Segunda-feira, 16 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 108

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

PONTO FINAL

Renan Calheiros até poderá continuar a colocar mais interrogações na interpretação musical do verso "daqui não saio, daqui ninguém me tira". Mas a sensação é a de que sua história na presidência do Senado está chegando ao ponto final. A base peemedebista do Senado recua, a cada dia, tirando o apoio inicial. Renan não poderá mais renunciar ao mandato. Deverá se submeter ao processo aberto pela Comissão de Ética. Há um mês, poderia receber uma sanção pequena. Com as novas denúncias da revista Veja, será tarefa quase impossível segurar o mandato.

DILEMA PEEMEDEBISTA

O PMDB no Senado vive um dilema. Se o imbróglio Renan demorar ainda mais, de forma que seu mandato entre no segundo ano, quem assumirá a cadeira presidencial na Câmara Alta será o vice-presidente, Tião Viana (PT-AC). Se a questão for resolvida logo, deverá haver nova eleição. Nesse caso, o PMDB também enfrentará um dilema : não tem candidatos à altura. Jarbas Vasconcelos, do PMDB que faz oposição ao governo, é, até, bom candidato, mas não arrebanha todos os votos da bancada. Aos senadores governistas cobra-se perfil de autoridade e independência.

ROUBAR OS MORTOS

Roubar objetos de mortos é um ato de barbárie. Principalmente quando se trata de coisas pessoais, que bem poderiam permanecer no altar das famílias que perderem entes queridos. Pois não é que roubaram objetos pessoais - bolsas, relógios, pulseiras, medalhas, celulares etc - dos passageiros que morreram na queda do avião da GOL ? Incrível, porém verdadeiro : o celular de um morto tocou nos ouvidos de um vivo, a partir do Rio de Janeiro. Chegou às mãos de gangues por obra e graça de quem ?

CANTEIRO DE OBRAS

É dinheiro que não falta. Lula corre de um lado e de outro, a bordo do Aerolula, avião sem perigo de voar com reversos travados, e vai espalhando bilhões e milhões. Toma lá, dá cá. E assim o PAC vai fazendo montanhas de promessas por todo o território. No exterior, voando no céu de brigadeiro das pesquisas de opinião pública, Lula promete fazer do Brasil um gigantesco canteiro de obras. Que comecem, já. Que sejam monitoradas pelo Tribunal de Contas da União. Que sejam absolutamente necessárias. E que tenham ranhuras (normas, exigências, padrões) para não deixar o trânsito político assassinar a ética e a moral.

DE GRÃO EM GRÃO

Pois é, diz-se que Lula continua fatiando a carne seca. Enquanto mantiver abertas as portas do assistencialismo, nada lhe faltará. Afinal, 75% dos brasileiros estão na base da pirâmide. Mas houve uma queda de 7% da aprovação do governo na classe média em relação à pesquisa de março último. Nessa classe, a indignação aumenta. E de grão em grão, o meio do corpo poderá encher e inchar o papo. Quem diz que a teoria da pedra jogada no meio da lagoa não funciona no Brasil não perde por esperar. Não se trata de torcida. Trata-se de não deixar em cinzas os compêndios sociológicos.

JATINHOS VOLTAM

Eta, Brasilzão das promessas mirabolantes. Não iam tirar os jatinhos de Congonhas e deslocá-los para o aeroporto de Jundiaí ? Pois foi o que se noticiou. Em menos de uma semana, o hoje-todo-poderoso ministro Nelson Jobim, da Pasta da Crise, desdisse o que disse. Ou seja, aceitou que os jatinhos voltassem a decolar e a descer em Congonhas. Daqui a pouco, os vôos de longa distância também poderão voltar ao fatídico aeroporto. No Brasil, a palavra dada vale tanto como um cruzado antigo. Fica no registro de colecionadores.

O PROVISÓRIO É PERMANENTE

Quem acredita na extinção da CPMF, levante a mão. Nem ele, Paulo Skaf, presidente da FIESP, que lidera a campanha, é capaz de apostar na queda da Contribuição, que nasceu provisória, e se tornou permanente. Mas ficará arquivada no baú da Entidade a foto com a placa : "sou contra a CPMF". E o ar de protesto, sob o fundo do "faz de conta que sou do contra".

MARTA CRESCE

Marta Suplicy ganha espaço na moldura petista. Enquanto o Campo Majoritário perde pontinhos - de 48% dos votos na última eleição do Congresso Estadual, em 2005, para 42,47%, neste último - o espaço de Marta avança. Ela é a única pessoa do PT capaz de unir as alas em torno do pleito municipal de 2008. Se for candidata, terá boas condições de levar a melhor. Principalmente, se Lula continuar dando as cartas no jogo da aceitação popular. Kassab tenta penetrar nos espaços periféricos ocupados pela ex-prefeita, mas encontra dificuldades. E Geraldo Alckmin caminha bem, mas apenas pelo espaço do meio.

6 MILHÕES DE POBRES

O dado é do Datafolha : cerca de 6 milhões de pobres viajam de avião. Aliás, esse número apenas denota a informação que o governo tenta expressar há algum tempo, de que mais brasileiros estão viajando de avião. A indignação contra Lula, porém, provém dos mais letrados e de maior poder de compra. A chamada plebe ignara é complacente com as crises. Contempla a confusão passivamente.

OAB E AUTONOMIA

O Movimento Cívico "Cansei", liderado pela Seccional Paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, não recebeu o endosso da OAB federal. Não é o caso, porém, de concluir que foi desaprovado. Ao contrário, a OAB nacional liberou as Seccionais, dando-lhes autonomia para realizar, cada uma, as campanhas que acharem adequadas. A Secional gaúcha, por exemplo, patrocina a Campanha "Já Chega", que está muito próxima ao "Cansei", pelo menos sob o aspecto do discurso.

GREVE E DEMISSÃO

A Justiça do Trabalho decretou abusiva a greve dos metroviários. O parecer da juíza Catia Lungov abrigou a decisão. O parecer e a decisão animam a fé da sociedade na Justiça. Agora, a Companhia do Metropolitano dá início à demissão de 61 funcionários. Vamos acompanhar o caso. Lembre-se que, em 1995, por ocasião da greve dos petroleiros, a Justiça decretou a ilegalidade da greve e impôs uma multa de quase R$ 2 milhões e R$ 100 mil por dia para cada entidade envolvida. A OIT entrou na jogada e o "fator político" acabou anulando o "fator legal". Tudo acabou em pizza. Ninguém pagou nada. Quando o país verá um sistema normativo para regular as greves em serviços públicos essenciais ?

E OS CUBANOS, HEIN ?

A informação é a de que os dois atletas cubanos festejaram a deportação para Cuba. Coisa esquisita. Os caras fugiram da concentração. Caíram na farra. E foram flagrados. O governo brasileiro, em demonstração de amizade ao país socialista, decidiu repatriar os atletas sem maiores questionamentos. Um milhão de parabéns para quem acertar o paradeiro dos fujões : a) já treinam para as Olimpíadas de Pequim; b) são hóspedes de Fidel Castro na mansão onde recupera a saúde; c) são hóspedes de Fidel numa masmorra da ilha, sem direito a julgamento; d) estão presos, recebem visitas de familiares e aguardam julgamento; e) comemoram em suas casas o segundo lugar nos Jogos-Panamericanos.

ESPIÕES, ESSA NÃO !

Há quem diga que os dois são espiões cubanos disfarçados de atletas. Descobriram a fuga em massa da delegação, deduraram e, para não dar na vista, deram-se um final de semana prolongado. Afinal, por que tinham tantos dólares para gastar ?

10% PARA AS CENTRAIS

As Centrais Sindicais serão, dentro de poucos dias, regularizadas e terão direito a 10% da arrecadação do Imposto Sindical. Se as Centrais já eram fortes, imagine-se o poder que terão, a partir da oficialização. Tudo passará por seu crivo : reformas sindical e trabalhista, flexibilização da CLT, Terceirização de Serviços, Empregabilidade etc. Uma questão de fundo : por que a poderosa CNI não quer se transformar em Central Empresarial ? Não ganharia mais força ? Com a palavra, o esforçado presidente, deputado Armando Monteiro.

TURISMO MARÍTIMO

O presidente da Royal Caribbean International - responsável por 5 marcas de Cruzeiros - Adam Goldstein, passa pelo Brasil e dá o recado : o país tem um ótimo potencial no setor de Cruzeiros Marítimos. Por isso, as companhias internacionais tendem a expandir as atividades por aqui. Os brasileiros gostam dos Cruzeiros, segundo pesquisas indicam, mas o país precisa melhorar sua infra-estrutura portuária. Os nossos portos estão em vias de um Apagão, como se sabe. E mais : a burocracia impede a expansão do empreendimento. Há muitos órgãos interferindo no setor. E os custos operacionais da atividade tendem a ser maiores que os custos internacionais. Os Cruzeiros constituem ótima fonte de divisas. E mais uma alternativa para a expansão da empregabilidade. Com a palavra, a ministra Marta Suplicy.

___________________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.