Quinta-feira, 19 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

CNJ seleciona 30 finalistas ao prêmio Conciliar é Legal

O CNJ selecionou os projetos de boas práticas de conciliação executados por magistrados e tribunais brasileiros que estão disputando como finalistas o prêmio Conciliar é Legal. O prêmio tem a proposta de homenagear boas experiências na resolução de conflitos judiciais, por meio dessa prática. No total, foram inscritos cerca de cem projetos.

terça-feira, 2 de novembro de 2010


Conciliar é Legal

CNJ seleciona 30 finalistas ao prêmio Conciliar é Legal

O CNJ selecionou os projetos de boas práticas de conciliação executados por magistrados e tribunais brasileiros que estão disputando como finalistas o prêmio Conciliar é Legal. O prêmio tem a proposta de homenagear boas experiências na resolução de conflitos judiciais, por meio dessa prática. No total, foram inscritos cerca de cem projetos.

Nesta segunda etapa, uma equipe de juízes e magistrados indicados pelo Conselho percorrerá os estados onde estão sendo executados os projetos finalistas, para avaliar pessoalmente os trabalhos e comprovar a eficácia de cada um. Na prática, as premiações serão feitas por TJs, TRTs e TRFs. Na categoria individual, da mesma forma, estão sendo selecionadas as melhores práticas dos juízes de Direito, juízes trabalhistas e juízes Federais.

Tribunais

Em relação aos TJs, concorrem projetos dos tribunais do Rio Grande do Norte, Amazonas, Pernambuco, Santa Catarina, Alagoas, Espírito Santo e Goiás. Já no tocante aos TRTs, estão concorrendo ao prêmio o TRT 16 (do Maranhão), TRT 8 (que compreende os estados do Pará e Amapá) e TRT 11 (cuja abrangência compreende Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima).

Quanto aos TRFs foram selecionados entre os finalistas, o TRF da 3ª região  – que compreende São Paulo e Mato Grosso do Sul e o TRF da 4ª região, cuja abrangência pega os Estados de Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Magistrados

A equipe responsável pela seleção também escolheu, dentre as iniciativas individuais, trabalhos dos seguintes juízes de Direito e magistrados de TJs : José Sebastião Fagundes Cunha, do Paraná (TJ/PR); juiz Ferdinando Scremin Neto, de Alagoas (TJ/AL); desembargadora Maria Zeneide Bezerra, do Rio Grande do Norte (TJ/RN); juíza Sulamita Bezerra Pacheco de Carvalho, também do TJ/RN; juíza Sueli Pereira Pini, do Amapá (TJ/AP) e juiz João Rolim Sampaio, de Rondônia (TJ/RO).

Foram selecionados ainda, os juízes Humberto Moglio Dutra, Roberto Coutinho Borba e Rodrigo Granato Rodrigues, do Rio Grande do Sul (TJ/RS); juiz Adalberto Carim Antonio, do Amazonas (TJ/AM); juíza Tânia Maria Vasconcelos Dias, de Roraima (TJ/RR) e juiz Bruno César Azevedo Isidro, da Paraíba (TJ/PB).

Categoria Individual

Já na categoria dos juízes trabalhistas, dentre os nomes que já foram selecionados como finalistas estão o juiz Manoel Lopes Veloso Sobrinho, do TRT 16; juiz José Geraldo da Fonseca, do TRT 1 e juiz Roberto Vieira de Almeida, do TRT 2. Dentre os juízes federais, concorrem ao prêmio magistrados de Santa Catarina, São Paulo, Paraíba e Paraná. A lista completa, com o nome de todos os magistrados e dos projetos selecionados como finalistas será divulgada pelo CNJ amanhã.

__________________

patrocínio

Bradesco VIVO

últimas quentes