Terça-feira, 25 de junho de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 156

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

UM BOM CONSELHO

Para começar a Coluna, um conselhinho : "pense com a cabeça e arremeta com o coração. Evite a síndrome do touro, que faz exatamente o contrário".

A GUERRA AGORA COMEÇA

A guerra eleitoral começa para valer. As armas, agora, serão a TV e o rádio. E a munição será a expressão dos candidatos, assim caracterizada : propostas sérias e críveis, em pequena quantidade; propostas mirabolantes e pirotécnicas, com fartura; bobagens e coisas canhestras, em profusão; desfile de caras e bocas, espaço de risos e piadas no espaço de vereadores.

O FLUXO ELEITORAL

Os programas eleitorais gratuitos têm uma vida útil. Nas duas primeiras semanas, os eleitores serão instados a examinar os perfis, avaliar as falas, comparar os programas, checar a propriedade de idéias, trocar informações com amigos e vizinhos, enfim, os eleitores poderão ter a primeira imagem da campanha aberta. Na terceira semana, os indecisos tendem a tomar posição. Os eleitores já decididos reforçarão suas posições; alguns núcleos poderão até mudar de posição mais adiante, se perceberem que seus candidatos estão claudicantes. A partir da quarta semana, a campanha subirá de tom e os candidatos, cujas propostas já são conhecidas, se esforçarão para dar os golpes finais e decisivos.

O CLÍMAX

O clímax da programação eleitoral deverá ocorrer a partir dos meados de setembro. A tendência é a de que, até 20 de setembro, os perfis já estejam consolidados. O restante do tempo será dedicado ao fortalecimento de posições em regiões e junto a categorias profissionais. Nesse momento, algumas campanhas mostram-se cansadas, saturadas. Muitos candidatos, nessa fase, costumam cair na síndrome do náufrago que morre minutos antes de chegar à praia.

COISA ESQUISITA

Chegam à Coluna duas denúncias. A primeira informa de que pelo menos um sindicato laboral estaria sendo investigado por conta de lavagem de dinheiro envolvendo o nome de um parlamentar paulista. E a segunda diz que alguns empresários estariam também sendo objeto de investigação na mesma área. Os Ministérios Públicos – federal e estadual – estariam investigando a questão. O imbróglio é velho, mas o embrulho é novo. A conferir.

E O CASO ALSTOM ?

A propósito, esta Coluna foi a primeira a abrir espaços para denúncias envolvendo a Alstom em operações relacionadas ao Metrô. Depois, a mídia internacional passou a se interessar pelos fatos. E só depois, as denúncias ganharam visibilidade na mídia nacional.

CURIOSIDADES ?

Lula, Aécio Neves e Fernando Pimentel conseguirão que o candidato Marcio Lacerda, por eles apoiado, decole em Belo Horizonte ? E Fátima Bezerra, em Natal, conseguirá chegar aos 20% da intenção de votos ? Lembremos que conta com o apoio de perfis muito bem avaliados : Lula, a governadora Vilma Faria, o presidente do Senado, Garibaldi Alves e o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves.

SINDICATO E GRANA

Nasce um sindicato por dia no Brasil. Há 801 pedidos de registro que esperam por decisão do Ministério do Trabalho. São concedidas 22 certidões, em média, por mês, o que equivale a uma entidade sindical por dia. Este ano, a montanha de recursos para a estrutura sindical chegará a R$ 810 milhões, gerados pelo imposto sindical. A CUT embolsará R$ 20 milhões, a Força Sindical, R$ 15 milhões, a UGT, R$ 9 milhões, a Nova Central, R$ 7 milhões, a CTB ficará com R$ 3 milhões e a CGTB terá R$ 2,5 milhões.

PF QUER ALGEMAS

A Polícia Federal continua defendendo uso de algemas. Ora, o uso não está proibido. O que se proíbe é o uso indiscriminado.

CARVALHO E O PT

O deputado Augusto Carvalho (PPS-DF), ex-petista, com a lábia afiada : "o PT, nas suas origens, queria distância entre o Estado e os sindicatos. Hoje, há uma promiscuidade". Claro, o poder é promíscuo, e, ainda, afrodisíaco.

LUPI E O BONDE

O ministro Carlos Lupi tem tudo para não perder o bonde da história. Há mais de 20 anos, o Brasil discute a terceirização de serviços. Agora, o ministro promete apresentar, finalmente, uma legislação para o setor. Que, aliás, é o que não falta nas Casas congressuais. Há um projeto, o 4.302/98, que veio do Executivo (com parecer do ex-deputado petista, Jair Meneghelli), e que foi aprovado na Câmara. Foi ao Senado, onde recebeu acréscimos. Voltou à Câmara. Tecnicamente, está pronto para ir a plenário. Basta verificar o que é consenso entre as duas Casas. E eliminar o que não é consenso.

PROJETO PRÓPRIO

Mas o ministro Lupi quer porque quer fazer outro projeto. Tem direito. Diz que o Projeto 4.302/98 precariza as relações de trabalho. Não aponta como e onde precariza. O verbo é genérico. Esse projeto, em outro contexto, recebera um parecer contrário da ex-deputada Dra. Clair, do PT de Santa Catarina. É baseado neste parecer que o ministro Lupi solicita que o Secretário de Relações do Trabalho, Luiz Antonio Medeiros, articule uma nova posição.

CUSTO BRASIL

Ora, bastaria pegar o antigo projeto, chamar as partes envolvidas na questão – sindicatos laborais e patronais e Centrais – e verificar o que é ou não consenso em matéria de terceirização. Por que essa estratégia é a melhor ? Porque o projeto está pronto para ser votado e não demanda tempo nas Comissões Técnicas. Seria mais lógico, mais ágil, mais econômico e, sobretudo, mais inteligente votar esse projeto do que começar tudo outra vez. Teríamos menor carga no Custo Brasil do Desperdício (CBD).

REINVENTAR A RODA

Como no Brasil, todo mundo quer ser pai ou mãe, vamos ter de aguardar outra invenção. Ou melhor, vamos ter de reinventar a roda. Pela carga de estudos, análises, seminários, encontros, reuniões, pressões e contrapressões, todos acreditam que a montanha não vai parir um rato. Que assim seja.

E POR FALAR EM MONTANHA

O secretário Medeiros lembra à Coluna : breve, breve, em duas semanas, o projeto da terceirização estará pronto. Se o governo quiser, poderá conferir ao Projeto o selo de urgência-urgentíssima.

PAUTA DENSA

Será, contudo, muito difícil votar algo sobre essa matéria nos próximos dias. O líder José Aníbal diz que o esforço concentrado da Câmara – responsável pela aprovação de 10 projetos semana passada – estará novamente aceso nessa semana, quando mais 10 projetos deverão ser votados, entre eles um que prevê penas para os faltosos no trânsito. O presidente do PMDB, Michel Temer, também acompanha atentamente o projeto que trata da terceirização de serviços. E acredita que se chegue a bom termo, até porque áreas do próprio Executivo estão muito interessadas em equacionar pendências relativas à contratação de mão-de-obra e de serviços.

A MINISTRA DILMA

A ministra Dilma Rousseff cresce, a olhos vistos, como candidata. Já aparece nas pesquisas com uma pontuação acima de dois dígitos. O que, a essa altura, é um ótimo índice. Até o momento, Lula tem tido sucesso na estratégia de inseri-la, de maneira lenta e gradual, na cena política.

E O BRASIL OLÍMPICO, HEIN ?

O Brasil "amarelou" nas Olimpíadas. Sim, vestia a camisa amarela na maioria dos jogos. Agora, aqui pra nós, o "amarelou" assume outros significados : amarelo-covarde, amarelo-medroso, amarelo-tímido, amarelo-capenga.

LULALONGE ?

A combinação era a seguinte. Lula iria receber os nossos atletas, campões de algumas modalidades. Com direito a falas cívicas e expressões carregadas de lágrimas dos atletas cheios de ouro. Estamos, por enquanto, com alguns "bronzes", o que, convenhamos, combina bem com o "bronze" dos trópicos, onde lazer ainda é praia, caipirinha, esporte com falta de patrocínio, muita fala, muita pompa e muito riso. O cerimonial vai desmarcar a recepção aos nossos olímpicos atletas.

CAMPANHA PAULISTANA

Marta Suplicy cresceu 7% na intenção de voto em menos de um mês. Constatação do Ibope. Pesquisa é flagrante. Tem erro ? Difícil. Mas sempre há uma questão de metodologia. Nada melhor do que uma próxima pesquisa, de outro Instituto, para verificar o acerto e/ou erro da pesquisa anterior. Por isso, a próxima pesquisa Datafolha é aguardada com muita expectativa.

SEGUNDO TURNO

Não se pode garantir que fulano ou sicrano será derrotado no segundo turno por conta de uma alta taxa de rejeição. Em política, sabe-se, toda regra tem exceção, às vezes, exceções no plural. Marta Suplicy, depois de Maluf, é a candidata mais rejeitada entre os candidatos à prefeitura da metrópole. Teria diminuído a rejeição de 33% para 27%. É possível. E segundo a última pesquisa Ibope, ganharia no segundo turno para Geraldo Alckmin ou Gilberto Kassab. Seria um caso exemplar de candidato com alta rejeição que leva a melhor em um segundo turno muito bem disputado. Se isso ocorrer, este "caso" terá forte impacto na moldura de 2010.

RECONHECIMENTO

Elemento em expansão no mercado de trabalho, o profissional da segurança privada vai ganhar uma data para celebrar sua atividade. Será o dia 20 de junho. A iniciativa partiu do vereador Celso Jatene, de São Paulo, autor da Lei Municipal nº 14.778, cuja promulgação será comemorada em evento no próximo dia 27, na Câmara Municipal da capital paulista. O presidente do Sesvesp – Sindicato das Empresas de Segurança Privada de SP - José Adir Loiola exprime com muita satisfação o reconhecimento à qualidade da segurança privada no Estado de SP.

TRÊS USINAS

O Brasil terá mais três usinas nucleares, após Angra III. Promessa de Lula em tempos de sustentabilidade ambiental.

ABUTRES ?

Chegam à Coluna informações de que os abutres voltam a povoar o espaço dos cemitérios.

SOBRE HIPOCRISIA

O nosso filósofo de plantão pede um pequeno lembrete sobre a hipocrisia. Lá vai : "o hipócrita mede sua generosidade pelas vantagens que dela pode obter; concebe a beneficência como uma indústria lucrativa para a sua reputação; antes de dar, verifica se seu donativo terá notoriedade".

UFANISMO VOLTA

O Brasil do Pré-Sal será um país bem forte na OPEP. E o se o Etanol, daqui a 10 anos, passar a moeda da contemporaneidade ? O Brasil também estará na liderança da Frente do Combustível do Século XXI. É o que Lula promete. Quem viver, verá. Ou não.

CONSELHO AOS NOSSOS ATLETAS

Esta Coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos aos políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado aos candidatos a vereador. Hoje, volta sua atenção aos atletas brasileiros participantes da Olimpíada de Pequim :

1. Cabeça pra cima. As derrotas de hoje podem ser a semente da vitória de amanhã.

2. Separem o joio político que se esconde nas searas olímpicas do trigo saudável que o esporte significa para suas vidas.

3. Não aceitem a manipulação política que circunda o esporte olímpico.

____________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.