Segunda-feira, 21 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Evento

Competição de Arbitragem e Mediação Empresarial

O evento é uma oportunidade de networking e crescimento profissional.

De hoje a domingo, 29/10, mais de 1.200 estudantes de Direito de 72 equipes de instituições de ensino e escritórios de advocacia de todo o Brasil participarão da Competição Brasileira de Arbitragem e Mediação Empresarial da CAMARB – Câmara de Arbitragem Empresarial - Brasil. O evento, que está na sua 8ª edição e é o maior da América Latina, vai acontecer na Universidade Presbiteriana Mackenzie, na capital paulista.

"A arbitragem é uma forma de solução de conflitos usada principalmente por grandes empresas, por ser mais rápida e mais especializada que a Justiça. As decisões arbitrais têm força de sentença judicial e são válidas tanto no Brasil quanto no exterior", explica Felipe Moraes, secretário-geral da Camarb.

A Competição de Arbitragem e Mediação Empresarial é uma oportunidade de networking e crescimento profissional. Simula um procedimento arbitral num caso fictício em que os competidores atuam como advogados das partes em conflito e têm avaliadas as habilidades escritas e orais por profissionais com experiência nesse segmento.

Segundo Moraes, o objetivo da Camarb é estimular a formação de especialistas em Arbitragem e Mediação. Tal objetivo já foi alcançado nas edições anteriores, como atesta Renato Stephan Grion, sócio do escritório Pinheiro Neto Advogados, um dos mais conceituados do país. Ele esteve na primeira edição da competição, como árbitro. "O evento é um ótimo celeiro para contratações, já que estudantes que se destacam são convidados para estagiar em escritórios de advocacia", afirma.

João Marçal Martins, um dos ícones da arbitragem no Brasil e hoje trabalhando em Nova York pelo escritório Baker & McKenzie, um dos maiores, participou da primeira edição da competição, há sete anos. "Foi um diferencial na minha vida acadêmica e profissional. A competição é um ambiente incrível para o networking entre alunos, professores, árbitros e advogados, que abre portas e oportunidades profissionais. Descobrem-se futuros colegas de profissão", conta.

Aline Dias, da Muriel Medici Franco Advogados, boutique com atuação reconhecida nessa atividade, também esteve na primeira edição da competição. "Existem alguns escritórios que até preferem contratar estagiários que tenham participado da Competição Brasileira de Arbitragem. No meu escritório, por exemplo, todos os estagiários do time de arbitragem já participaram da competição ou de outras competições internacionais similares".

Fernando Eduardo Serec, sócio do TozziniFreire Advogados — que está na lista dos mais importantes do país —, também esteve na primeira competição e reforça que excelentes escritórios, além do dele, estão atentos para estudantes e estagiários que participam da competição. "Normalmente, as equipes de todas as universidades que participam da competição apresentam os seus melhores quadros nestas competições."

Outro especialista que já esteve na competição da Camarb é Ivan Iegoroff de Mattos, do Cantidiano Advogados. "Desenvolvi a capacidade de estudar de maneira mais eficiente, com objetividade argumentativa. Além disso, como há audiência simulada, também desenvolvi melhor aptidão para sustentações orais. O fato de ter participado de competições de arbitragem proporcionou uma grande projeção internamente, no escritório, e no mercado em geral", afirma.

Os professores Carlos Alberto Carmona e Selma Lemes são dois dos maiores nomes da arbitragem atualmente no país. Ambos atuaram como árbitros em várias edições da competição. Para eles, participar diferencia o currículo. "É uma escola viva. Muito do que se construiu na área da arbitragem nesses quase 21 anos de vigência da Lei que criou instituto passou por debates travados aqui. A comunidade jurídica brasileira tem se dado conta do enorme potencial que a arbitragem tem", diz Selma Lemes.

Carmona chama a atenção para outro ponto: "As faculdades têm investido pouco neste tipo de formação, de modo que a competição não apenas contribui para o aprimoramento dos estudantes, mas também se tornou ferramenta essencial para a formação do futuro advogado".

Na competição, os principais nomes que avaliarão os participantes na área de mediação serão Izabella Abrão, Diego Faleck e Fernanda Levy. Já na área de arbitragem, os julgadores de destaque são Paula Forgioni, Gilberto Giusti e Luciano Timm.

Entre as faculdades de Direito que terão equipes participando do evento estão as das universidades USP, UFF, UFMG, UFRS, UFPR, UFPE, UFBA, UFSC, FGV-SP, FGV-RJ, Mackenzie, FAAP, PUC-SP, PUC-RS, PUC-PR e PUC-MG.

_____________

CAMARB – Câmara de Arbitragem Empresarial – Brasil

Publicado em: quinta-feira, 26 de outubro de 2017