Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

A fim de

quarta-feira, 19 de maio de 2010

dúvida do leitor

A leitora Luíza Velloso Silva enviou a seguinte mensagem ao Gramatigalhas:

"Tenho dúvida quanto ao uso das expressões: 'a fim' e 'afim'."

envie sua dúvida


A fim de

1) É locução que se escreve com os elementos separados; indica finalidade, e é sinônima de com o fim de. Ex.: "O juiz estudou com dedicação, a fim de sentenciar adequadamente o feito".

2) Atente-se a que, muito embora de grande emprego na linguagem popular, é errôneo seu uso, quando não indica finalidade. Ex.: "O advogado estava a fim de tumultuar o processo" (errado).

3) Justificando alongada explanação sobre tal torneio, Napoleão Mendes de Almeida assim pondera: "O que nos faz estender sobre a locução prepositiva é o seu disparato emprego sem nenhuma indicação de finalidade em orações como esta de um rapazelho universitário, proferida talvez por influência de alguma novela de televisão: 'Eu estou a fim de ir a uma festa'. É verdade que a fim de equivale a para, mas a que para equivale? Equivale a para com o significado de com o fim de: 'Saiu a fim de tomar ar'. É evidente o engano do estudante; não pode usar da sinonímia na oração referida".

4) Também não confundir com afim, adjetivo que significa próximo, semelhante e que, em Direito, tem o sentido técnico de vínculo civil entre um cônjuge e os parentes próximos de seu consorte (arts. 183, II, e 334 do Código Civil de 1916).

______

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.