Segunda-feira, 25 de março de 2019

ISSN 1983-392X

EUA x Iraque

Personagens de um filme real

segunda-feira, 17 de março de 2003

"O mocinho"

"Amanhã é a hora da verdade para o mundo", afirmou o presidente George W. Bush, depois de reunir-se durante uma hora com os primeiros-ministros da Inglaterra, Tony Blair, e da Espanha, José Maria Aznar, numa base militar em Lajes, Açores, ontem. 

Bush conclamou os países a ratificarem, numa nova decisão, o apoio unânime que deram em 8 de novembro à Resolução 1.441, que exigiu o "desarmamento condicional e imediato"de Saddam.

Perguntado se hoje é o último dia para uma solução diplomática da confrontação com o Iraque, Bush foi claro. "É isso que eu estou dizendo. Espero que amanhã a ONU faça seu trabalho". Mas alertou, no entanto, que a ameaça de Rússia e França de vetar uma resolução de guerra significa que "as cartas foram jogadas".

Ele deixou aberta apenas uma alternativa capaz de evitar um ataque: "Saddam Hussein pode deixar o país se ele estiver interessado na paz." A deposição do ditador é exigência dos EUA e não da Resolução 1.441 do Conselho dos EUA. Fontes da Casa Branca disseram que o líder americano poderá se dirigir ao país pela televisão já hoje à noite, reforçando a expectativa de que um ataque começará ainda esta semana.

De acordo com fontes da Casa Branca, quando a diplomacia estiver esgotada, Washington porá suas forças em pé de guerra e Bush fará um discurso à nação na própria segunda-feira, emitindo um ultimato final a Saddam e dando tempo para que funcionários da ONU e de agências humanitárias deixem o Iraque.

___________

"O bandido"

"Quem nomeou os Estados Unidos como juízes injustos do mundo, para que possam dizer se este país tem uma arma de determinado alcance que deve ser destruída?", perguntou o presidente do Iraque, Saddam Hussein, depois do encontro entre os governantes americano, britânico e espanhol nos Açores.

Saddam qualificou de "grande mentira" a acusação de que seu país ainda possua armas proibidas. Ele advertiu que, se o Iraque for atacado, a guerra se espalhará pelo mundo.

"Quando o inimigo iniciar uma batalha em grande escala, deverá saber que, para nós, será uma batalha aberta; no céu, na terra, no mar, no mundo inteiro", disse o ditador, segundo a agência de notícias oficial Ina.

Reafirmando que o Iraque não possui armas de destruição em massa, Saddam ironizou: "Dêem-nos um pouco de tempo e os meios necessários e produziremos quaisquer armas que vocês quiserem, e então os convidaremos a vir aqui e destruí-las."

________________________________________________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco

últimas quentes