Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

D’Os Lusíadas ou De Os Lusíadas?

quarta-feira, 6 de março de 2013

dúvida do leitor


O leitor Dinir Vasques Campos envia a seguinte mensagem ao Gramatigalhas:


"Após as recentes alterações em nosso sistema de ortografia, continua existindo o apóstrofo e, em caso positivo, como fica seu emprego em expressões como a seguinte: D’Os Lusíadas ou De Os Lusíadas?"

envie sua dúvida

1) Um leitor pergunta se, após as recentes alterações em nosso sistema ortográfico, continua existindo o apóstrofo e, em caso positivo, como fica seu emprego em expressões como a seguinte: D’Os Lusíadas ou De Os Lusíadas?

2) Ora, fixe-se que, em termos genéricos, o apóstrofo (’) é um sinal diacrítico que continua existindo em nosso sistema após as recentes alterações em nosso sistema ortográfico.

3) De modo específico para o caso da consulta, ele é empregado para separar graficamente as contrações ou aglutinações de preposições referentes a nomes próprios (obras literárias ou artísticas, nomes de empresas ou entidades...): d’Os Lusíadas, d’Os Sertões, n’O Estado de São Paulo.

4) A par dessa possibilidade de grafia, é importante observar adicionalmente que nada impede que essas escritas sejam substituídas por empregos de preposições íntegras: De Os Lusíadas, de Os Sertões, em O Estado de São Paulo.

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.