Terça-feira, 18 de junho de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 149

sexta-feira, 27 de junho de 2008

O ADEUS DE DONA RUTH

Sai de cena uma das mais lúcidas e vigorosas pensadoras do Brasil. Ruth Cardoso passou pelo eixo central do poder sem se deixar encantar pelos holofotes midiáticos. Feminista, foi uma das primeiras guerreiras a fazer a defesa do gênero feminino; ensaísta, fez belas análises sobre a organicidade social no Brasil. Mas a imagem de avó e da dona de casa sempre esteve presente no dia-a-dia da antropóloga. Nunca precisou da bengala presidencial do marido para se amparar. Teve luz própria. Foi um exemplo de discrição. A professora Ruth vai embora, mas deixa sua marca no capítulo mais importante do livro das primeiras-damas do país. Termo, aliás, que detestava.

OS PÊSAMES DE LULA

O abraço de Lula em Fernando Henrique, no velório de dona Ruth, foi comovente. Diante da morte, os adversários se unem na trégua de uma solidariedade que, mesmo passageira, expressa a grandeza da condição humana. Como seria melhor o mundo se os seres dedicassem um pouquinho mais de seu tempo à generosidade.

O BLOQUINHO

Aldo Rebelo diz que não cederia às pressões. Seria candidato de qualquer maneira à prefeitura de São Paulo. Cedeu. Será candidato a vice na chapa de Marta Suplicy. Na política, a promessa de hoje é a mentira de amanhã.

ERUNDINA

Enquanto isso, Luiza Erundina, convidada inicialmente por Marta para compor sua chapa, como vice, foi vetada pelo PSB. Pura inveja do deputado Marcio França, presidente do partido em São Paulo. Erundina subia nas pesquisas, alcançando Maluf, em torno dos 8% da intenção de voto. Luiza Erundina, a paraibana de Uiraúna – terra do Zé Nêumanne, expressão poético-jornalística de qualidade – é discriminada pelos pares. Luiza conta com uma base eleitoral costurada pelos movimentos sociais.

BOLSA FAMÍLIA

Os benefícios do Bolsa Família serão aumentados em 8%. Significa mais dinheiro do bolso dos contingentes que habitam a base da pirâmide social. Significa, ainda, mais prestígio para Lulinha Bom de Grana. Isso significa mais votos para os candidatos da situação, que podem dizer que estão do lado do presidente da República. Dos 5.564 prefeitos a serem eleitos, perto de quatro mil estarão no curral governista. Quem é dono da flauta, meu amigo, dá o tom.

O DRAGÃO VIRÁ ?

Pois é, começam a dizer que o dragão da inflação está abrindo a boca. O Banco Central elevou a estimativa inflacionária para este ano em 6%. Se o dragão chegar e abrir a bocarra, lá por 2009/2010, os horizontes de Lulinha Bom de Voto e de Voz ficarão turvos.

OS FICHAS-SUJAS

Os juízes dos Tribunais Regionais Eleitorais prometem facilitar a divulgação dos nomes que desfilam nos corredores dos Tribunais carregando pacotes de processos. Vamos ver quem estará nessa fila. Há quem aposte que o puxador da corrente suja será um conhecido político paulista, que, segundo uma revista de prestígio, negocia a contratação de seu antigo marqueteiro com a finalidade de exibir uma bonita campanha e, dessa forma, lavar a imagem. A conferir.

O CASO ALSTOM

Começam a aparecer os nomes de envolvidos com propinas distribuídas pela empresa francesa Alstom. Os jornais apontam Claudio Mendes como um deles. Seria interessante que todos os contratos da Alstom com empresas públicas fossem mostrados. E mais : que as licitações ganhas por esta empresa também viessem a público. Sabe-se que pelo menos uma licitação está sendo questionada na Justiça. A sociedade exige transparência total.

CONTAS COM RESSALVAS

As contas do governo Lula são aprovadas com ressalvas. As contas do governo Serra são aprovadas com ressalva. Ressalva parece querer expressar uma aprovação sob condição. Que ficará esquecida no baú do tempo.

MULTA REQUIÔNICA

O governador Roberto Requião faz o que quer e o que a Justiça não quer. O Tribunal Regional Federal da 4ª região multou o mandatário do Paraná em R$ 200 mil por ter descumprido ordem de atacar entidades públicas com excesso de verbo. Requião não se incomoda. Continua na linha de ataques. Enquanto puder recorrer, usará a garganta. Para que existe a lei ? Ora, para ser desrespeitada.

OS JUÍZES E A IMPRENSA

Os juízes merecem respeito. Os promotores merecem consideração. O Brasil, devagarzinho, está sendo passado a limpo. Mas há alguns juízes e promotores que teimam em confundir alhos com bugalhos, jornalismo com publicidade. E há outros que fazem censura ao proibirem que determinados temas entrem no espaço dos jornais. O que isso significa ? Desconhecimento, ignorância ? Não é possível. O Judiciário não pode se transformar no principal inimigo da imprensa brasileira como alertou o presidente da Associação Brasileira de Imprensa, Maurício Azêdo.

CACCIOLA ESTÁ CHEGANDO

O banqueiro Alberto Salvatore Cacciola não conseguiu se segurar em Mônaco. O pedido de extradição para o Brasil foi aprovado pela Corte do Reino. Cacciola, em breve, estará por aqui. Comenta-se que vai soltar a língua. Quem tiver rabo preso, é bom ter cuidado.

CRIVELLA NÃO CRAVOU PTB

O PTB saiu da esfera do senador Marcello Crivella (PRB), candidato à prefeitura do Rio de Janeiro, e se bandeou para a candidatura de Eduardo Paes, do PMDB. Dessa forma, Crivella terá apenas 2 minutos no programa eleitoral. Com o escândalo do Morro da Providência, onde o Exército dava apoio a um programa do senador, e mais a perda de espaço na mídia eleitoral, será bastante desafiante a tarefa do bispo da Igreja Universal. Mas ele continua na frente das pesquisas. A conferir.

A INFLAÇÃO DOS ALIMENTOS

O aumento generalizado dos preços dos alimentos eleva o índice inflacionário. A raiva social começa com a dona de casa, de classe média baixa, reclamando contra a subida do preço do arroz, da batata, do tomate, do macarrão, do feijão e do óleo. Abra o olho, presidente.

E O DÓLAR, HEIN ?

O dólar descerá o batente do R$ 1,50 ? Ontem, fechou a R$ 1,59, o menor valor em nove anos. Ficará entre esse piso e os R$ 2,00 até o final do ano ? Façam suas apostas.

MAIS SUPLENTES

O Senado contará, nos próximos dias, com 20 senadores suplentes, 24% da Casa. Um recorde. A reforma política precisa substituir o suplente sem voto pelo suplente com voto. O segundo senador mais votado poderia ser o suplente. Por que não ?

FORÇAS ARMADAS POLICIAIS

O que acontece com a imagem das Forças Armadas quando elas assumem funções policiais ? Esse debate precisa ser aberto. Devemos contribuir para evitar que as Forças Armadas passem a cumprir papéis que não combinam com seu dever constitucional. A não ser que instalemos a Ordem da Bagunça Geral. Quanto paradoxo nessa Ordem !

A EMOÇÃO DE FHC

Fernando Henrique, do alto do perfil de ex-presidente da República, foi tomado de intensa emoção. Comoveu o Brasil com suas lágrimas no adeus à companheira.

PAC DAS FAVELAS

O bispo Marcelo Crivella se fez de sabido e, agora, tem de prestar contas à justiça eleitoral. O TRE do Rio de Janeiro quer saber se o senador é mesmo responsável por uma imensa placa que diz : Governo Federal executa no Rio o PAC das favelas criado pelo senador Marcelo Crivella. Se disser sim, o senador será pego na ilicitude; se disser não, o senador será flagrado pela mentira. Se correr o bicho pega, se ficar...

E EMBAIXO DA BATINA ?

Quem narra a história é Sebastião Nery. Padre Aneiko, deputado estadual pelo PDC do Paraná, encontrou-se com duas amigas na fronteira de Foz do Iguaçu, que lhe pediram para passar uns perfuminhos de contrabando. Amarrou o pacote no cinturão, embaixo da batina. O fiscal da alfândega pergunta : e aí, padre, alguma mercadoria? O padre : não. E aí embaixo da batina ? Resposta : o que tem aqui embaixo é dessas duas moças. Quer ver ? O fiscal não quis.

ATENÇÃO, CANDIDATOS

Eis alguns pontos para a eficácia do planejamento de marketing eleitoral :

1) É preciso saber ler corretamente o meio ambiente, os novos valores do eleitorado e as novas motivações de voto;

2) Convém escolher um candidato com o perfil mais adequado ao novo cenário ambiental;

3) É fundamental definir os segmentos-alvo do eleitorado;

4) É importante selecionar fortes reforçadores de decisão de voto (esquemas da administração federal, estadual e municipal, apoio de mídia, recursos financeiros, etc.);

5) Convém descentralizar a campanha com a finalidade de multiplicar os pontos de eco e agregar organizações intermediárias de apoio (associações, sindicatos, federações, etc.);

6) Sugere-se formar um programa de propostas simples, com um eixo central forte, dentro dos princípios : desejável pela população, factível e crível.

CONSELHO ÀS AUTORIDADES MONETÁRIAS

Esta Coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos aos políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado aos candidatos ao pleito municipal de outubro. Hoje, volta sua atenção às autoridades monetárias :

1. Apertar os cintos nesse semestre eleitoral para evitar que o dragão da inflação abra a bocarra;

2. Inserir a meta de controle inflacionário no cotidiano das planilhas;

3. Evitar que o populismo assistencialista consuma as reservas e folgas do Tesouro.

___________________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.