econômico)