Domingo, 18 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 95

quarta-feira, 9 de maio de 2007

2008: PRIMEIROS ENSAIOS

José Serra conversou com Geraldo Alckmin na recente viagem que fez aos Estados Unidos para descolar dinheiro para grandes projetos de seu governo. Foi uma conversa para abrir o grande debate sobre a eleição de 2008. Serra quer ver Kassab como candidato. Sabe que Alckmin poderá vir a ser eleito se for o candidato. Uma pedra no meio do caminho presidencial de 2010. O governador tucano espera pavimentar a estrada com apoios de muitos partidos e dissonância zero. Não será fácil. O tucano que chegará nas próximas semanas dos Estados Unidos não terá outra opção que não a de ser candidato. Sob pena de ficar no limbo. Serra lutará contra seu correligionário.

KASSAB CONTINUA "KASSABANDO" IDENTIDADE

A marca da Cidade Limpa até que pegou, mas não elegerá Gilberto Kassab. O povão não se toca muito para a questão de outdoors e que tais. Quer ações firmes de micropolítica: segurança, educação, saúde, saneamento, transporte barato etc. Kassab não tem imagem populista. Trata-se de um perfil engavetado. Quer dizer, de gabinete. Não tem nenhum carisma. E não é fluente. Como quer se reeleger ? Se tivéssemos parlamentarismo na Prefeitura, até poderia ser Primeiro-Ministro. Que exige perfis de articuladores e gerentes. Por isso, Gilberto continua "kassabando" (empurrando com a barriga a ausência de identidade). Daí a distância do povão.

DILMA, A TODA-PODEROSA

Dilma Rousseff é a Toda-Poderosa chefe da Casa Civil, uma espécie de Primeiro-Ministro do governo Lula. Por que toda a força para a dama de ferro ? Porque ela é a candidata "in pectoris"de Lula para a sucessão presidencial. O presidente não vê nenhum quadro forte no PT. E considera Dilma um perfil suprapartidário. Ela é lulista. Se Dilma não decolar, Lula irá ao encontro de Aécio Neves, que começa a arrumar as malinhas para sair da floresta tucana. É claro que a arrumação de mala, do tipo mineiro, demora mais que o normal.

PMDB E AÉCIO

Michel Temer almoça, hoje, com Aécio Neves em Brasília. Encontro agendado no domingo. Vão trocar figurinhas, a partir das letras impressas na última semana, que dão conta do interesse de Lula em caminhar para Aécio, caso não consiga viabilizar a decolagem de Dilma. Aécio tem uma certeza: não será o candidato tucano à presidência. Ninguém tira essa possibilidade de José Serra. E é frágil a possibilidade de Aécio ser o vice na chapa de Serra. Se o cavalo do PMDB passar na frente do Palácio das Mangabeiras, Aécio correrá para montá-lo.

TUCANOS PERDIDOS

Tasso Jereissati é considerado um mau presidente do PSDB. Isolado no Nordeste, deixou o partido ver a banda passar nos últimos tempos. Foi visitar Lula no Palácio do Planalto, mas não pediu conselhos a ninguém. Apenas comunicou que faria a visita. O que teria levado Tasso a conversar com o presidente ? Ora, a questão da instalação da siderúrgica pleiteada pelo Ceará. Primeiro, o Estado do Ceará. Segundo, o PSDB.

SÉRGIO GUERRA

O novo presidente do PSDB deverá ser o senador Sérgio Guerra. Jeitoso, bom articulador, mas também tem o cacoete de se isolar no Nordeste. Poucos o conhecem por estas bandas, as mais importantes no cenário político nacional. E se Guerra não fizer do seu sobrenome a nova marca dos tucanos, haverá debandada dos bichos de bico longo antes da próxima estação eleitoral. Fernando Henrique já pediu mais oposição, mais determinação, mais energia ao partido. Palavras ao vento...

MARINA É DURA NA QUEDA

Marina Silva, a ministra do Meio Ambiente, de franzina só tem o porte. A mulher é dura na queda. Pois aí está o PAC empacado, até por conta das hidrelétricas do rio Madeira, que não avançam por não terem o lastro dos estudos dos impactos ambientais. Marina está praticamente isolada no governo. É um mandacaru dependurado na caatinga, firme, que não se verga aos ventos e tempestades. Até quando resistirá ? Lula só ainda não a demitiu pelo prestígio que conseguiu na esfera internacional.

QUE PAPA MAIS SEGURO

Nunca se viu um aparato de segurança tão forte quanto este que está sendo mobilizado para dar proteção a Bento 16. Será que o Papa precisa de tanta segurança ? Somos um povo bárbaro ? Será que Bagdá instalou-se em São Paulo e não estamos sabendo ? O papa tocará os braços do povo ou permanecerá sob vidros blindados ? Que papa mais seguro, hein ? A Igreja Católica não precisa se aproximar do povão ? E que aproximação se fará com tantos soldados, equipamentos, mobilização de cavalaria e artilharia ? Esse aparato - que até pode ser necessário - suja um pouco a imagem de santidade que o Sumo Pontífice, pela condição de Chefe Supremo da Igreja Católica, exerce.

QUE ORAÇÃO FARÁ O FREI BOFF ?

Leonardo Boff foi aluno do Papa Bento 16, quando ele era o cardeal Joseph Ratzinger. Defendeu doutoramento sob a orientação do cardeal alemão. Depois, o cardeal condenou Boff a um "silêncio obsequioso", por conta da Teologia da Libertação, defendida pelo franciscano. O frade abandonou a Igreja. Que oração fará Leonardo nessa visita papal ao Brasil ? De alegria, de tristeza, de desgosto, de emoção, de perdão ?

ALIANÇA GOVERNISTA, ATÉ QUANDO ?

Há quem não veja muito futuro na consolidação da aliança governista. Sustentar 11 partidos sob o mesmo abrigo e contentar a cada um é tarefa complexa. Alguns partidos começam a se queixar da indisposição do governo em abrir portas para as demandas partidárias. Mais cedo ou mais tarde, o racha virá. Ali pelas proximidades das eleições municipais de 2008.

QUEBRA DE PATENTE

Lula quebrou a patente do medicamento Efavirenz, usado no combate ao vírus HIV da Aids. E vai encomendar da Índia 27 milhões de comprimidos da versão genérica do remédio. Certamente, ganha palmas. Mas há quem veja na decisão a ameaça de o país perder, nos próximos anos, algo em torno de R$ 40 bilhões de investimentos na área químico-farmacêutica. Vamos conferir. O laboratório Abott, em decorrência da decisão do governo, ofereceu diminuir em 28% seu medicamento contra Aids. A questão é: se o governo não concordar, quebrará também a patente daquele remédio ?

E A FORÇA SINDICAL, HEIN?

A Força Sindical, que vivia criticando o governo Lula, é uma montanha de silêncio. Paulinho, o deputado, fechou a boca depois que seu indicado, Carlos Lupi, assumiu o Ministério do Trabalho. Mas qual é a proposta do Ministério, se não quer fazer nem reforma sindical nem reforma trabalhista ?

PT SOB FEL

O PT vive o ciclo do fel. Não está conseguindo manter os espaços na administração federal. E Lula administra com mão férrea as demandas do partido. Corre sangue indignado nas veias petistas.

O ULTIMATO DA PETROBRAS

A Petrobras deu um ultimato à Bolívia, que se vencerá, hoje, para responder se quer ou não comprar as duas refinarias, ao preço entre US$ 120 milhões e US$ 135 milhões. Lembre-se que o preço inicial era de US$ 200 milhões. Como o Brasil desenvolve uma "diplomacia generosa" com a Bolívia, é de esperar que tudo se ajeite, com o recuo do Brasil e vivas ao surto nacionalista de Evo Morales.

CPI DAS ONGS

O senador Heráclito Fortes se esforça para instalar a CPI das ONGs já aprovada. Trata-se de um espaço coberto por nuvens carregadas. Aclarado, exibirá montanhas de entulhos com cheiro de corrupção.

CONTENCIOSO

O Brasil se torna a República do Contencioso. A polêmica se instala em todas as bandas do território. A que se deve a Juridiciocracia ?

_______________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.