Domingo, 19 de maio de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 112

quarta-feira, 5 de setembro de 2007


ESTADO PAQUIDÉRMICO

É proibido gastar. Essa era a ordem expressa no discurso de Tancredo Neves, lido pelo presidente José Sarney, ao tomar posse na presidência da República. Hoje, ouve-se Lula dizendo : é preciso contratar. Algo que também significa : é permitido gastar. Pois bem, o governo engordará o Estado com mais 56,3 mil cargos em 2008. A farra das contratações é mais um elo na estratégia de partidarização do Estado, defendida pelo PT. Arrebanha mais votos para o lulismo-petismo e mais dinheiro para os cofres do partido.

R$ 130 BILHÕES

A continha no débito da União : R$ 130 bilhões. Trata-se da fatura das despesas com pessoal para 2008. Em 1995, a conta era de R$ 35 bilhões. Em 2002, último ano do governo FHC, era de R$ 75 bilhões. Em 2005, passou para R$ 100 bilhões. Este ano, a conta é de R$ 118,1 bilhões.

RENAN SE SALVA ?

Vamos ver se o voto será aberto ou fechado no Plenário.

JOBIM ARROGANTE

É claro que Nelson Jobim se esmera no papel de comandante-em-chefe das Forças Armadas, coisa que não é, pois essa prerrogativa pertence ao presidente da República. Mas o ex-presidente do STF faz pose de general em plena campanha. Sempre que pode, aparece de uniforme de camuflagem – para combate – como apareceu na visita ao Haiti, pegando na mão de duas crianças.

JOBIM SOB A MIRA

Mas o ministro da Defesa, doravante, precisará reforçar a defesa. Está na mira dos militares, pelo menos dos militares de pijama, que ainda exercem certa influência sobre alguns setores. O brigadeiro Ivan Frota, presidente do Clube da Aeronáutica, por exemplo, é duro na crítica a Jobim. Depois de dizer que o presidente da República desempenha o papel de "incendiário de si mesmo", ataca as "iniqüidades" do governo federal e centra fogo em Jobim, que "adota um tom truculento e desrespeitoso em relação aos comandantes militares". E promete : as Forças Armadas não se deixarão vilipendiar por quem quer que seja.

7 DE SETEMBRO

Lula passa a abusar do termo "investimento". Agora, é a vez da Festa do 7 de Setembro, cujo "investimento" é de 41% a mais do que os gastos do ano passado. Uma das razões para a expansão do investimento : a ampliação da extensão das grades de isolamento da Esplanada dos Ministérios para ficar mais distante do povo e afastar o ouvido de eventuais vaias.

A VEZ DE JUCÁ

O líder do governo no Senado, Romero Jucá, é uma fonte inesgotável de suspeitas. Por onde passa, deixa um rastro de suspeitas. Agora, é alvo de mais uma acusação : a de que teria participado de desvios em ministérios comandados pelo PMDB. Renan e Jucá teriam beneficiado o banco BMG para a concessão de crédito consignado. E, em troca, o banco teria pago propina aos integrantes do esquema.

ROMERO ACOSSADO

Há fortes denúncias envolvendo Jucá quando comandava o Ministério da Previdência Social. Contra o senador, pairam suspeitas de ter adquirido emissoras de TV e rádio, em Roraima, usando "laranjas" para fazer os negócios. Em 2005, teria adquirido a TV Imperial (Record) e a rádio Equatorial FM, que lhe faziam oposição. Colocou no comando o apresentador de TV, Emilio Surita, irmão de sua mulher, Tereza Jucá. Na época, as emissoras tinham problemas com a Previdência. Jucá era ministro. O empresário paulista, Juan Sragowicz, passou procuração para Surita, que sub-estabeleceu representantes em Roraima. As denúncias são formuladas pela Federação das Associações de Moradores do Estado de Roraima.

O COMANDO DO PT

Ideli Salvatti, a irrequieta senadora, conta com bom cacife para liderar a corrida à presidência do PT. O deputado Antônio Palocci ainda administra a crise da imagem abalada pela denúncia feita pelo caseiro. Fernando Pimentel, o competente prefeito de Belo Horizonte, não quer enfrentar o desafio. Preserva-se. Jorge Viana, o ex-governador do Acre, amigo de Lula, é visto com certa desconfiança. Poderá sobrar para Berzoini.

BUSH NO IRAQUE

George Bush vai ao cenário de guerra no Iraque. Em vez de vestir o uniforme camuflado de campanha – ali a guerra é pesada – preferiu um traje esportivo leve. Para enfrentar o calor de 41ºC, Jobim, no Haiti, vestiu o uniforme para posar na foto.

CONGRESSO DO PT

Foi um evento tranqüilo. Não houve tanta querela quanto se previa. As divisões petistas guardaram armas para usá-las mais adiante. Por enquanto, o cenário sugere cautela. Entre perdas e ganhos, todos levaram um pouco. Tarso Genro não teve os 20% dos votos que esperava no Congresso. O ex-Campo Majoritário recuou um pouco. O grupo da Marta cresceu. Fatos relevantes : a candidatura própria do PT em 2010, mesmo com a leve sugestão de que o partido poderá acolher outro candidato, saído da base; a aprovação da Constituinte exclusiva para fazer a reforma política e a desprivatização da Vale do Rio Doce.

CONSTITUINTE EXCLUSIVA

Michel Temer, presidente nacional do PMDB, é peremptório : a Constituinte exclusiva para a reforma política é inaceitável. Rompe a ordem jurídica. Não vivemos um estado de exceção que a justifique. A atual representação popular foi eleita com a competência para realizar reformas. Ademais, parcela das mudanças já começa a ser feita pelo atual Congresso. Há dúvidas sobre a operação : os atuais parlamentares poderiam participar da Constituinte exclusiva ? Funcionaria em paralelo à atual representação ? O professor de Direito Constitucional, em seu artigo no jornal Folha de S.Paulo, de ontem, praticamente enterra a idéia. Defendida, aliás, pelo PT.

MARTA E O ESPAÇO TURÍSTICO

A ministra Marta Suplicy, do Turismo, em artigo, defende o potencial turístico do país, dizendo que é imenso, mas "sub-aproveitado". Procura promover o programa Viaja Mais-Melhor Idade, que deverá ser ampliado para trabalhadores, estudantes e outros segmentos. E acaba dizendo que os hotéis brasileiros estão preparados para receber turistas da Melhor Idade. Esqueceu a ministra do setor que mais avança no conceito de "vender o país" no exterior : os Cruzeiros Marítimos. A costa brasileira é uma das mais belas do mundo. A ministra Marta, porém, dá as costas aos Cruzeiros.

NOVO DELEGADO

O novo delegado da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, promete que não irá investir na espetacularização das megaoperações da PF. Até que enfim. Vamos conferir.

O STF E O SENADO

O STF aparece no cenário como a luz que ilumina a escuridão no campo da ética. Passou a canalizar a esperança nacional na moralidade dos costumes. E o Senado, agora tocado pela decisão dos juízes da Suprema Corte, se vê na mira da opinião pública. Leitura do imbróglio Renan : hoje, deverá ser condenado pelo Conselho de Ética. E o Plenário poderá ser compelido, também, a condená-lo.

JANAÍNA MORRE

Janaína Guimarães, 27 anos, grávida de cinco meses, faleceu, vítima de edema pulmonar e cerebral, depois de procurar e não conseguir atendimento médico. É o retrato em preto e branco da corroída rede social brasileira. Não são poucos os brasileiros que se defrontam com o mesmo destino, todos os dias.

CONSELHO AO MINISTRO JOBIM

Esta Coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos aos políticos e governantes. Na semana passada, o espaço foi dedicado ao governador José Serra. Hoje, volta sua atenção para o ministro da Defesa, Nelson Jobim:

1. Tenha mais cuidado quando fala de improviso.

2. As Forças Armadas cumprem a disciplina e a hierarquia. Mas anotam as inconveniências e impropriedades cometidas contra seus integrantes. Por isso, procure reconquistar a taxa de confiança perdida.

3. Procure ser menos arrogante e se aproxime da vida da caserna.

4. Evite colocar o interesse pessoal acima do escopo a ser defendido pela Pasta. Cuidado com a mosca azul.

5. Continue a cobrar resultados à Anac e à Infraero. Esse é um ponto positivo.

6. Evite mostrar feridas não curadas – a derrota para a presidência do PMDB já deveria ter sido arquivada no baú da história. Seja um elo de união entre as forças peemedebistas.

____________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.