Segunda-feira, 20 de maio de 2019

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

Tampouco ou Tão pouco?

quarta-feira, 13 de maio de 2015

dúvida do leitor

O leitor Marcos César C. de Oliveira  envia ao autor de Gramatigalhas a seguinte mensagem:

"'Tampouco' ou 'nem tampouco' versus 'tão pouco': eis a dúvida, professor."

envie sua dúvida

1) Tampouco é um advérbio, que significa e também não. Ex.: "Ele não auxilia nos trabalhos judiciários; tampouco permite que outros o façam".

2) Por já trazer em si valor negativo, não aceita o acréscimo de não ou de nem, equívoco esse que se repete com frequência. Exs.: a) "Ele não auxilia nos trabalhos judiciários; tampouco permite que outros o façam" (correto); b) "Ele não auxilia nos trabalhos judiciários nem tampouco permite que outros o façam" (errado).

3) Não confundir com tão pouco, expressão de significado diverso, em que tão é advérbio, indicando a intensidade de pouco. Ex.: "Ele tinha tão pouco entusiasmo pelas discussões jurídicas!"

4) Atento aos frequentes equívocos que ocorrem quanto ao emprego dessa palavra, assim leciona Antonio Henriques: a) Tampouco – "forma de expressão negativa (nem mesmo, nem sequer, nem ao menos, também não)"; b) Tão pouco – "advérbio de intensidade com o reforçativo tão".

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.