Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Assim falava La Fontaine

"TSE aplica sexta multa a Lula por propaganda em favor de Dilma."

"A cada oito dias um juiz de Mato Grosso é punido pelo Conselho Nacional de Justiça."

"TJSP e juízes beneficiários de auxílio-voto não respondem a interpelação do CNJ."

"O Presidente Nacional do PSDB contrata 37 auxiliares, sendo 8 da mesma família, para darem expediente em casa."

"CNJ apura fraude em concurso para ingresso na magistratura. A comissão de concurso teria elevado o número de candidatos que passaram para a segunda fase, para incluir duas filhas do presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais."

"A Polícia Federal apreendeu 1.250 bicicletas distribuídas pelo governo do Estado do Tocantins em ano eleitoral. Carlos Gaguin foi eleito governador em 2009 por via indireta, após o Tribunal Superior Eleitoral cassar o mandato de seu colega de partido Marcelo Miranda, acusado de abuso de poder, compra de votos e uso indevido dos meios de comunicação social nas eleições de 2006. Entre as irregularidades cometidas por Miranda, o tribunal destacou a distribuição de 80 mil óculos."

"O Conselho Nacional de Justiça suspendeu a posse do juiz Fernando Miranda Rocha no cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, uma vez que ele foi condenado administrativamente com penas de advertência e censura em sua carreira, responde a sindicância e também a ação penal originária, proposta pelo Ministério Público de Mato Grosso."

"Presidente do STF descumpre súmula anti-nepotismo."

"O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, indeferiu o pedido de liminar em Mandado de Segurança impetrado pela defesa do presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Mariano Alonso Ribeiro Travassos, que pretende voltar ao cargo do qual foi aposentado compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça."

"Plenário do Tribunal Superior Eleitoral confirma multa de R$ 7.500 a Lula. Segundo o TSE, Lula fez propaganda extemporânea em favor de Dilma em evento organizado pela CUT para festejar o Dia do Trabalhador."

"O Ministério Público denunciou o Ministro Paulo Medina, do STJ, os desembargadores José Eduardo Carreira Alvim e José Ricardo de Siqueira Regueira, o juiz federal Ernesto da Luz Pinto e o procurador regional da República João Sérgio Leal Pereira, assim como Virgílio Medina, que é irmão do ministro do STJ. Os acusados serão julgados por crimes que vão desde corrupção passiva e formação de quadrilha até prevaricação."

"O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira a PEC 89/2003, que exclui da relação de punições aplicáveis a magistrados a chamada aposentadoria por interesse público. A PEC, que na votação em segundo turno recebeu 52 votos favoráveis e nenhum contrário, também permite a perda de cargo do juiz ou membro do MP por decisão de dois terços dos membros do Tribunal ou Conselho ao qual estiver vinculado."

(Fonte: Folha online)

Se eu fosse colocar como epígrafes todos os cabeçalhos que tenho colecionado a respeito de supostos desmandos de nossas autoridades, pertençam elas ao Poder Executivo, ao Legislativo ou mesmo, valha-nos Deus!, ao Poder Judiciário, não sobraria lugar para o texto propriamente dito. E isso logo hoje que eu pretendia contar-lhes uma edificante história que se passa no tempo do Onça, fosse ele quem fosse.

Vamos à tal história.

Em 1982, a Editora Loyola publicou o livro Cristo Hoje, onde temas evangélicos eram utilizados pelo autor como inspiração para a elaboração de contos, cujas conclusões talvez pouco tivessem do espírito da narrativa que os inspirara.

Passados mais de 25 anos, não creio que a mensagem de Em Terra de Cegos (clique aqui) tenha envelhecido. Ao contrário.

Busca verbete por título

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Z

* Adauto Suannes desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo, membro fundador do IBCCRIM - Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, da Associação Juízes para a Democracia e do Instituto Interdisciplinar de Direito de Família.

Lançamento


Uma sequência de histórias de ácida criticidade é o que apresenta Adauto Suannes em sua mais nova obra. O realismo e o bom-humor característicos do autor também se fazem presentes em cada um dos 28 capítulos de "Menas Verdades – causos forenses ou quase".

Como pontua o jornalista Juca Kfouri na apresentação do livro, os casos contados são deliciosos e exemplares, tanto para o bem quanto para o mal.

E, em cada linha, o autor transpira personalidade, seja na fluida linguagem, seja na criativa construção da narrativa: garantias de uma prazerosa leitura.

Cada exemplar da obra custa apenas R$ 35,00.