Terça-feira, 26 de março de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 44

quarta-feira, 15 de março de 2006

O TUCANOSCAR VAI PARA ....................GERALDO ALCKMIN

Depois de levar a indecisão no bico por um bom tempo, os tucanos decidiram atribuir o "Prêmio Tucanoscar" a Geraldo Alckmin. Ele será o candidato à presidência da República. É o melhor candidato, conforme defendíamos nessa coluna. Menos conhecido, menos rejeitado, tem maior potencial de crescimento. Falta-lhe discurso nacional. Precisa rechear a identidade com uma visão de Brasil. Já o prefeito José Serra, ao impor a condição de não se submeter às previas, abriu mão da candidatura. Ora, ninguém pode ser contra prévias quando há dois pré-candidatos fortes disputando a vaga. Serra estava mesmo com medo de perder para Lula e fechar a história de sua carreira política.

PERDENDO O BONDE

Há sempre um caminho mais viável que outro para se alcançar o cume da montanha. O melhor caminho dos tucanos seria uma via com duas vicinais : Geraldo Alckmin para presidente ; José Serra para governador. Este teria ótimas chances de vencer Marta ou Mercadante, em São Paulo. Geraldo assumiria o compromisso de se candidatar apenas uma vez, desistindo de eventual reeleição. Serra, eleito governador, fazendo boa administração, seria um candidato viável. E se o governador perder a eleição para Lula ? Melhor ainda para Serra : seria o candidato natural, o anti-PT, em 2010. Portanto, esse caminho levaria Serra ao cume da montanha. A vaidade serrista afasta-o do bonde da história. Mas, quem sabe, poderá recuperar as chances, reelegendo-se prefeito, em 2008, ou postulando coisa maior dois anos depois.

AÉCIO COM NUVENS

Aécio Neves, diz-se, quer porque quer ser candidato à presidente da República em 2010. Para isso, Aécio deve exigir o mesmo compromisso de Geraldo Alckmin, ou seja, veto ao projeto de reeleição, caso ganhe de Lula. A questão não pára por aí. O jovem mineiro exibe um perfil muito nebuloso. Nuvens cinzentas atrapalham sua identidade. Diz-se que a vida privada do governador precisa ganhar nova feição, sob pena de ser tragado pelas fofocas que explodem de todos os lados, inclusive situações constrangedoras que teriam ocorrido no carnaval.

PALOCCI AMEAÇA LULA

Lula continua faceiro e perdendo peso. A lua-de-mel poderá passar logo, logo, caso o ministro Antonio Palocci seja colocado no centro da fogueira. A denúncia do caseiro, de nome Francenildo, é bombástica. Palocci era o chefe que comandava a turma de Ribeirão Preto e a distribuição de dinheiro, a partir da famosa casa de Brasília. Há tantos detalhes – inclusive o carro Peugeot prata, o sensor de luz que o ministro mandava apagar – que dão à história um caráter de verdade. Há um delegado que confirma o esquema de corrupção em Ribeirão Preto. Há um assessor, que fazia compras, que também confirmou tudo. Há um motorista garantindo que Palocci visitava a casa. E há Buratti, assessor de peso, que falou às escâncaras. Ou seja, há mais ataques do que defesa. E defesa frágil. Se ele cair, será um deus-nos-acuda. Lula ficará cada vez mais só.

FITAS

As fitas continuam a aparecer como previmos. As últimas mostraram conversas entre o empresário Tony Garcia e o advogado Roberto Bertholdo, envolvendo parlamentares e grana para aliviar depoimentos de donos de bingos. Haja corrupção.

PRÉVIAS NO PMDB

As prévias no PMDB vão acontecer mesmo no dia 19 próximo conforme garantiu esta Coluna. Garotinho está mais perto da vitória. Ganha. Mas leva ? Tudo indica que se a verticalização for mantida pelo STF, acolhendo-se o voto da ministra Ellen Gracie, o PMDB recuará e não indicará candidato na convenção de junho. Os governadores e candidatos a governador pelo partido serão chamados pelo presidente do PMDB, Michel Temer, e daí sairá a decisão. É claro que os candidatos querem liberdade para fazer alianças a torto e a direito. Uma candidatura à presidência atrapalharia essa intenção.

MST

O Movimento dos Sem-Terra apóia Lula e vai à luta, melhor dizendo, vai aos saques. Lula põe o boné vermelho do MST e abraça calorosamente João Pedro Stédile. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, condena as invasões. Lula fica calado. Mas tem o apoio de Stédile para se reeleger. Para entender tal química, só mesmo mergulhando nos escombros da matreira política.

E ONDE FICA O BRASIL?

O fulanismo continua abrindo espaço. Os fulanos e beltranos estão ganhando todas. E onde fica o Brasil nessa história ? Onde estão as idéias ? Será necessário abrir a campanha para se ouvir algo sobre o Brasil ?

JOÃO PAULO, CASSAÇÃO À VISTA

Será muito difícil, mesmo, para o ex-presidente da Câmara, deputado João Paulo, escapar da cassação. A indignação da opinião pública chegou ao clímax. JP aparece na curva da ferradura....lembram-se ? Uma no cravo (absolvição), outra na ferradura (condenação).

PSDB PROCURA PMDB

Não é só Lula que quer o PMDB integrando suas forças. O PSDB, idem. Há conversas de alto nível em torno de alianças, a partir da disputa para o governo estadual.

QUATRO CANDIDATOS

Se a verticalização for mantida, os candidatos prováveis à presidência da República serão: Lula (PT), Geraldo Alckmin (PSDB-PFL), Heloísa Helena (P-SOL) e Jefferson Peres e/ou Cristovam Buarque (PDT). Logo, a polarização será forte.

BAND: COBERTURA MAIS FORTE

O Grupo Band reuniu os partidos para anunciar a intenção de fazer uma cobertura eleitoral mais forte, privilegiando o ideário. Chegou a vez do conteúdo. A forma, a mentirinha, as firulas televisivas dos programas eleitorais estão dando adeus. Caíram no descrédito. Fernando Mitre já marcou o primeiro debate entre os presidenciáveis para dia 12 de julho.

E SE O BRASIL GANHAR A COPA, HEIN ?

Que candidato mais se beneficia se o Brasil ganhar a Copa ? 10 entre eleitores acertam a resposta. Como não há dúvidas, deixamos a questão em aberto. Agora, e se o Brasil perder, hein ? A recíproca é verdadeira.

________________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.