Segunda-feira, 19 de novembro de 2018

ISSN 1983-392X

Evento

I Novembro Negro do IBCRIM: feminismo negro e política criminal

No mês da Consciência Negra, Instituto organiza atividades sobre o corpo feminino e a seletividade do sistema de segurança pública no Brasil; programação também terá atividades culturais.

  • Data: 9, 23, 28 e 30/11

O IBCCRIM - Instituto Brasileiro de Ciências Criminais em parceria com a Corpórea Companhia de Corpos e a Defensoria Pública da União em SP, inaugura mais uma iniciativa no mês da Consciência Negra: o 1º Novembro Negro do Instituto. Com o tema "Feminismo Negro e Política Criminal", o ciclo de evento incluirá cinco debates e uma peça de teatro, distribuídos entre os dias 9 e 30/11. Nas atividades, serão alternadas abordagens sobre questões de raça, gênero, classe, espaço e território.

Dois marcos para a luta antirracista permearão os debates do evento: os saberes acerca do corpo feminino negro e o sistema de segurança pública no Brasil. Com inovações nas linguagens e nos territórios, a proposta é reunir especialistas para analisar questões étnico-raciais, como a colonização/descolonização e a violência policial.

Entre as palestrantes confirmadas, estão Jaqueline Conceição, Ana Paula Gomes, Nathalia Oliveira, Ingrid Farias, Natália Néris, Suzane Jardim e Valéria Lucia dos Santos. "O objetivo é criar reflexões acerca da temática que envolve mulheres negras e sistema de justiça; com o ciclo de atividades, buscamos entender o lugar paradigmático que as mulheres ocupam no sistema de justiça do Brasil do mito da democracia racial", afirma Dina Alves, coordenadora-chefe do Departamento de Justiça e Segurança do IBCCRIM e idealizadora do 1º Novembro Negro do IBCCRIM.

Debates, peça de teatro e cine-debate

A maior parte dos debates acontece no Auditório do IBCCRIM, na rua Onze de Agosto, 52, Centro (São Paulo-SP) - nas noites de 9 e 23/11 e na manhã de 30/11. Outro marco do 1º Novembro Negro do IBCCRIM é a apresentação do espetáculo de teatro "Rés", da Corpórea Companhia de Corpos, na noite de 28/11. A partir da pesquisa "Rés Negras, judiciário branco", desenvolvida por Dina Alves, a peça elabora uma análise artística e poética sobre raça, classe e gênero no sistema prisional brasileiro. A atividade será realizada na Escola de Teatro, na Praça Franklin Roosevelt, nº 210, São Paulo.

A programação será encerrada com o Cine Debate "Auto de resistência e pena de morte no Brasil" no Auditório da Defensoria Pública da União em SP, na noite do dia 30. Nessa atividade, as debatedoras irão analisar como o sistema prisional é organizado em torno de uma ideologia da desumanização de corpos negros.

*Haverá transmissão online de todas as atividades realizadas no IBCCRIM.

Programação

Mulher Negra e Política de drogas

  • Data: 9/11
  • Horário:19h30
  • Local: Auditório do IBCCRIM, com transmissão online

Objetivo

Refletir sobre a falaciosa "guerra às drogas" que atinge intencionalmente as mulheres negras ao atingir seus filhos e filhas na política de encarceramento e letalidade policial, além de discutir sobre as categorias "mulher negra encarcerada" e "mulher negra traficante", que engrossam as taxas de encarceramento em massa nos últimos anos.

Palestrantes

- Ingrid Farias
Doutora em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo e Professora da Universidade Federal de Minas Gerais junto ao departamento de psicologia.

- Nathalia Oliveira
Socióloga, integrante da Plataforma Brasileira de Política de Drogas e Coordenadora da Iniciativa Negra por Uma Nova Política Sobre Drogas (INNPD).

Mediadora

- Dina Alves
Advogada, atriz, doutoranda e mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Católica de São Paulo/PUC e coordenadora do Departamento de Justiça e Segurança Pública do IBCCRIM.

Intervenção militar e ocupação de territórios

  • Data: 23/11
  • Horário: 19h30
  • Local: Auditório do IBCCRIM, com transmissão online

Objetivo

Elaborar reflexões sobre as intervenções militares no Brasil, com especial atenção ao caso do Rio de Janeiro, e a vitimização das mulheres negras que habitam esses territórios marcados pela diáspora africana.

Palestrantes

- Dina Alves
Coordenadora do Departamento de Justiça e Segurança Pública do IBCCRIM e doutoranda e mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Católica de São Paulo/PUC.

- Jaqueline Conceição
Graduada em Pedagogia, mestre em Educação e articuladora do Coletivo Di Jejê e Mônica Cunha, fundadora do "Movimento Moleque".

Mediadora

- Lorraine Carvalho
Advogada e Pós-Graduada em Direito Penal Econômico.


Espetáculo "Rés", da Corpórea Companhia de Corpos

  • Data: 28/11
  • Horário: 21h
  • Local: Escola de Teatro (Sala R8, na Praça Franklin Roosevelt, n. 210, São Paulo/SP)

*Ingresso: a Bilheteria será aberta às 20h.

Sinopse

O espetáculo "Rés" tem como temática principal discutir o universo do encarceramento e a produção da vulnerabilidade das mulheres negras no Brasil. Inspirado a partir da inédita pesquisa "Rés negras, judiciário branco", da autora Dina Alves, o espetáculo propõe uma análise artística e poética, através de uma produção em dança, que envolve não apenas a interseccionalidade de raça, classe e gênero, mas também contextualiza as estatísticas que envolvem o sistema de encarceramento em massa.


Mulheres negras e as Corporeidades aprisionadas

  • Data: 30/11
  • Horário: 10h30 às 12h30
  • Local: Auditório do IBCCRIM, com transmissão online.

Ementa

Busca-se ampliar as reflexões sobre aprisionamento das mulheres negras no Brasil, num debate que considera a prisão como ideologia de desumanização de corpos negros.

Palestrantes

- Natália Néris
Doutoranda em Direitos Humanos, coordenadora da área Desigualdades e Identidades no InternetLab e Pesquisadora do Núcleo de Direito e Democracia do CEBRAP, Suzane Jardim, possui graduação em História, é mestranda em Ensino de História pela Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP e Valéria Lucia dos Santos, advogada no Estado do Rio de Janeiro.

Mediadora

- Amarílis Costa
Advogada, mestranda em Humanidades Direito e outras Legitimidades pela FFLCH – USP.


Cine Debate: Auto de resistência e pena de morte no Brasil

  • Data: 30/11
  • Horário: 18h30 às 21h30
  • Local: Auditório da Defensoria Pública da União (rua Teixeira da Silva nº 217 – Paraíso – São Paulo/SP).

Sinopse

Busca-se explorar o tema do genocídio negro no Brasil, o papel do poder judiciário e o protagonismo das mulheres negras na luta por justiça, em diálogo com o filme cujo título dá o nome para a mesa.

Palestrantes

- Dina Alves
Coordenadora do Departamento de Justiça e Segurança Pública do IBCCRIM. Advogada, atriz e doutoranda e mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Católica de São Paulo/PUC.

- Débora Silva Maria
Fundadora do Movimento Mães de Maio e ativista de Direitos Humanos.

- Isadora Brandão
Mestra em Direitos Humanos pela Universidade de São Paulo (2016), defensora Pública do Estado de São Paulo desde 2013 e coordenadora do Núcleo Especializado de Defesa da Diversidade e Igualdade Racial da Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Natasha Neri, diretora do Auto de Resistência O Filme, documentário sobre a atual Segurança Pública do Rio de Janeiro.

Mediadora

- Andreza Delgado (Campanha 30 dias por Rafael Braga)
Graduanda em Direito e ativista de Direitos Humanos

As inscrições são gratuitas e devem ser efetivadas no site do IBCCRIM: https://www.ibccrim.org.br/ (as fichas de inscrição são específicas para cada atividade do ciclo). Interessados e interessadas também poderão receber certificado de participação.

Realização

  • IBCCRIM - Instituto Brasileiro de Ciências Criminais

_________

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES

Clique aqui

INSTITUTO BRASILEIRO DE CIENCIAS CRIMINAIS

Publicado em: segunda-feira, 5 de novembro de 2018