Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

Porandubas Políticas

por Gaudêncio Torquato

Porandubas nº 207

quarta-feira, 14 de outubro de 2009


Mais uma vez a Paraíba

Brejo das Freiras é uma Estância Termal nos confins da Paraíba, perto de Uiraúna e Souza. Trata-se de um lugar para relaxamento e repouso. O Governo da PB tinha (não sei se ainda tem) um hotel, com uma infraestrutura para banhos nas águas quentes. Década de 70. Apolônio, o garçom, velho conhecido dos fregueses da região, recebe, um dia, um hóspede de outras plagas. Pessoa desconhecida. Lá pelas tantas, quase terminando a refeição, o senhor levanta a mão, chama Apolônio e pede :

- Meu caro, quero H2O.

Susto e surpresa. Anos e anos de serviços ali no restaurante e ninguém, até aquele momento, havia pedido aquilo. Que diabo seria H2O ? Apolônio, solícito :

- Pois não, um instante !

Aflito, correu na direção da única pessoa que, no hotel, poderia adivinhar o pedido do hóspede. Tratava-se de Luiz Edilson Estrela, apelidado de Boréu (por causa dos olhos grandes de caboré), empedernido boêmio, acostumado aos salamaleques da vida.

- Boréu, tem um senhor ali pedindo H2O. O que é isso ?

Desconfiado, pego sem jeito, Boréu coça o queixo, olha pro alto, tenta se lembrar de algo parecido com a fonética e, desanimado, avisa :

- Apolônio, sei não. Consulte o Freitas.

Freitas era o diretor do Grupo Escolar, o intelectual da região. Localizado, o professor tirou a dúvida no ato :

- H2O é água, seus imbecis. Quer dizer água.

Apressado, Apolônio socorreu o freguês com uma jarra do líquido. Depois, no corredor, glosando o feito, gritou em direção a Boréu :

- Ah, ah, ah, esse sujeito achava que nós não sabia ingrês. Lascou-se !

Ciclos pré-eleitorais

O país começou a viver seu primeiro dos três ciclos pré-eleitorais. O primeiro ciclo pega outubro e novembro; o segundo abriga dezembro, janeiro e fevereiro; e o terceiro começa em março e vai até junho. No primeiro, a meta é alavancar os nomes dos pré-candidatos, tornando-os mais visíveis. O segundo, no período de festividades de fim do ano velho e começo do ano novo, o foco é a articulação, com muitas conversas ao pé do ouvido. E o terceiro será dedicado ao fechamento de acordos e tomada de decisões, encerrando-se com a Convenção dos partidos.

"Civilização, antes de tudo, é vontade de convivência." (Ortega Y Gasset)

Decalagem

O candidato quer atingir o alvo distante. Que passará à altura de seus olhos no início de outubro de 2010. Mas sua arma deve disparar agora. O que deve fazer ? Calcular a distância do alvo, velocidade com que se movimenta, a velocidade da munição da arma em suas mãos, o atrito do ar, as condições do tempo etc. Se tudo for bem medido, a probabilidade de acertar o alvo é alta. A isso se chama, decalagem.

Amostras

Vamos, agora, aos exemplos. Dilma Rousseff corre o Brasil no trator do PAC, examinando, conferindo obras e adentrando no circuito cultural religioso das regiões. Na Bahia, cultuou todos os orixás. No Pará, entre abraços e elogios a Jader Barbalho e ao PMDB, acompanhou a procissão do Ciro de Nazaré. Começa a praticar o bambolê, rodopiando pros lados, driblando questões escabrosas e costurando com a agulha da harmonia. José Serra, por sua vez, deslocou-se para o santuário de Aparecida, onde ocupou o púlpito para dizer como "ser cristão". Mas não faltam estocadas de todos os lados. Ciro Gomes é o principal responsável pelo tiroteio. A última dele : o ciclo FHC atrasou o Brasil.

Pedra no sapato

Lula colocou uma pedra no sapato de Ciro Gomes. Incentivou a mudança de título de eleitor para São Paulo, na intenção de convencê-lo a se candidatar ao governo do Estado. Lula imaginou – e bem – que um contundente opositor ao governo Serra poderia ser um grande cabo eleitoral de Dilma dentro do principal colegiado eleitoral do país. Mas o PT reage à ideia. Marta Suplicy foi escolhida para dizer, de público, que o partido não entrega de bandeja a candidatura ao governo para um estranho. Ciro acaba de descer de pára-quedas por estas bandas. Como desistir de uma candidatura em seu berço, pensam muitos petistas ?

Sinuca de bico

Ciro vive uma sinuca de bico. Se for candidato à presidência da República, poderá desagradar Lula. A não ser que prove, por A mais B, que tirará mais votos de Serra do que de Dilma. Essa equação não está ainda muito clara. Como candidato a presidente, Ciro não pode ter discurso frouxo, pasteurizado, incolor e inodoro. Portanto, precisa marcar presença no cenário. E essa postura certamente quebra a polarização Serra/Dilma. Logo, ele pode tirar mais votos de Dilma do que do governador paulista, eis que o eleitorado tenderá a vê-lo mais como lulista-governista. Ou seja, um perfil mais forte que o de Dilma. Em marketing, o conceito se chama canibalização. A imagem de Ciro "canibaliza" o perfil da Chefe da Casa Civil.

Dirceu no jogo

E por perceber essa alternativa – Ciro quer ganhar espaços que poderiam ser ocupados por Dilma – o alto comissariado do PT entrou no jogo, convocando o atacante José Dirceu, considerado o mais hábil negociador do partido, apesar de afastado oficialmente das lides partidárias. Dirceu correu o Nordeste socialista, ou seja, os Estados governados pelo PSB : PE, RN e CE. No Ceará, argumentou junto a Cid, o irmão de Ciro, que governa o Estado : convença o mano a abandonar esta ideia sob pena de o PT cearense apoiar Luizianne Lins, prefeita de Fortaleza, para o governo do Estado.

Barganha, não

Quem conhece Ciro, sabe que o cara é esquentado. Não teria aceito a sugestão. Mais : teria acirrado o discurso sob a crença de que tem mais a ganhar na disputa federal que na esfera estadual paulista. Seria muito difícil uma vitória contra o tucanato paulista. O pindacearense imagina que pode ser o candidato em melhores condições de levar a melhor contra Serra. Até fevereiro/março, a água entrará em ebulição. A conferir.

Perguntinhas a Ciro

Ciro Gomes, por favor, responda : "se os outros 31 deputados federais do Ceará decidirem, todos, transferir seus títulos eleitorais para outros Estados, imitando seu gesto de mudança de domicílio eleitoral para SP, essa decisão é correta e justa ?" E mais : "se os parlamentares levarem consigo seus mandatos, sem renunciarem ao cargo, como ficará o Estado ?"; "Não seria o caso de renúncia para que os suplentes possam assumir os mandatos e garantir a representação do Estado ?". Se Vossa Excelência argumentar que tal mudança se dará apenas por alguns meses, podemos chegar à conclusão que a traição aos eleitores se justifica por tempo mais escasso. Podemos, também, supor que meia gravidez existe.

Casamento no Maranhão ?

A não ser que Ciro Gomes tenha se convencido de que casamento duplo pode ocorrer, sim, contanto que um dos matrimônios tenha ocorrido muito distante do outro. E sob a bênção do Frei Damião. Acompanhemos a pregação do Frei em Cajazeiras, na Paraíba. Com aquela voz que parecia sair das cavernas, perorava contra os amancebados, os luxuriosos, os desonestos, desfilando todos os pecados contra os 10 mandamentos. No meio do sermão, parou e perguntou :

- Quantos aqui são amancebados ? Quantos vivem juntos e não casaram ?

Centenas de pessoas levantaram a mão. O frei ameaçou :

- Nesse estado de barbárie, todos vocês vão para as profundezas do inferno. E serão queimados vivos. Vivos.

Começou a descrever a terra incandescente. E arrematou : "amanhã, quero todos os amancebados, aqui, para um casamento coletivo". Dia seguinte, lá estava a multidão. Começou a cerimônia. Frei Damião limpa o suor e joga a pergunta que ferveu na alma de muitos :

- Quem tiver algum impedimento contra esses sagrados matrimônios, que fale, agora, ou se cale para sempre.

Silêncio. De repente, vê-se, no meio da multidão, o braço no ar de Terezinha das Mercês, devota fervorosa de Senhora da Anunciação :

- Raimundinho de Doca num pode se casar, pois ele já é casado no Maranhão.

Perplexidade geral. Raimundinho, o açougueiro, toma um susto. Silêncio. Frei Damião, curioso, sai do púlpito. Multidão em transe. A companheira de Raimundinho, envergonhada, não sabe o que fazer. E muito menos o que dizer. O homem das carnes, encabulado, grita alto para todos ouvirem :

- Foi no Maranhão, no Maranhão. Faz muito tempo. É muito longe daqui. Muito longe, frei Damião. E adepois, fui a Juazeiro para tomar as benção do padim Ciço.

O "santo italiano" do sertão nordestino baixou a cabeça. Chamou Raimundinho para perto e cochichou a penitência no ouvido :

- 100 terços e abstinência por 7 dias. Se não cumprir a ordem, os dois queimarão vivos no inferno.

Deu meia volta. Tomou lugar no púlpito. Milagre. O durão Frei Damião abençoou a todos. Ciro até parece que deseja imitar Raimundinho.

Lula, o articulador

Lula se transforma, a cada dia, no grande articulador do governo, do PT e dos partidos da base. Convoca líderes e dirigentes partidários, manda recados, cobra resultados. No que concerne ao PT, as ligeiras intervenções de algumas lideranças, como Marta Suplicy, por exemplo, são passíveis de morrerem no espaço e no tempo. Lula dará a palavra final. Quem vai questionar um presidente que tem 80% de avaliação positiva ? No que diz respeito aos partidos, ele também funcionará como o harmonizador. Sugerirá onde PT, PMDB, PDT, PSB e outros podem recuar ou fazer avançar seus candidatos ao Governo dos Estados e ao Senado.

Licença do cargo ?

Não será surpresa se Lula tirar licença para comandar, ele mesmo, a campanha de Dilma. A questão é : José Alencar, o vice, aguentará o tranco, na medida em que submete-se a um intensivo tratamento de saúde ? Michel Temer, presidente da Câmara, não assumiria o cargo porque será candidato a deputado, podendo, ainda, vir a ser o vice na chapa de Dilma. Outra questão é : José Sarney, presidente do Senado, desgastado, teria condições de comandar o governo mesmo por poucos meses ?

DEM quer reforço

O DEM tem uma meta a cumprir em 2010 : fazer uma grande bancada federal - senadores e deputados. Na esfera dos governos, suas chances serão mais limitadas. Mas o partido poderá surpreender, por exemplo, no DF, onde o governador Arruda faz boa administração e entra forte nos redutos periféricos, onde o ex-governador Roriz mantinha seus domínios. Arruda decidiu focar 80% de sua administração na região das cidades satélites. O prefeito Gilberto Kassab, de São Paulo, faz ampla articulação nacional com vistas ao plano de fortalecimento do DEM.

E o PSC, hein ?

Com 17 deputados, agora, o PSC entrará em 2010 com uma expansão de 87%. Adesões importantes : o senador Mão Santa, do Piauí, e o ex-senador e ex-governador Joaquim Roriz, do DF. Dificuldades que enfrentará : tempo de rádio e TV na campanha.

Pacto em SC

Em Santa Catarina, há três nomes da base governista que disputarão a candidatura ao governo : Leonel Pavan, vice-governador, pelo PSDB; senador Raimundo Colombo, pelo DEM, e Eduardo Moreira, presidente do PMDB. Quem exibir a melhor posição nas pesquisas lá para março/abril, será o escolhido. Como o governador Luiz Henrique será candidato ao Senado, as chances do PMDB diminuem. Eduardo Moreira ostenta posição baixa nas atuais pesquisas. Colombo e Pavan dividem as maiores taxas, em rodízio. Como Pavan assumirá em janeiro, com a licença de Luiz Henrique, ficará com o poder da caneta e maior possibilidade. Colombo disputaria o Senado.

Tempos de maquiagem

Aproximam-se os tempos de maquiagem. Atenção, maquiadores. Cuidado com o excesso de rouge. Muita atenção para as camadas exageradas de tintura no cabelo. O eleitorado, em 2010, vai tapar os olhos para o conceito : "bonitinho(a), mas ordinário(a)".

Cadê o Favre ?

Luiz Favre, ex-marido de Marta Suplicy, que faz um blog político, teria comprado uma rede de supermercados na França. Este consultor ouviu, ontem, a informação de importante figura pública.

Cadê o Duda ?

Onde anda Duda Mendonça, que fez as campanhas de Lula ? Teria sido contratado pelo socialista Paulo Skaf como consultor político. Faria a campanha de Skaf ao governo de SP. Essa alternativa também é assim conhecida : contar com o ovo antes da galinha fazer o seu exercício.

Pergunta a Skaf

O que acha da socialização de alguns meios de produção ? O que acha do planejamento participativo ? Como enxerga o orçamento participativo ? Que cartilha socialista inspira sua reza ?

Cadê o Lavareda ?

E o Antônio Lavareda, analista de pesquisas ? Dizem que deixará a condição de bastidor para ser vidraça. Quer ser político. Ingressou no PSDB. E estaria atraído por uma vaga no Parlamento do MERCOSUL (Parlasul). O pesquisador, dizem, é um próspero homem de negócios no campo do turismo. E divisa a área financeira.

Cadê o Santana ?

João Santana, o segundo marqueteiro de Lula, está aprontando dona Dilma Rousseff para a cerimônia eleitoral de 2010. Com direito a orientação de cortes de cabelo, cor do vestido e postura verbal. Mas, e o discurso geral ? Continuidade da era Lula ?

Falta do que fazer

O articulista Carlos Alberto Di Franco escreveu um artigo em "O Globo", condenando o PT, que puniu por desobediência os deputados Luiz Bassuma e Afonso Henrique. Criticar partidos é coisa natural. O presidente do PT, Ricardo Berzoini, mostrando-se indignado com o articulista, deu-se ao trabalho de responder em artigo no mesmo jornal. É mesmo falta do que fazer.

Conselho aos marqueteiros

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado aos petistas de São Paulo. Hoje, volta sua atenção aos marqueteiros :

1. Procurem avaliar o estado social em todos os espaços nacionais.

2. Ouçam as vozes das ruas e procurem produzir um discurso consoante com a realidade.

3. Ofereçam a seus assessorados mais conteúdo e menos forma, menos massa de pastel e mais substância ou, conforme diz o povo, mais "sustança", menos osso e mais tutano.

____________

Porandubas Políticas
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.