Sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

ISSN 1983-392X

"Quanta falta faz a entrada dos ptchulecos nas contas (ou mochilas de dinheiro) aos milhares de membros da organização criminosa que se apoderou dos recursos da Nação, para uso pessoal e manutenção do poder, com esquemas de corrupção institucionalizada? Multiplicam-se os ataques à Lava Jato e ao governo Bolsonaro nas mídias nacionais e internacionais, repercutida com rara insistência pela imprensa domesticada com verbas milionárias de propaganda oficial de governos passados. A falta das propinas, estimada em R$ 250 bilhões/ano, está deixando milhares de gangsteres em perigosa síndrome de abstinência, que os leva a atos temerários, contra as instituições democráticas e aos milhões de brasileiros que votaram pelo combate a esses crimes continuados, ocorridos nas últimas décadas, elegendo Jair Bolsonaro a presidência da República. A principal bandeira de campanha de Bolsonaro, de combater a corrupção em todos os níveis e áreas das governanças, está sendo ameaçada por vários ataques na Câmara, Senado, STF, empresários e na imprensa mal acostumados. A 63ª fase da Lava Jato (Carbonara Chimica) nesta semana, deflagrada a partir da delação do ex-ministro Palocci nos governos Lula e Dilma, demonstram que o aprofundamento das investigações vão revelar propinas além das já delatados por empresários, ao nominar o ministro da Fazenda Guido Mantega, bancos e financeiras. A Polícia Federal obteve pendrives com chaves do programa de distribuição de propina da Odebrecht, que vai ampliar as investigações. São essas investigações que fazem os gangsteres fazer qualquer coisa para barrar a Lava Jato e Bolsonaro, sem se importar com o que poderão pensar a maioria dos demais mortais. São bilhões de reais a serem recuperados ao erário."

José Renato Almeida - 26/8/2019

"Lamentável ver ministros tão poderosos anular sentenças de cidadãos que contribuíram para desviar a aplicação de recursos públicos (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato). Triste assistir a essa guerra pelo poder!"

Maria Matos - 28/8/2019

"Enquanto isso, por todo o território brasileiro, são inúmeras as atrocidades que se cometem no Direito processual, afirmando o Tribunal em segunda instância que não detectado prejuízo não há nulidade (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato). E aqui, a ordem na apresentação das alegações finais não foi observada e daí a nulidade reconhecida. Bem foi o MD. relator, ministro Fachin, o resto todos nós já sabemos. E de resto o que foi de importante no julgamento, segundo a mídia, incluindo este rotativo, não foi a ordem processual, mas sim a anulação de uma decisão do ex-juiz Moro. Uma pena!"

Nilson Theodoro - 28/8/2019

"Mais uma 'inovação' do nobre STF (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato)!"

Neiva de Fátima Pereira - 28/8/2019

"Segunda turma (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato)? Gostaria de ouvir o plenário do STF."

Durval Tavares - 28/8/2019

"O STF - 2ª Turma - cria uma nova regra processual para majorar um pouco mais a impunidade já prevista em lei (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato). O criminoso que já cumpriu cerca de dois anos de cadeia ainda deve alguns anos de xilindró! Ele não foi absolvido, claro!"

Joaquim Carlos Adolpho do Amaral Schmidt - 29/8/2019

"Data vênia, o réu colaborador não acusa ninguém: apenas relata fatos (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato). Quem acusa é o MP. Lewandowski e Gilmar criaram uma nova etapa processual: as razões semi finais."

Adilson Dallari - 29/8/2019

"No caso Bendine, que ficou preso por dois anos e agora se constata uma ilegalidade, a pergunta é: quem lhe devolve os meses de cárcere (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato)? Bendine continua na condição de réu e culpado igualmente do assalto que seu partido fez aos cofres públicos! Ou a decisão do STF lhe tira a essa condição?"

Maria Tereza Goes Perestrelo - 29/8/2019

"Vergonha (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato)! Absurdo!"

Marcos Cesar Lins da Silva - 30/8/2019

"Perfeito o professor Dallari, meu eterno mestre (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato). Mas nao é só. Sem prejuízo nao há nulidade. O próprio STF consagrou esse entendimento. Assim, nao basta a inversa. É preciso demonstrar caso a caso que o rito impediu o uso de um argumento capaz de evitar, por si, a condenação. Isso não foi feito."

Mirna Cianci - 30/8/2019

"Uma brilhante oratória (Migalhas 4.676 – 29/8/19 – Alegações finais – Lava Jato). Uma aula de sustentação oral nos deu o colega e dr. Alberto Zacharias Toron. Parabéns!"

Robson Manfre - 30/8/2019

"Que horror, que vergonha (Migalhas quentes – 26/8/19). Ainda continuamos a observar tempos estranhos onde a confusão é plantada com o objeto de propagação de mentiras. É preciso reagir a esse estado de coisas. Preocupa-me o silêncio das pessoas de bem."

João Sérgio Leal Pereira - 31/8/2019

Comente