Domingo, 19 de maio de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 116

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

FORA RENAN

O 5º processo contra Renan no Conselho de Ética do Senado, por iniciativa dos tucanos, deixa o presidente da Câmara Alta pertinho do cadafalso. Cada vez mais isolado no Senado, o alagoano começa a freqüentar as ruas. Em São Paulo, carros estampam nos vidros : "Fora, Renan". No momento em que um político ganha a rejeição popular, entra na contagem regressiva. A partir de hoje, abrimos a escalada: 1º dia. Vamos ver quantos dias Renan resistirá sentado na cadeira presidencial.

DESESPERO

O maior tiro no pé desferido por Renan foi a exclusão dos senadores Pedro Simon e Jarbas Vasconcelos, que representam a ala histórica do PMDB, da Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante do Senado. Um tal de Valdir Raupp, certamente orientado por Renan, despachou os dois senadores. O partido rachou. Boa parte dos senadores peemedebistas não aceitou a decisão do líder da bancada. O PMDB da Câmara também rejeitou a manobra. O presidente do partido, Michel Temer, ameaça convocar o Conselho Político para recolocar os senadores Vasconcelos e Simon na CCJ.

SALGADO NA FRITURA

O sujo ensaboando o mal lavado. É assim que se apresenta o cabeludo senador Wellington Salgado, suplente sem voto, que ganha mais um inquérito criminal no STF, o segundo em menos de uma semana. Esse sujeito é acusado de sonegar R$ 11 milhões em impostos quando dirigia uma Universidade, que pertence à sua família. Salgado começa a ser frito. E no aguardo da fervura, ensaboa o amigo Renan.

MAIS SUJEIRA

A montanha de sujeira entope a cúpula do Senado. Mais um senador é denunciado por conduta irregular no cargo: Romero Jucá. A revista Veja traz contundente matéria de 3 páginas com o laranjal semeado por este senador, que também é líder do Governo no Senado, nas terras de Roraima. Documentos mostram como Jucá se utilizou de laranjas para "capturar" emissoras de TV e rádio em RR. Emílio Surita, o cunhado do senador, que recebeu a procuração do proprietário das emissoras, diz que não tem mais interesse em comprá-las. Mas substabeleceu o documento ao executivo principal de Jucá naquele Estado. Afinal, quem manda na rede ? Como arremata a revista: só falta mesmo dizer que tudo pertence à mulher Samambaia.

POR QUE NÃO SUPLICY ?

Pois esse mesmo Romero chegou a sugerir a Renan que indicasse Eduardo Suplicy para ser o relator de uma das representações contra ele. O presidente do Senado teria retrucado: "Reserve o Suplicy para relatar o seu caso, quando você for processado pelo Conselho".

TUMA VAI APURAR

O senador Romeu Tuma, corregedor do Senado, garante que vai apurar os casos: mais uma denúncia contra as maracutaias de Renan e o laranjal de Jucá. A conferir.

DILMA COMEÇA A BATER AS ASAS

Dilma, a super ministra de Lula, estrategicamente posicionada no comando do PAC – a montanha de obras que o governo promete – começa a bater as asas rumo àcandidatura presidencial. O presidente tem confessado que gostaria de trabalhar o seu nome como candidata do PT. Só que o PT não tem muita simpatia por Dilma. Lula acha que a gaúcha poderia se sair bem, na esteira de vitórias de Hillary Clinton, nos Estados Unidos, e Cristina Kirchner, na Argentina. A onda feminina poderia patrocinar a performance da chefe da Casa Civil. Nos últimos dias, a fala dilmista passou a abrigar fortes substantivos políticos.

PRESSÃO SOBRE MARTA

A ministra do Turismo, Marta Suplicy, começa a receber alta carga de pressão para avaliar a possibilidade de se candidatar à prefeitura paulistana. É o melhor nome do PT. Transita bem pela periferia. Os CEUs – Centros Educacionais – que construiu abrem grande palanque. Marta vai deixar a decisão para o início de 2008. Não pode errar. Se ganhar, tudo bem. Mas, e se perder ? Fecha as portas para uma eventual candidatura ao governo em 2010. Marta sonha, sim, com o Palácio dos Bandeirantes e, por que não, também coloca o Palácio do Planalto num cantinho da cachola. Até porque é um dos perfis do PT com maior visibilidade e recall.

GILMAR E PAGOT

O compenetrado ministro do STF, Gilmar Mendes, é mato-grossense como Luiz Antônio Pagot, que acaba de ser aprovado para chefiar o endinheirado DNIT. Mendes teria falado bem de Pagot, quando recebeu a visita de senadores em seu gabinete. A referência elogiosa teria sido "en passant". Caíram de pau no ministro. A questão é: ministro do STF pode falar bem dos amigos ? Pode falar mal ? Tem de ficar calado ? É claro que um juiz deve se preservar, evitando perorar publicamente sobre pessoas e fatos que possam gerar polêmica. Mas o juiz não é também um cidadão com direito de externar opiniões sobre a vida e seus atores ?

3 MIL VEREADORES AMEAÇADOS ?

Há cerca de 3 mil vereadores no curral da infidelidade. Mudaram de partido depois de 27 de março deste ano. Seus mandatos estariam em xeque, caso a disposição sobre fidelidade partidária seja rigorosamente aplicada. Podem recorrer. E aí a coisa irá para as calendas. Os recursos protelatórios atravessariam a névoa do tempo. E tudo ficaria como "dantes no quartel de Abrantes".

E OS MAJORITÁRIOS ?

O TSE vai julgar se os mandatos dos políticos eleitos para cargos majoritários – senadores, governadores, prefeitos – pertencem também aos partidos como decidiu o STF em relação aos mandatos conseguidos em eleições proporcionais. O relator do caso, ministro Carlos Ayres Britto, opina que os mandatos pertencem efetivamente aos eleitos, não devendo ser exigida a mesma fidelidade obrigatória para os candidatos proporcionais. Não dependeriam de quociente partidário para se elegerem. Ocorre que o centro da questão – explicitada no voto do ministro Celso de Melo – é: para ser eleito, o político precisa ser convalidado pelo partido. Logo, não há eleitos sem partido. Vamos assistir a mais uma boa aula de Direito Eleitoral.

LULA VAI À LUTA

Lulinha Paz e Amor deixa o camarote, onde assiste à crise, para entrar no confessionário dos conchavos. Teme a derrota da CPMF no Senado. Por isso, ele mesmo passa a conversar com os senadores. Dá por vencida a batalha na Câmara. Mas no Senado, a resistência à Contribuição se expande no espaço da gigantesca fogueira que consome Renan Calheiros.

PAULO SKAF NA POLÍTICA ?

Saiu na mídia: o presidente da FIESP quer ingressar na política partidária. E até sonharia com o Palácio dos Bandeirantes. Ninguém é proibido de sonhar com qualquer coisa. Mas, convenhamos, o executivo-chefe da FIESP querendo ser governador de São Paulo só pode ser mesmo uma dessas historinhas ligeiras que povoam o perigoso terreno da galhofa.

KASSAB SE MOVIMENTA

O prefeito Gilberto Kassab está saindo melhor que a encomenda. Ninguém apostava nada nesse político matreiro, um Ás no campo da articulação política. Passou a surpreender. Faz um bom programa de obras. E a Cidade Limpa até que pegou. Gilberto Kassab, porém, ameaça chegar um pouco atrasado na corrida dos índices. O recall de Geraldo Alckmin continua alto. E, se as pesquisas mostrarem sua vantagem, lá pelos idos de março, ninguém fecha sua posição. Nem José Serra. O prefeito espera que, até lá, sua popularidade cresça a ponto de encostar nas taxas de aceitação do ex-governador paulista.

TERCEIRIZAÇÃO E TRABALHO TEMPORÁRIO

A mídia anuncia: o governo Lula incha a máquina estatal e expande os serviços terceirizados. A surpresa está na expansão dos dois eixos. A Terceirização é uma tendência irreversível da economia contemporânea. Os Estados modernos enxugam estruturas e aumentam os serviços terceirizados. No Brasil, quem é contra essa hipótese são as Centrais Sindicais e partidos políticos que defendem a idéia do Estado-paquidérmico. A propósito, esses temas serão amplamente discutidos, a partir de hoje, na Fecomercio, por ocasião do 8º Congresso Internacional de Trabalho Temporário promovido pelo Sindeprestem e pela Asserttem, o Sindicato paulista e a Associação nacional dos setores.

QUE BARBARIDADE!

Uma paciente foi deixada sozinha dentro de um aparelho de tomografia computadorizada durante horas depois de um técnico ter esquecido dela. A norte-americana conseguiu sair do aparelho se arrastando e acabou descobrindo que estava trancada dentro da clínica Arizona Oncology Associates, que já havia fechado. Vejam só até onde chegou o desleixo humano. Também lá, na maior potência ocidental, há crise na área da saúde.

VEJAM SÓ!

O desempregado Jorge Luiz Melo, 19 anos, foi preso em Maringá (PR), depois de três furtos. Jorge botou a boca no trombone: "Maringá precisa de mais polícia nas ruas". O motivo de Jorge : depois dos furtos, ele mesmo foi assaltado. Os companheiros das ruas levaram os produtos surrupiados.

JOBIM NO "LOW PROFILE"

Nelson Jobim, o todo autoritário ministro da Defesa, atravessa uma fase low profile. Não conseguiu destituir o presidente da ANAC, Milton Zuanazzi. O que fez ? Pediu para Lula criar mais um órgão, a Secretaria de Aviação Civil, que terá três departamentos: Política de Aviação Civil, Infra-Estrutura Aeroportuária e Infra-Estrutura de Navegação Aérea. Ou seja, será mais um órgão para fazer as mesmas coisas das agências já existentes, Ministério da Aeronáutica, ANAC e ANTAQ. A burocracia se expande.

CONSELHO AOS SENADORES

Esta Coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos aos políticos e governantes. Na semana passada, o espaço foi dedicado ao ministro da Comunicação, Franklin Martins. Hoje, volta sua atenção para os senadores que pedem a renúncia de Renan Calheiros à presidência do Senado:

1. Usem todos os espaços em plenário para exigir a saída

2. Façam uma fila indiana nos pronunciamentos diários

3. Usem com força o instrumento da obstrução de votação

4. Não transijam

Será difícil resistir a uma fortaleza com essa carga de pressão.

____________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.