Quarta-feira, 18 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

STJ - Juiz não consegue aproveitar tempo de serviço municipal para obter licença-prêmio

A 6ª turma do STJ não reconheceu o direito de um juiz de Pernambuco ao recebimento de duas licenças-prêmio em dinheiro, por não terem sido gozadas em atividade nem computadas para aposentadoria. Os ministros entenderam que o magistrado não cumpriu o tempo exigido em lei.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Licença-prêmio

STJ - Juiz não consegue aproveitar tempo de serviço municipal para obter licença-prêmio

A 6ª turma do STJ não reconheceu o direito de um juiz de Pernambuco ao recebimento de duas licenças-prêmio em dinheiro, por não terem sido gozadas em atividade nem computadas para aposentadoria. Os ministros entenderam que o magistrado não cumpriu o tempo exigido em lei.

O juiz aposentado alegou ter mais de 20 anos ininterruptos de serviço público prestado no Estado. Antes de exercer a magistratura, ele foi padre, de 1961 a 1966; professor de instituição Estadual de ensino, entre 1966 e 1970; e servidor da prefeitura de Canhotinho/PE, de 1970 a 1982. O magistrado tinha direito a licença-prêmio até 1979, quando entrou em vigor a lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman) – LC 35/1979 (clique aqui).

O relator, desembargador convocado Celso Limongi, ressaltou que a licença-prêmio é concedida ao servidor do Estado a cada dez anos de efetivos serviços prestados na esfera Estadual, como disposto no artigo 112 do Estatuto dos Funcionários Públicos do Estado de Pernambuco (lei 6.123/1968).

O desembargador Limongi entendeu que, da análise do tempo de serviço público que poderia ser aproveitado pelo juiz aposentado (de 1966 a 1982), somente o período em que exerceu o cargo de professor de colégio Estadual poderia ser considerado para a concessão da licença-prêmio. "Tal período, que totaliza pouco mais de quatro anos, não satisfaz, contudo, a exigência legal", ponderou.

O relator afirmou ainda que, diferentemente do que alega o magistrado, não há como aproveitar o tempo de serviço público relativo ao desempenho de cargo municipal para a concessão da licença. Celso Limongi acrescentou que, de acordo com o inciso I do artigo 92 do estatuto, a utilização do tempo de serviço municipal é admitida apenas para os efeitos de aposentadoria e disponibilidade.

___________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco VIVO

últimas quentes