Terça-feira, 22 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

III Conferência Estadual dos Advogados começa com duras críticas ao governo federal

x

segunda-feira, 15 de agosto de 2005

III Conferência Estadual dos Advogados começa com duras críticas ao governo federal

A crise político-institucional que assola o país deu o tom dos discursos de abertura da III Conferência Estadual dos Advogados, no domingo à noite, no Estação Embratel Convention Center, em Curitiba. Duras críticas à postura do presidente Lula diante da crise foram feitas pelas autoridades que participaram da solenidade, entre elas o governador do estado, Roberto Requião e o presidente do Conselho Federal da OAB, Roberto Antonio Busato.

“Um partido político que já representou a esperança de muitos de nós, a minha própria esperança, desaparece, vendo a sua imagem praticamente deletada num processo extraordinário de corrupção”, disse o governador Roberto Requião. Ele classificou como “pífio” o último discurso do presidente Lula. O governador não se limitou a traçar as improbidades do governo federal, a quem classificou de “o genérico dos governos neoliberais”. Também criticou os rumos da política econômica, citando números da economia para caracterizar o que classifica como uma subserviência absoluta aos capitais do mundo.

O presidente nacional da OAB-PR, Roberto Busato, fez a palestra oficial de abertura da conferência. Para Busato, a crise no governo é gravíssima e reveste-se de contornos mais cruéis do que aquela que derrubou o presidente Fernando Collor de Mello. “Trata-se de uma corrupção sistematizada”, disse Busato. Para o presidente da OAB, a crise se assemelha a uma caixa de lenços de papel. Puxa-se um e outro se apresenta, sucessivamente, até o lenço final, que esvazia a caixa. A crise brasileira é essa caixa, mas não sabemos quantos lenços ainda restam nela”.

Busato afirmou que não há conspiração das elites no país e que isso só existe na cabeça do presidente Lula. “Ele é o maior responsável pela crise, que, com o seu comportamento autista e tíbio, desperdiçou todas as oportunidades de olhar nos olhos da nação”. O presidente da OAB acredita que há disposição da sociedade no sentido de preservar a governabilidade e evitar o impeachment, mas não descarta a medida como um instrumento constitucional. “Se tiver que ser usado o será, sem qualquer hesitação”, disse. Busato voltou a defender a convocação do Conselho da República como medida para tentar superar a crise.

O presidente da Seção Paraná da OAB, Manoel Antonio de Oliveira Franco, falou sobre a conjuntura política e enfatizou a importância da Reforma do Judiciário. Oliveira Franco defendeu as prerrogativas profissionais da classe, no que se refere à prisão especial e à inviolabilidade dos escritórios de advocacia, como essenciais na manutenção do estado democrático de direito. “Estamos convictos de que neste encontro sairão realçadas as premissas do respeito e da dignidade do advogado.”

A abertura da III Conferência Estadual contou com a presença de aproximadamente 700 advogados. Na oportunidade, foram divulgados os nomes dos vencedores do Concurso de Monografia José Lamartine Corrêa de Oliveira: Rodrigo Xavier Leonardo (1.º lugar), Viviane Muller Prado (2.º lugar) e Heloísa da Silva Krol (3.º lugar). A Conferência prossegue até a terça-feira, com uma série de painéis sobre a Reforma do Judiciário e conferências dos juristas Miguel Reale Júnior e Fábio Konder Comparato.

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes