Terça-feira, 15 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Cenário

por FSB Inteligência

Cenário - 25.9.18

terça-feira, 25 de setembro de 2018

A ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central - divulgada esta manhã (leia a íntegra) - detalha com um pouco mais de clareza a cena econômica de agora e os sinais para o fim do ano.

Por unanimidade, o colegiado decidiu na semana passada manter a taxa básica de juros em 6,5% - a Selic está em seu piso histórico e não se moveu pela quarta vez consecutiva.

O breve registro que acompanhou o anúncio advertiu para questões de momento e outras estruturais, que agora são reforçadas de modo mais amplo.

As ressalvas merecem atenção. O Copom acentua (novamente!) que observa de perto o comportamento da inflação e a capacidade ociosa impregnada à economia.

Assim como também já fez antes, o comitê registra a frustração das expectativas com a interrupção das reformas, lembra que ajustes seguem sendo importantes e reconhece a deterioração do cenário para os emergentes.

A próxima reunião do Copom está marcada para 30 e 31 de outubro, ou seja, imediatamente pós-segundo turno.

________________________________________

Previdência

Ideias e especulações

A reforma da Previdência vem ocupando espaços secundários por força de uma ação do Planalto que tem por objetivo reinserir o assunto a qualquer custo na agenda.

Em alguma medida, a corrida presidencial acabou sendo contaminada: ontem e anteontem, as campanhas repercutiram (cada uma a seu modo!) o tema.

As especulações, no entanto, fugiram do controle.

Circulam na internet propostas supostamente atestadas pelos presidenciáveis que lideram as pesquisas.

A possibilidade de negociar, ainda em 2018, item a item pontos polêmicos como a idade mínima voltou à carga.

________________________________________

Contas

Imóveis à venda

O governo tem pressa e vai tentar, via Medida Provisória, liberar para venda cerca de 3,8 mil imóveis do INSS e outros da extinta Rede Ferroviária (RFFSA).

O patrimônio pode garantir um aporte de R$ 7,4 bilhões aos cofres da União.

________________________________________

Passaporte diplomático

Data de validade

O foro formal e material dos deputados termina junto com a legislatura, principalmente para os barrados nas urnas.

Mas há benefícios que duram mais, a exemplo dos passaportes diplomáticos.

Os parlamentares da atual legislatura, seus filhos e cônjuges terão passaporte com prerrogativas especiais até 31 julho de 2019, mesmo sem carimbar o bilhete da reeleição.

________________________________________

Protesto

Servidores pressionam...

Entidades ligadas ao funcionalismo federal convocam as categorias para atos pelo país na próxima quinta-feira (27).

O Dia Nacional do Voto Consciente pretende ser um contraponto ao discurso de candidatos que pregam o chamado Estado mínimo.

________________________________________

Privatização

...petroleiros também

Tem quase 60 nomes a lista de participantes da audiência pública marcada para sexta-feira (28) pelo ministro do STF Ricardo Lewandowski.

No encontro, será discutida a liminar de julho que determinou que a venda de empresas públicas precisa da aprovação do Congresso Nacional.

________________________________________

Agenda

Orçamento - A Junta de Execução Orçamentária se reúne hoje para debater atualizações no texto da LOA 2019

Funcionalismo - Dias Toffoli participa de Cerimônia de assinatura da Medida Provisória que trata da reabertura do prazo de migração para o Funpresp

Temer - O presidente Michel Temer discursa na abertura da 73ª Assembleia Geral da ONU

Nos jornais

Ibope 1 - Nova pesquisa Ibope mostra Jair Bolsonaro (PSL) estável na liderança com 28% das intenções de voto, e o contínuo crescimento de Fernando Haddad (PT), que aparece com 22% (manchete de O Globo e O Estado de S. Paulo)

Ibope 2 - Ciro Gomes (PDT) manteve os 11% e está em empate técnico com Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 8%. Marina Silva (Rede) soma 5% (manchete de O Globo e O Estado de S. Paulo)

Ibope 3 - No segundo turno, Bolsonaro perde para Ciro Gomes (46% a 35%), Fernando Haddad (43% a 37%) e Geraldo Alckmin (41% a 36%) (todos os veículos)

Segurança - Ponto comum nos programas de governo, os candidatos ao Planalto levam para a esfera federal o problema de segurança pública no país. Com os índices de violência em nível recorde, o assunto se tornou central (manchete da Folha de S.Paulo)

Desapropriações - O Ministério Público de São Paulo instaurou ontem inquérito contra Geraldo Alckmin para apurar as denúncias sobre supostas irregularidades nos dois decretos que desapropriaram terrenos ligados a familiares do ex-governador (todos os veículos)

Ciro - Após a polêmica sobre a CPMF e o economista Paulo Guedes, Ciro Gomes afirmou ontem que desistiu de recriar a CPMF, mesmo em outros moldes (O Globo, O Estado de S. Paulo e Valor Econômico)

Previdência - O presidente Michel Temer afirmou ontem que, assim que estiver concluído o processo eleitoral, vai entrar em contato com quem for eleito para tentar aprovar a reforma da Previdência (todos os veículos)

Câmbio - A volatilidade esperada para as duas últimas semanas antes da eleição se materializou ontem com o retorno do dólar mais próximo dos R$ 4,10 e a queda de mais de 1% da Bolsa. A moeda americana fechou em R$ 4,0880 (todos os veículos)

Crédito - O governo deverá adiar o prazo para que os bancos comecem a oferecer crédito rural a taxas de juros pós-fixadas atreladas à inflação, principal novidade do atual Plano Safra (2018/19). A medida começaria a valer a partir da primeira semana de outubro (manchete do Valor Econômico)