Terça-feira, 26 de março de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 27

quarta-feira, 26 de outubro de 2005


VITÓRIA DA RACIONALIDADE

Já se começa a dizer que a vitória do NÃO significa vitória da força conservadora. Não é bem assim. É claro que parlamentares mais ligados ao sistema de segurança pública, como Fleury, ex-secretário de segurança pública e ex-governador de São Paulo, estiveram na frente de defesa do NÃO. Sabemos, ainda, que a Igreja Católica, ONGs, ícones dos partidos de esquerda e centro-esquerda, sem falar no presidente Lula e no presidente do Senado, Renan Calheiros, estiveram na linha de frente da campanha do SIM. São referências que não devem ser omitidas. Mas no referendo do domingo, a vitória maior deve ser atribuída à racionalidade. Os eleitores votaram mais com a cabeça do que com o coração.

"JOGO NO MATO, MAS NÃO DOU MINHAS ARMAS"

Domingo, 10 horas da manhã, sol forte, calor de quase 40 graus em Boa Vista, capital de Roraima (RR). Na fila para votar, um cidadão, chapéu na cabeça, desfilava suas razões para votar no NÃO : "com um tiro para o alto, eu amedronto algum ladrão que, por acaso, invada minha fazenda para me roubar. E mais ainda : se for para dar as armas para o governo, jogo todas no mato. E digo mais : quando a Polícia pegava as armas em troca de R$ 100,00 cada uma, mandei fazer umas 30 armas, essas com cano e armação de madeira. Ganhei dinheiro com umas 15 e só não ganhei mais porque a Polícia não quis mais pegar o restante". Ali estava o perfil da indignação embalado na caixa da esperteza. Viu no desarmamento manobra do governo, maneira de se defender e, ainda, ganhou uns bons trocados com a troca das armas por dinheiro, por ocasião da campanha do desarmamento.

QUEM GANHA E QUEM PERDE

Fatias de todos os setores sociais ganham. Estados de fronteira ganham mais ainda. Espaços da intelectualidade e da cultura e elites das artes perdem. Políticos de centro-esquerda (PT, PSDB) perdem. Grande parcela dos jovens votou no NÃO, com sentimento de revolta. A Igreja Católica perde. E a emoção acabou perdendo para a racionalidade.

DEMOCRACIA DIRETA

A maior vitória, porém, é da democracia direta. Eis aí a chave para abrir as portas das grandes interrogações. Há polêmica, dúvidas ? Consulte-se a sociedade civil. Alguns temas já estão escalados para receber a apreciação do voto direto : fetos anencefálicos, maioridade penal, prisão perpétua e pena de morte.

A AUTO CONFIANÇA DE LULA

Agora, o presidente Lula pede aos empresários que seu governo seja colocado na balança de 30 anos de administração governamental do país. Ele garante que fez muito mais. De onde Lula tirou tanta auto confiança ? Acaba de receber uma negativa da sociedade para a questão da segurança pública e fecha os olhos como se não fosse com ele. Onde estão as tais melhorias ? No superávit primário, no volume de exportações, na dinheirama ganha pelos bancos ? Onde estão efetivamente os fatos positivos na área social ? O desemprego foi atacado ? Onde estão os 10 milhões de empregos prometidos ? Claro, a propaganda lulista vai continuar atirando estatísticas no ar. Vem aí mais campanha para dizer que o Fome Zero saiu do zero. Enquanto isso, as contas extraordinárias continuam a aparecer : R$ 1 bilhão (isso mesmo, um bilhão de reais) foi gasto com diárias de viagens de servidores públicos. Pode-se começar comparando o governo Lula com outros, a partir da "gastança" com as viagens ?

TÁTICO E DETERMINADO

José Dirceu, já se disse aqui, é um leão que sabe defender seu território. Não recua facilmente. Trata-se de um político muito tático e mais que determinado. Depois de receber um NÃO do STF, em um primeiro recurso, Dirceu recorre ao Supremo novamente. Com o novo mandado de segurança, quer tentar suspender a sessão do Conselho de Ética que julgará a cassação. Um pepino para o grande advogado e agora ministro Eros Grau, a quem caberá apreciar e decidir sobre o recurso. O STF já negara pedido de Dirceu para sustar a cassação, rejeitando sua tese de que era ministro e não deputado quando ocorrera a entrega de recursos a parlamentares. Grau deu voto favorável a Dirceu. Se acolher novamente a tese do parlamentar, não se poderá extrair daí qualquer ilação. O ministro faz por honrar a cadeira onde se senta.

O MEDO DE LULA

Por que Lula tem medo da acareação entre seu chefe de gabinete, Gilberto Carvalho, e os irmãos Daniel ? Diz-se que a continuidade de Carvalho no cargo dependerá de sua performance. Se passar no teste, farol verde. Ao contrário, sairá do governo. Não se pense que, nesse caso, será colocada uma pedra no caso. Ao contrário : será tirada a lápide que fecha o túmulo do ex-prefeito de Santo André.

SERRA E ALCKMIN

Pois é, os horizontes tucanos estão ficando claros. Cada vez mais emerge a certeza de que a disputa em torno da candidatura presidencial ficará entre Geraldo Alckmin e José Serra. Hoje, Serra tem uma pontuação maior que Alckmin. Conserva o recall da campanha passada. Ocorre que Serra está patinando no seu índice. Estaria no teto ? Não dá, ainda, para saber. Cada campanha tem seu clima e circunstâncias. Alckmin, por sua vez, continua desconhecido. Pergunte-se a um cidadão de Roraima, no extremo norte, por exemplo, quem é ele, e a resposta será negativa. No Centro-Oeste, idem. No Nordeste, deve ser conhecido por uma fatia muito pequena. Parece que o governador não tem interesse nenhum em se fazer conhecido, nesse momento. E sua assessoria política não está nem aí para essa questão. Lula poderá levar a melhor por falta de candidaturas mais competitivas.

FRASE DO DIA

"Lula e o PT estão tentando cruzar cabra com periscópio, para ver se acham um bode expiatório".

FUNDOS COM SIGILOS QUEBRADOS

Se os cofres dos Fundos de Pensão forem realmente abertos, a verdade subterrânea virá à tona. Um oceanoduto poderá ser descoberto. E gente graúda, das mais graúdas, poderá ser afogada. Hipótese que só daria certo, caso poder e querer andassem de mãos juntas. Como os tucanos começam a entrar em fria, baldes de água fria poderão ser jogadas na fogueira.

AS FITAS GRAVADAS

Se as 42 fitas gravadas para averiguar a morte do prefeito Celso Daniel forem requisitadas pela CPI à 4a vara da Justiça Federal de São Paulo, o oceanoduto dos Fundos de Pensão poderá ganhar mais volume.

___________

A coluna Porandubas Políticas, integrante do site Migalhas (www.migalhas.com.br), é assinada pelo respeitado jornalista Gaudêncio Torquato, e atualizada semanalmente com as mais exclusivas informações do cenário político nacional.

Se você deseja compartilhar gratuitamente estas migalhas, verdadeiras pílulas de sapiência, com algum amigo, alterar seu e-mail, ou cancelar o envio, clique aqui.

___________________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.