Domingo, 16 de dezembro de 2018

ISSN 1983-392X

"Um absurdo o que ocorreu com esse rapaz (Migalhas 4.496 – 6/12/18 – "Arquive-se" – clique aqui). Exemplo clássico e irresponsável de assassinato de reputações. Com o reconhecimento de evidente erro judiciário, é só esperarmos a ação indenizatória para cobrar os danos bilionários causados ao cidadão, que não perdeu somente dinheiro, mas praticamente o Banco que fundou. De se lembrar que era tido como um prodígio do sistema financeiro, cuja reputação foi dilacerada por um conjunto de irresponsabilidades dos delatores, do MPF e com a conivência cega de parte do Judiciário que está ou estava seduzido pela sanha punitivista. De se lamentar o episódio, de se alegar pelo desfecho e de se aguardar a (b) milionária ação indenizatória."

Marcos Rogério Scioli - 6/12/2018

Comente