Sexta-feira, 19 de abril de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 182

quarta-feira, 25 de março de 2009

Que barbeiro desalmado...!

Djalma Marinho, deputado estadual de 47 a 50 e federal de 51 a 81, era compadre do barbeiro de Nova Cruz. Um dia, cortando o cabelo, ouviu o apelo :

- Compadre, vi nos jornais que você vai para Roma visitar o papa. Gosto tanto do papa. Olhe, aqui, a foto dele. Vou lhe fazer um pedido : que ele assine essa foto com dedicatória à minha família. Não esqueça. Você é meu maior amigo e não vai me decepcionar.

O deputado viajou e encaixou o pedido tresloucado na mala do esquecimento. O tempo passa. Dois meses depois, ao voltar a Nova Cruz e ao sentar na cadeira da barbearia, recebeu a cobrança :

- E aí, compadre, cadê minha foto com a assinatura do papa ? Falou de mim para ele ?

- Pois é, compadre. Assim que vi o papa, só me lembrei de você. Falei de sua família, de seu trabalho, da admiração que você tem por Sua Santidade. E ele me olhava com aquele olhar de santo. Ia pedir a assinatura dele para você, ele olhou para minha cabeça exatamente no momento em que me curvei para beijar o anel e me perguntou, assim meio contrariado :

- Senhor deputado, que barbeiro desalmado fez esse estrago em sua cabeça ?

- Você há de compreender, compadre, não tive nenhuma condição de fazer o pedido.

Primeira foto

A pesquisa Datafolha estampa a primeira radiografia eleitoral nos Estados. José Serra sai bem na foto. Não há novidade. Trata-se do nome mais capilar das oposições. O que pode parecer novo é a frágil influência dos governos estaduais no processo eleitoral. Com exceção de um ou outro caso, os pré-candidatos aos governos estaduais não conseguem sair do lugar. Aloysio Nunes Ferreira, que contaria com o apoio de Serra, navega em maré muito baixa. O mesmo pode se dizer de Antonio Anastasia, vice-governador de Minas Gerais, candidato in pectore de Aécio Neves. Também está em desconforto o governador Sérgio Cabral, no Rio, onde os opositores, somados, chegam a ter o dobro de sua intenção de voto.

"O amor é uma semente
Que se planta sem chover
Dentro do peito da gente
Não dá trabalho a nascer."
(Versos paraibanos)

PMDB na frente

O PMDB foi escolhido como o símbolo do fisiologismo. É acusado de ambicionar espaços cada vez mais largos na estrutura federal. A mídia não para de bater no partido. Pois bem, quem está na frente dessa pré-largada aos governos estaduais ? O PMDB. Como se explica essa preferência popular ? Uma pista : o eleitor não faz distinção entre partidos. Vê semelhança em quase todos. A exceção fica por conta dos partidos nos extremos ideológicos, do tipo PSOL e PSTU, por exemplo. Mas esses são quase inexpressivos eleitoralmente.

E as oposições ?

O resultado da primeira jornada de pesquisas mostra que Lula desceu alguns andares do patamar do prestígio, mas não o suficiente para deixá-lo em maus lençóis. Lula continua a ser o maior cabo eleitoral do país. Donde emerge a pergunta : conseguirá passar votos para Dilma Rousseff ?

No nordeste, sim

Não há dúvida. Na região nordestina, Luiz Inácio, com Dilma a tiracolo, pode jogar uma baciada de votos na candidata. Ele usará o passaporte do Bolsa Família. Dirá que o opositor acabará com o programa. Usará terrorismo. Esse discurso do medo garante montanha de votos. O discurso sobre a privatização da Petrobras, do Banco do Brasil e da Caixa Econômica, usado contra Geraldo Alckmin, na campanha passada, colou. E muito. Campanha não é parque de diversões. É arena de guerra. E Lula quer sair como o marechal da vitória.

Medalha Ipiranga

O senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), será condecorado com a mais alta comenda do Estado de São Paulo, a Medalha Ipiranga. O evento ocorrerá, sexta feira, às 19h, no Palácio dos Bandeirantes.

Aécio na baixa

Aécio Neves não saiu bem na foto. Começam a jogar no ar uma poeira sobre a vida privada de Neves : boêmio, vida largada, sem compromissos familiares. Gente do alto tucanato faz questão de ligar o ventilador nos caminhos de Aécio. É golpe baixo.

"O ilegal é o que fazemos imediatamente. O inconstitucional é o que exige um pouco mais de tempo." (Henry Kissinger)

Yeda no fundo

Yeda Crusius, mesmo com o esforço de recuperação das finanças do Estado, com a ajuda do grande e cívico empresário Jorge Gerdau, não consegue tirar as cruzes das costas. O calvário continua. Yeda está no fundo do poço. Tarso Genro, o ministro da Justiça, lubrifica o arsenal para lutar contra José Fogaça, do PMDB, prefeito de Porto Alegre.

"Pensar é o trabalho mais duro que há. O que é provavelmente o motivo por que tão pouca gente se dedica a fazê-lo." (Henry Ford)

José Rei na barriga Maranhão

O governador José Maranhão, da Paraíba, acaba de criar um Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, nos moldes do Conselhão do Lula. Até aí tudo bem. Agora, incluir nele os presidentes dos outros Poderes é uma coisa estapafúrdia. Como o presidente do Tribunal de Justiça poderá ser imparcial, se instado for a julgar atos do governador ? Como participe de um órgão do Executivo estadual, perderá a independência e a imparcialidade, valores inerentes ao perfil dos magistrados ? Menos, governador, menos.

"A integridade é a virtude que caracteriza os juízes", ensina Bacon.

Pedro Nicácio

Mulato do Cariri/CE, Pedro Nicácio despachou-se para o norte, inebriado pela febre da borracha. Integrou-se às escaramuças patrióticas de Plácido de Castro, machadinha na mão, cortando seringueiras, usando a Winchester, quando necessário. Era um guerreiro na vanguarda dos caboclos cearenses. Um dia, mandou para a eternidade 14 bolivianos. A cada morte, fazia uma pequena cruz na coronha do rifle. Certo dia, por desavenças, assassinou um companheiro de jornada. Foi preso. Enfrentou o interrogatório. O delegado Montenegro perguntou-lhe quantas pessoas matara :

- Uma.

- Uma, não, confesse logo a verdade : você é criminoso de 15 mortes.

- De 15, não. É só uma. Mas, espere.... agora tô maginando...

Baixando a cabeça, envergonhado de lhe tirarem o patriotismo, tascou :

- Só se vosmicês querem botar na conta aqueles 14 desgraçados bolivianos.

O Brasil no G-8

Ricardo Amorim é um bom analista do cenário mundial. Apresentou uma completa radiografia da crise internacional e os efeitos sobre o Brasil, por ocasião da IV FESP (Fórum Empresarial de Segurança Privada do Estado de São Paulo), evento patrocinado pelo Sindicato de Segurança Privada, em Águas de Lindóia, no último fim de semana. Amorim imbricou quadros, gráficos, comparou índices, tudo para mostrar a péssima situação dos Estados Unidos. Cérebros estão saindo daquele país, inclusive norte-americanos. As feridas não vão curar tão cedo. A China liderará o ranking dos países mais poderosos. E o Brasil, dentro de alguns anos, fará parte do G-8. A leitura do economista é muito favorável ao Brasil.

"Deus me perdoe, se é pecado
Mas eu queria ser fita
Só para andar na cintura
Duma cabocla bonita."
(Versos paraibanos)

Ladrões

"Andava Dom João II, de Portugal, espairecendo pelas ribeiras do Tejo, e disse a alguns ministros de Justiça que o acompanhavam a cavalo que corressem. Respondeu um, em nome de todos : Nós não sabemos correr, senão atrás de ladrões. Tornou el-Rei, gracejando : pois correi uns atrás dos outros." (Padre Manuel Bernardes)

Desconto dos aposentados

Mais de 50 entidades de aposentados da esfera pública apresentaram denúncia ao sistema de direitos humanos da OEA. A causa : evitar o desconto mensal de 11% em seus proventos. Mas a reivindicação poderá resultar em nada. A OEA só age quando os recursos são impetrados por pleiteantes individuais e não entidades. A causa tem voto favorável do professor Cançado Trindade, que presidiu a Corte Interamericana de Direitos Humanos e hoje é juiz da Corte Internacional de Haia.

"Os anos de um menino são um círculo pequeno; os de um velho outro círculo maior, mas uma vez postos no centro, que é a eternidade, já não há diferença de círculos : Semper aqualiter praesens est circuitus, et rota temporum." (Padre Bernardes)

Territórios da cidadania

O Executivo, capitaneado pela Casa Civil, está redimensionando o Territórios da Cidadania, mobilizando um grupo de 90 funcionários dos Ministérios (MAPA, MDA, MA, etc.) para acompanhar o presidente Lula e a ministra Dilma Rousseff em suas andanças pelo país. O objetivo, como se deduz, é aproximar a "Dilma a de Lula", como começa a ser conhecida, da população de baixa renda. A "tropa" vai dar a largada nos próximos dez dias. Esse circo armado lembra a "Caravana da Cidadania" que Lula formou quando foi candidato em 2002. Este Programa foi lançado em 25 de fevereiro de 2008. E só agora desperta da letargia.

"O negócio e a traficância
Nasceram no mesmo dia:
Negócio inda não andava
Já traficância corria."
(Versos paraibanos)

Munhoz, discurso forte

O novo presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo é um parlamentar sem dobras na língua. Diz o que pensa. Como pensa forte, seu discurso é contundente. Este escriba ficou agradavelmente surpreso em ouvir Barros Munhoz desenhar uma moldura do país, valendo-se do escudo dos direitos e da força da lei. Fez candente defesa do setor de serviços. Combateu ferozmente os leilões eletrônicos. Puxou a orelha dos jovens que militam no Ministério Público mas com o olho plantado nas telinhas das TVs. Verberou contra a hipocrisia. Fez um discurso grande. Por ocasião da IV FESP, presidida por José Adir Loiola.

Michel no LIDE

O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, será homenageado, segunda-feira, dia 30, com um almoço oferecido pelo LIDE, movimento presidido por João Doria. Cerca de 300 empresários participarão do evento, a se realizar no hotel Renaissance.

ACSP, fórum de debates

Alencar Burti pretende fazer que a Associação Comercial, que preside, seja um competente Fórum de Debates sobre a Realidade Brasileira. Deu início à jornada com a instalação de um Conselho Político e Social, presidido por Jorge Bornhausen, e com uma palestra do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Que vê no horizonte um país "bambo".

"O homem é sempre mais macaco do que qualquer macaco." (Friedrich Nietzsche)

Alckmin na frente

Geraldo Alckmin é um sorriso só, depois da pesquisa Datafolha que o coloca quilômetros na frente de outros possíveis postulantes.

"Só o homem resiste à força da gravidade: ele está sempre querendo cair para cima." (Friedrich Nietzsche)

E o PT, hein ?

Na esfera do PT, a indefinição reina. O melhor candidato ao governo de São Paulo, Antonio Palocci, espera o julgamento do STF. Emídio de Souza, prefeito de Osasco, não é palatável. Fernando Haddad poderia ser a cara nova. Marta tem razoável votação, mas não fôlego para chegar ao final. Será difícil romper a barreira da viabilidade. Mas há quem aposte em sucesso. José Dirceu, por exemplo, diz que o PT tem chances.

E Skaf, hein ?

Paulo Skaf ainda não fechou posição com partidos para se viabilizar como candidato ao governo paulista. Sabemos que os partidos são pasteurizados e assemelhados. Tudo bem, mas seria muito engraçado, por exemplo, Skaf formar aliança com o PDT de Paulinho da Força. Nesta semana, os grevistas da Petrobras farão manifestação diante do prédio da FIESP. Comandados pela Central da Força Sindical. Imaginem, agora, como o presidente da FIESP, se aliado deste grupamento, se comportaria ante uma greve liderada pela Força ? No mínimo, seria risível.

"Quem antes do tempo começa, cedo termina." (William Shakespeare)

Conselho ao senador José Sarney

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado aos membros do Ministério Público. Hoje, volta sua atenção ao presidente do Senado Federal, José Sarney :

1. Ante a avalanche de críticas ao Senado, seria oportuno ir ao encontro da matriz dos problemas, encampar o projeto de reforma política e realizar ampla articulação por sua aprovação;

2. Reformas cosméticas – como mudanças no campo da gestão – serão sempre consideradas medidas paliativas.

3. Densa agenda no Senado, a partir de medidas efetivas para evitar o abuso de Medidas Provisórias, poderia ser outro caminho a ser seguido para livrar o Senado da artilharia da mídia.

_____________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.