Quarta-feira, 26 de junho de 2019

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

Mercância ou Mercancia?

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

dúvida do leitor

O leitor F.A.A.M. envia a seguinte mensagem ao Gramatigalhas:

"Tendo ouvido, na última banca de concurso de ingresso na magistratura, candidatos pronunciarem a palavra 'mercância' como se a penúltima sílaba fosse tônica, pergunto: qual é a correta pronúncia da palavra: mercância ou mercancia?"

envie sua dúvida


Mercância ou Mercancia?

1) Um leitor indaga qual a forma correta do vocábulo: mercância (rimando com ganância) ou mercancia (rimando com freguesia)?

2) Em nosso idioma, o ato de mercanciar, de mercadejar, de comerciar, de comprar e vender, de ser um mercador ou um comerciante é mercancia, com seu final pronunciado como freguesia, e não mercância, como se fosse rima de ganância. Ex.: "Paula Forgioni escreveu excelente obra: 'A Evolução do Direito Comercial Brasileiro: Da Mercancia ao Mercado'".

3) Para dirimir qualquer dúvida, basta consultar o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, que é uma espécie de dicionário que lista as palavras reconhecidas oficialmente como pertencentes à língua portuguesa, bem como lhes fornece a grafia oficial.

4) Também conhecido pela sigla VOLP, ele é organizado e publicado pela Academia Brasileira de Letras, a qual tem a delegação legal e a responsabilidade oficial de editá-lo, em cumprimento à vetusta Lei Eduardo Ramos, de n. 726, de 8.12.1900.

5) Pois bem. Em sua quinta edição, de 2009, já após o recente Acordo Ortográfico, o VOLP apenas fez constar como correto o vocábulo mercancia1, e não há registro algum da variante mercância. Essa é a lei do nosso léxico, e a ela devemos prestar obediência.

_______________

1 Cf. Academia Brasileira de Letras. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. 5. ed., 2009. São Paulo: Global. p. 541.

______

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.