Terça-feira, 19 de novembro de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 167

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

José Maria Alkmin, o sábio de Minas Gerais, chegava de Portugal, com cinco garrafas embrulhadas na pasta. O fiscal da Alfândega foi logo perguntando sobre o pacote :

- Ah, é água milagrosa de Fátima.
- Tudo isso ? Quantos frascos ?
- Lá em Minas, o povo põe muita fé nos milagres da água de Fátima. Não dá para quem quer.
- O senhor pode desenrolar ?
- Agora mesmo, meu filho.
- Mas, deputado, isso é uísque.
- Ué, não é que já se deu o milagre ?

E de milagre em milagre, corria o ex-ministro da Fazenda de Juscelino. Um mineiro que sabia dar nó em ponta de faca. Um dia, encontra Osvaldo Nobre, diretor do Semanário O Debate, em Belo Horizonte.

- Seu jornal está excelente, Osvaldo. Leio-o todos os dias.
- Doutor Alkmin, mas é um Semanário.
- Semanário para você, que faz uma vez por semana. Para mim, que o leio todos os dias, é diário.

Pois bem, começo a Coluna avisando aos leitores das quartas-feiras que estão dispensados de cumprimentar este escriba com a lembrança: - Leio todos os dias as Porandubas.

Nem mesmo o espírito do sábio mineiro poderá fazer o milagre de transformá-la em coluna diária.

O MAGOADO RENAN

Renan Calheiros procura renascer das cinzas. Sua maquinação : colocar José Sarney ou outro peemedebista no comando do Senado; tomar conta do PMDB, tirando a presidência do partido das mãos de Michel Temer, substituindo-o por um nome identificado com a velha política. Tradução da jogada : ter o partido e o Senado nas mãos para futuras negociações com vistas a 2010. Magoado, Renan junta os cacos para colocar o vaso em pé. E desfilar faceiro pela passarela do amanhã.

UM PORÉM...

Como se sabe, há sempre um porém para atrapalhar os arranjos. O "porém" de Renan é a base peemedebista da Câmara, a mais forte. Que fecha posição em torno de Michel. E que não arredará o pé do comando da Câmara no biênio 2009/2010. Será difícil desalojar o PMDB daquela posição. Para complicar, o senador José Sarney tem dito com todas as letras : não quero de jeito nenhum comandar a Câmara Alta.

SARNEY MAGOADO

O que Sarney gostaria mesmo é de dar um basta às investidas incontroláveis da Polícia Federal. Revolta-se contra os inúmeros pedidos de busca e apreensão em endereços ligados ao filho Fernando Sarney. O ex-presidente acha que a PF precisa conter seus "exércitos revolucionários". A questão é : o Ministério da Justiça, a quem se reporta a PF, tem autoridade para dizer o que ela pode ou não fazer ? Há quem duvide que aquele Ministério, se entrar na cota do PMDB, possa controlar os ânimos dos policiais federais.

SOLIDÃO E CARÁTER

"Podemos adquirir tudo na solidão, menos caráter."Stendhal

O TERÇO DO AGNÓSTICO

O papa Bento XVI ofereceu um terço às mulheres que acompanharam o presidente Lula na visita ao Vaticano. Curiosidade : o que significa um terço para um não crente, um não cristão, um agnóstico ? Em tempo : a pergunta não tem a intenção de colocar em dúvida a crença de nenhum participante da comitiva presidencial. É apenas simples sugestão da foto estampada na primeira página dos jornais brasileiros exibindo reverência e comoção.

PÓS-PARTIDOS ?

Barack Obama convida os rivais para conversar. Quer alguns deles em seu governo. Resgata, assim, a imagem de Abraham Lincoln, que convidou adversários a integrarem seu governo. Abre-se o ciclo pós-partidos.

SINAL DOS TEMPOS

Juízes julgando juízes. Polícias brigando com polícias. Instituições invadindo funções de outras. Réus denunciando promotores. Estruturas secretas de segurança proibidas de fazerem serviço secreto. Sinal de um tempo sem medidas.

O AR DA PÁTRIA

"Não peço a minha Pátria nem pensões, nem honras, nem distinções; encontro-me amplamente recompensado pelo ar que nela respiro; gostaria apenas que não o corrompessem." Montesquieu

BOLHA DO SUBPRIME

Bolha do subprime agrícola estourou. Na manchete dos jornais, a linguagem das sementes é um aditivo que devasta mentes.

TEMPORADA DE TEMPORÃO

O ministro José Gomes Temporão acusou a Funasa de ser um antro de corrupção. Desdisse. Diz que havia se referido ao passado de outras administrações. No fundo, deseja esticar a temporada no Ministério da Saúde. Até porque o sobrenome de Danilo, presidente da Fundação, é Forte.

OLHO NO CÉU, PÉ NA TERRA

Tales, o sábio, foi encarregado pelo soberano para estudar as estrelas. Distraiu-se e olhando para os céus, caiu em um enorme buraco. Quando acharam o filósofo, extenuado, e o tiraram, seu primeiro cuidado foi sentar-se no chão e dizer contrito : "Ah, Tales, se tu não enxergas nem ao menos os buracos em que pisas, como queres ver o que se passa nos astros ?" Leitoras e leitores, antes de olhar para os céus, vejamos se a terra em que pisamos é firme.

E POR FALAR EM TERRA...

Pois é, o Grito da Terra ganha eco por todas as partes. O Ministério do Meio Ambiente expande seu pacote de proibições; a FUNAI aprofunda a teia de injunções e o MST, com suas bandeiras vermelhas, invade propriedades, deixando um rastro de destruição. E, para coroar o caos no campo, a falta de crédito toma de assalto as últimas esperanças de agricultores. O governo, cheio de promessas, contempla a paisagem, na crença de que o maná cairá farto nos desertos.

NA ÉPOCA DE 500 RÉIS

Um pão doce, nos idos dos anos 50, custava 500 réis, moedinha com a cara de Getúlio. Era metade de um cruzado, mesada que, aos domingos, recebia de meu pai. O pão doce era o banquete que me fartava na banquinha de doces da velha Sinhá, em minha querida Luís Gomes (RN), esquina com a Paraíba e o Ceará. Propina, naqueles tempos, era um termo que mais se aproximava de esmola. Dada para cegos em porta de Igreja. Como era doce a vida nos bucólicos anos de outrora...

PROPINA DE 18 MILHÕES DE REAIS

Essa é a quantia gasta com propinas para políticos, juízes e jornalistas, revelação feita pelo delegado Carlos Eduardo Pellegrini Magro, um dos responsáveis pelo inquérito que resultou na prisão do banqueiro Daniel Dantas. Propina, hoje, é a chave que abre as portas da corrupção. Como é íngreme a estrada desse início de século XXI...

30 BILHÕES A MAIS

Quem ainda procura razões para explicar a formidável vitória de prefeitos candidatos à reeleição, basta ler isso : em 2007, as prefeituras tiveram para gastar R$ 217 bilhões, cerca de R$ 30 bilhões a mais do que em 2006. Puderam fazer mais coisas.

DILMA E MAIS QUEM ?

Lula começa a mapear outros nomes da base governista com perfil – votos e credibilidade – para entrar na corrida presidencial de 2010. Em Roma, abriu o jogo : quer ver Dilma como candidata. Teme não ser capaz de transferir votos. Fernando Haddad seria outro nome. Mas já começa a se preparar para entrar na guerra paulista como candidato a governador pelo PT.

E O TUCANATO ?

Na floresta tucana, um nome de bom alcance é o do líder do PSDB na Câmara, deputado José Aníbal. Já concorreu a campanhas majoritárias, sabe aparar arestas e articula bem. Teria que desbancar outros pré-candidatos, dentre eles, o do próprio Geraldo Alckmin e o do Chefe da Casa Civil, Aloysio Nunes Ferreira. Alckmin tem no rastro duas derrotas e um perfil muito contido. Aloysio é fechado dentro de quatro burocráticas paredes. Falta-lhe o respiro das ruas.

E MARTA, HEIN ?

Marta Suplicy está na moita. À espera de uma oportunidade. Voltar ao Ministério significa um passo atrás. Uma Embaixada ? A da França, que poderia lhe interessar, já está bem preenchida. E pelo perfil, seria difícil enxergá-la num posto na África, na Ásia ou mesmo por aqui pertinho, no Cone Sul, por exemplo.

R$ 150 BILHÕES

Para aumentar a liquidez no mercado de crédito e combater os efeitos da crise financeira, o governo brasileiro já injetou cerca de R$ 150 bilhões. E Lula chegou a dizer que o tsunami, ao chegar por aqui, teria a força de "marolinha". Nunca na história deste país, houve um presidente tão ruim de adivinhação. Ele também chegou a pedir aos jornalistas que anotassem a previsão : Marta ganhará a eleição em São Paulo.

MONOPÓLIO E SERVIÇO PÚBLICO

Mais de 90 mil consumidores da Zona Norte da capital paulistana foram obrigados a ir às agências da Sabesp pagar suas contas. A razão ? Não conseguiram receber as contas, porque os Correios conseguiram uma liminar que obrigou a Companhia a não entregar os boletos sob o argumento de que o serviço é monopólio da estatal. A juíza federal Marcelle Carvalho, da 5ª Vara Cível, determinou que, a partir de 23 de outubro, a Sabesp estava impedida de emitir contas de 180 mil imóveis. Deus do Céu ! Um serviço público pode ser devastado pelo rolo compressor de um alegado monopólio estatal ? Onde está o bom senso ? Nessa guerra, só há um perdedor : o consumidor.

E A PETROBRAS, HEIN ?

E como fica a Petrobras, hein, que junta parceiros na exploração do petróleo ? Lembrete : ela tem o monopólio da extração do petróleo. Que discussão anacrônica...

HEROÍSMO

"O heroísmo do pobre consiste em imolar a inveja, ser ele mesmo acima de sua própria miséria, a ponto de não querer saber se a riqueza foi justa ou injustamente ganha; o heroísmo do rico é, conhecendo o direito do pobre, amá-lo e ir até ele." Jules Michelet

MIRO E JANELA

O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) quer fechar a "janela" da infidelidade. Ela permite que um parlamentar, 30 dias antes da Convenção do partido, possa migrar para outra agremiação. Trata-se de um jeitinho para acomodar a cultura de moldagem de interesses. Será difícil fechar a janela, pois a ampla maioria dos 513 deputados quer ter uma fresta para sentir os ventos de cada estação. O projeto da janela é do deputado Flávio Dino (PC do B-MA).

MINISTROS NO IASP

Os ministros Marco Aurélio de Mello e Cezar Peluso, do Supremo Tribunal Federal, estarão em São Paulo na noite de 28 de novembro, participando de cerimônia comemorativa dos 134 anos do IASP – Instituto dos Advogados de São Paulo. Na sede da entidade, na rua Líbero Badaró, Marco Aurélio receberá da presidente do Instituto, Maria Odete Duque Bertasi, a Medalha Barão de Ramalho. A advogada Maria Odete é a primeira mulher a presidir o Instituto nesses longos anos de existência.

CONSELHO AO JUIZ E AO DELEGADO

Esta Coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos aos políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado aos prefeitos eleitos. Hoje, volta sua atenção ao juiz Fausto De Sanctis e ao delegado Protógenes Queiroz:

1. Evitem espetacularização em torno de suas vidas profissionais. Juiz De Sanctis : ao manter Vossa Excelência no comando da Operação Satiagraha, o TRF tomou uma decisão que não pode ser aproveitada e manipulada politicamente. Delegado Protógenes : não deixe que partidos usem sua imagem como estratégia para a politicagem.

2. Autoridades do Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal não podem e não devem se engalfinhar publicamente, sob pena de prejudicarem as instituições a que servem.

3. A administração da crise que afeta as instituições está a exigir de seus participantes equilíbrio, harmonia e cooperação.

___________________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.