Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 98

quarta-feira, 30 de maio de 2007

 

O EFEITO MIDIÁTICO

Renan Calheiros fez um discurso previsível. Tentou conduzir a expressão pela via emotiva da "paternidade não programada". Esse discurso tende a abrigar uma massa de apoios. Muitos políticos se identificam com a situação. Há espaços, porém, que ficaram obscuros. O Conselho de Ética do Senado terá de se pronunciar. Hoje, digamos que a temperatura no Senado é de 39ºC, com tendência de declínio se Renan conseguir mostrar mais argumentos a seu favor. Mas a temperatura social poderá subir aos 42ºC se a mídia dos próximos dias colocar lenha na fogueira. Em letras mais diretas: se a Veja apresentar dados novos - retumbantes e certeiros - o corporativismo afrouxará.

RENAN ENTRE A CRUZ E A CALDEIRINHA

Nessa hipótese, Renan Calheiros ficará entre a cruz e a caldeirinha. Terá de reaparecer no cenário com documentos que demonstrem que tirou do próprio bolso o dinheiro para pagar a mensalidade à jornalista Mônica Veloso. Se houver comprovação de que mentiu, Renan sairá chamuscado. Poderá não perder o mandato, mas ficará balançando na cadeira de presidente do Senado.

MULHER DESTEMIDA

Chamou a atenção a presença de dona Verônica, a mulher de Renan, por ocasião de sua peroração emotiva no Senado. Corajosa, não perdeu o rebolado. Determinada, foi cumprimentar o marido. Renan deve ter comido o pão que o diabo amassou.

UMA FALA DO TRONO

Renan fez seu discurso sentado na cadeira de presidente do Senado. Detalhe que exibe um equívoco. Não se defendia ali o presidente do Senado, mas o senador Calheiros. A cadeira presidencial não deveria ceder lugar a uma defesa de cunho estritamente pessoal. Deveria, portanto, ter usado a Tribuna, como o fez, na época, o ex-presidente do Senado, Jader Barbalho, em sua briga com o senador Antônio Carlos Magalhães. Falar do trono não pegou bem.

REFORMA POLÍTICA PEDE PASSAGEM

A Operação Navalha abriu os últimos obstáculos para a discussão da reforma política. Ela está caindo de madura. Não pode ser mais protelada. Urge colocar em cena os instrumentos da fidelidade partidária, financiamento público de campanha e voto distrital misto.

REFORMA NA PLUMAGEM TUCANA

Os tucanos iniciaram o debate interno para reformar a plumagem do tucanato. Eles estão confusos. Não sabem que espectro da social-democracia devem defender. Pois o PT tomou, hoje, o espaço central da social-democracia brasileira. Que temas devem compor o escopo do partido ? O tamanho do Estado, as reformas trabalhistas, sindical e tributária, além da reforma política, esperam por um ante-projeto dos tucanos ? Mas eles estão interessados nisso ?

EMPREITEIRAS

Um dado a ser gravado: as empreiteiras bancaram 11,42% das campanhas de governadores. Há alguns anos, esse índice era menor. A legislação permite isso. Portanto, não se deve ler a corrupção por estas linhas, mas nas entrelinhas que essa taxa sugere. Ou seja, o princípio franciscano - dando é que se recebe - está se fortalecendo.

UMA HIPÓTESE

Linha antiga de argumentação: a corrupção, hoje, é menor. Só que é mais visível em função do aprofundamento dos processos investigatórios. Não concordo. Defendo outra hipótese: a corrupção hoje é maior porque as malhas da corrupção são mais extensas, entrando intensamente nas três esferas da Federação. Os esquemas se sofisticaram. E a investigação flagra apenas ínfima parcela.

GILMAR CONTRA A CANALHICE

O vice-presidente do STF é um ministro corajoso. Designou de canalhice o método da PF de colocar homônimos na teia de suspeitos, entre os quais, um tal de Gilmar Mendes. A PF tem sido eficiente. Mas poderia ser menos espalhafatosa. Ganharia mais respeitabilidade.

NAVALHA NA PRÓPRIA CARNE

A ministra Eliana Calmon mandou afastar três delegados da PF por 60 dias, entre eles Zulmar Pimentel, diretor-executivo, considerado o segundo homem dentro da instituição, atrás somente do diretor-geral, Paulo Lacerda. A navalha na própria carne entra em ação.

TARJA NEGRA

Afinal, que nomes estariam escondidos sob a tarja negra nos primeiros documentos preparados pela PF ? Até o momento, os nomes sumiram e as especulações se multiplicam. São amigos do Rei ? São pessoas sem nenhuma ligação com a malha de corrupção ?

LULA E JESUS

D. Cláudio Hummes comandou a cerimônia de reabertura da Capela do Palácio Alvorada. Ali, comparou Lula a Jesus Cristo, por ter se compadecido e recebido os leprosos. A comparação soou exagerada, apesar de se compreender o sentido cristão que o todo poderoso cardeal quis imprimir ao gesto do presidente da República. Logo depois, Lula aprovou um novo programa de planejamento familiar que prevê a venda de anticoncepcionais com 90% de desconto em farmácias credenciadas e o aumento de contraceptivos gratuitos em postos de saúde. Quando se sabe que a Igreja Católica é frontalmente contrária a essa campanha, fica a dúvida: e o cardeal Hummes, hein, o que acha ?

SUÍCIDIO JAPONÊS

Uma questão de cultura. O ministro japonês da Agricultura, Florestas e Pesca, enforcou-se em seu apartamento, antes de responder a acusação de corrupção e malversação de fundos públicos. Toshikatsu Matsuoka, 62, evitou a humilhação pública. No Brasil, está para nascer um perfil com essa índole. Tivéssemos gente desse naipe, sobraria um tiquinho de gente. Afinal, D. João III, em 1534, criou 15 capitanias hereditárias e as distribuiu aos amigos. De lá para cá, passamos a embutir a res pública no território privado.

"MISS UNIVERSO: METERAM A MÃO NA BRASILEIRA"

Essa foi a manchete do Diário de S.Paulo de ontem. A mineira Natália Guimarães ficou em segundo lugar, perdendo para a miss japonesa, que ganhou o título. Mas a manchete do jornal da cadeia Globo, convenhamos, foi uma extravagância.

FECHAMENTO DA RCTV

Hugo Chávez fechou a principal emissora de TV da Venezuela. O Estado passa a contar com cinco redes de TV. Somando o tempo que usa em suas falas para a mídia, Chávez teria - durante seu mandato continuado - passado um ano inteiro abrindo a boca. É a Revolução Bolivariana em ação. O mundo inteiro faz contundentes críticas ao chavismo-stalinista.

SERRA E O IMPASSE NA USP

José Serra vive seu maior impasse: se mandar a tropa tirar na marra os alunos da Reitoria da USP, será acusado de perseguidor. Se deixar a alunada continuar a ocupação, será considerado leniente. O competente Secretário da Justiça, Marrey, bem que poderia tirar um coelho da cartola e acabar logo com essa primeira crise do governo tucano.

BALAS DE FESTIM

Simulação policial em Rondonópolis (MT) causou a morte de um estudante de 13 anos e deixou nove feridos. Em lugar de balas de festim, os policiais militares usaram munição verdadeira. Mais um exemplo da tragédia brasileira que, a cada dia, pelos espaços distantes do território, ceifa vidas e corrói a imagem das instituições.

APOSTA I

Renan Calheiros sairá ileso da batalha ? Os que responderem SIM, levantem a mão. Deu 152 a 97 para Renan. Por enquanto.

APOSTA II

Quem aposta que Renan Calheiros, mesmo continuando na presidência do Senado, virará um pato manco ? A resposta poderá ser dada até sábado.

LULA SÓ...RI...

E Lula, do alto de sua magnanimidade, diz que todo mundo é inocente até prova em contrário. Do interior de sua alma, ri a bandeiras despregadas. Quanto mais seca no deserto político, mais água no oásis palaciano. Lula reina absoluto no despenhadeiro da imagem política.

________________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.