Segunda-feira, 22 de abril de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 106

quarta-feira, 25 de julho de 2007

CRISE NO GOVERNO

O governo Lula vive seu pior momento. Os episódios envolvendo corrupção na malha administrativa, desde os tempos de Waldomiro Diniz, não causaram tanto impacto quanto o caos do sistema aéreo que culminou com a tragédia do Airbus A-320 da TAM, que matou 200 pessoas em Congonhas. Desta feita, a emoção toma conta da sociedade. A cada relato de parentes que perderam pais, mães e filhos, mais comoção se soma ao Produto Nacional Bruto da Infelicidade. O presidente está confuso. Não demite ninguém, faz reuniões e procura retomar a agenda de viagens. Para o Norte e Nordeste, onde tem uma base gigantesca de apoios.

OS ERROS DE LULA

Lula cometeu um conjunto de erros. Deveria ter ido imediatamente ao campo da tragédia como um comandante em plena guerra a socorrer os feridos. Refugiou-se no Palácio do Planalto. Fez uma operação para retirar um tersol que o incomodava. Tivesse comparecido em Congonhas com um curativo no rosto, dando ordens, enfrentando apupos (se fosse o caso), cobrando providências, seria, ao final do processo, reconhecido pelo menos no capítulo solidariedade. Os conselheiros de Lula fazem parte de uma Corte de bajuladores. Devem temer dizer a verdade. Lula errou ao não demitir de imediato os homens da linha de frente de defesa do sistema aéreo. Aliás, dizem que Lula não demite ninguém. Até Waldomiro Diniz teve de pedir demissão. Lula erra quando mostra tibieza.

GAFES EM SÉRIE

As gafes seriadas cometidas por parlamentares, ministros e assessores do governo Lula até que ganhariam aplausos no Festival Político. Seria cômico, para não dizer trágico, assistir um Musical com a ex-deputada Ângela Guadagnin, de amarelo, ensaiando grotescamente a Dança da pizza, a ministra Marta Suplicy, de vermelho, cantando a Opereta Relaxa e Goza e o ministro Marco Aurélio Garcia, com óculos de armação redondo-escura, tocando um bumbo e assoviando top, top, top.

PRIMEIROS IMPACTOS

Não se pense, porém, que Lula sofrerá abalos sísmicos com o Apagão Aéreo. As pesquisas deverão registrar ligeiras alterações para baixo no índice de aprovação do governo. Luiz Inácio continua nadando de braçadas nas águas do oceano localizado na base da pirâmide.

PARAÍSO DOS RICOS

E por que o jornal francês Le Figaro acaba de dizer que o Brasil é "o paraíso dos ricos" ? Ora, porque Lula satisfaz imensamente aos moradores do topo da pirâmide e aos habitantes das margens. Os de cima se locupletam com os ganhos da especulação financeira. Os de baixo, de estômagos satisfeitos, fazem filas em torno do Bolsa-Família. Vamos acompanhar a insatisfação dos estratos médios. A indignação cresce no meio da pirâmide. Chegará até às margens de baixo ? A conferir.

KASSAB COMEMORA

O prefeito Gilberto Kassab tem motivos para comemoração. Já é conhecido pela comunidade paulistana. Começou tateando e, agora, tem rumo. Fiel à liderança do governador José Serra, mantém postura discreta quando o tema é candidatura à reeleição à prefeitura de São Paulo. Se Kassab, hoje com 30% de aprovação, continuar crescendo, será difícil "cassar-lhe" o direito de postular a vaga. Geraldo Alckmin ficará no limbo. Mas a disputa entre a ala serrista dos tucanos e a ala alckmista promete.

MARTA DANÇOU

Já a situação da ex-prefeita e hoje ministra do Turismo, Marta Suplicy, é complicada. Depois do "Relaxa e Goza", que ficará pregado no sempiterno traje vermelho, Marta é um retrato dentro da moldura da expectativa. Eleição no curto prazo é um desafio impensável. A não ser que a ministra entre no páreo apenas para constar e fixar posição do PT na maior capital do país.

CHINAGLIA

Enquanto isso, esquentam as turbinas de Arlindo Chinaglia, presidente da Câmara dos Deputados, que sonha com a Prefeitura paulistana. Chinaglia encarnaria "o perfil novo" do PT. Pode ser um forte concorrente.

E PAULINHO, HEIN ?

E Paulinho, da Força Sindical, hein ? Trata-se de um nome do PDT sempre à disposição para enfrentar desafios. Uma campanha majoritária - para prefeito - no meio do mandato proporcional faz bem porquanto expande a visibilidade e contribui para melhorar o posicionamento do deputado no quadro eleitoral dois anos depois. Claro, se perder a disputa para prefeito. Mas é possível que Paulinho da Força faça composição com o candidato do PT.

MEDEIROS CONTEMPLA A CENA

Observando a cena, o ex-deputado Luiz Antônio Medeiros, poderoso aliado de Paulinho, dedica-se, atualmente, a realizar importantes tarefas no Ministério do Trabalho, onde exerce as funções de Secretário das Relações do Trabalho. Medeiros pode até voltar ao Parlamento, mas é agudo quando faz uma leitura da experiência parlamentar. Na Câmara, as coisas andam muito devagar. Os deputados sentam-se sobre os projetos, travando seu andamento. Já no Executivo, as coisas andam. A observação de Medeiros é pertinente.

PEDRO PAULO MANUS

O vice-presidente administrativo do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, juiz Pedro Paulo Teixeira Manus, comporá o escalão dos juízes do TST, escalado que foi pelo presidente Lula. Esse magistrado possui visão contemporânea sobre as relações do trabalho. Por exemplo, em relação à Terceirização de Serviços, ele diz não importar o que é atividade-meio e atividade-fim, objeto do Enunciado 331 do TST. Importa, isso sim, é a precarização do trabalho. Manus respira o cheiro do tempo. O TST ganhou um bom juiz.

AÇÃO CRIMINAL

O advogado Joandre Antônio Ferraz prepara-se para representar criminalmente contra as seguintes autoridades e órgãos: Superintendente da INFRAERO em São Paulo, Presidente da INFRAERO, Diretoria da ANAC (que decide em colegiado), Comandante da Aeronáutica, Ministro da Defesa e Presidente da República, por homicídio e lesão corporal dolosos. Justificativa: eles assumiram o risco de causar o resultado em concurso formal e material de autoria.

CONDECORAÇÃO COM RUBOR

O presidente da ANAC, Milton Zuanazzi, diz que sua Agência "não tem nenhuma responsabilidade" pelo caos do sistema aéreo. Foi condecorado com a medalha do mérito Santos Dumont por serviços prestados à Aeronáutica. Com a mesma medalha foi agraciada Denise Abreu, aquela que fez pose com um charuto no carnaval da Bahia. A condecoração, na esteira do choro e da indignação causada pela tragédia de Congonhas, é um acinte às cidadãs e cidadãos. Se os homenageados não ficaram ruborizados, Santos Dumont escondeu a cara com o chapéu. De vergonha. O ministro Juniti Saito, da Aeronáutica, deveria, ao menos, ter pedido a opinião sobre a conveniência da medalhada ao seu amigo artista, alma sensível, Ronnie Von, antigo colega de escola.

E A DEFESA, HEIN ?

Quem quer ser ministro da Defesa ? Não precisa entender de guerra. Não precisa saber comandar. Não precisa controlar os subordinados. Não precisa conhecer profundamente o mister das Três Armas: Exército, Marinha e Aeronáutica. Exige-se apenas do candidato que saiba se esconder por trás das grandes tragédias. Quem se habilitar, favor mandar curriculum vitae para Sua Excelência, o Presidente da República. E providenciar para que a correspondência não caia na mesa do atual ministro da Defesa, Waldir Pires.

O FAVORITO DE CIRO

Ciro Gomes faz um alerta: o candidato favorito no pleito de 2010 é Aécio Neves. Condição: união dos tucanos. Serra seria candidato à reeleição e apoiaria Neves. Minas Gerais, 13 milhões de votos, Rio de Janeiro, 11 milhões, e São Paulo, 27 milhões de votos, despejariam suas grandes maiorias no espaço do mineiro. Com o alerta, o deputado do PSB avisa: eu serei o melhor candidato da situação. Por isso, não me queimem. A conferir.

AS AGÊNCIAS

A ANAC, como já se sabe, não funciona. A ANATEL, como se divulga, é tomada pelos lobbies. E a ANTAQ, alguém sabe o que é ? Trata-se da Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Ao que se diz, a Agência também não funciona. O que ela fez e o que ela faz ? Ao que também se diz, água, para a Agência, só a de rio. Parece desconhecer que os Cruzeiros Marítimos existem no Brasil. E que os transatlânticos navegam no mar e não em rio. Ou será que o Brasil não é banhado por Oceano ?

LUCIOLA NA DRT

A Delegacia Regional do Trabalho, em São Paulo, passou a ser comandada temporariamente por Lucíola Rodrigues Jaime, quadro técnico da Casa. Comenta-se que dirigirá o órgão até o recesso parlamentar. Há muita insistência para que aceite permanecer à frente da Delegacia. Lucíola produziu um dos mais densos conceitos sobre a empregabilidade dos deficientes físicos.

______________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.