Sábado, 17 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Entrevista

JB manda repórter do Estadão “chafurdar no lixo”

Jornalsta também foi chamado de "palhaço" por ministro.

terça-feira, 5 de março de 2013

O ministro JB, presidente do STF, chamou de “palhaço” e mandou “chafurdar no lixo” um repórter do Estadão ao ser abordado nesta terça-feira na saída da sessão do CNJ.

Acompanhe o áudio com a conversa que transcorreu entre o ministro e o repórter Felipe Recondo.

Os jornalistas esperavam ao final da sessão para ouvi-lo sobre as críticas que recebeu das associações de classe da magistratura acerca de comentários sobre a mentalidade dos juízes. Quando o primeiro repórter foi iniciar sua pergunta, deu-se o diálogo abaixo:

Presidente, como o senhor está vendo…”.

Não estou vendo nada”.

O repórter tentou fazer nova pergunta, mas novamente foi impedido.

Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre”.

Que é isso ministro, o que houve?”.

Estou pedindo, me deixe em paz. Já disse várias vezes ao senhor”.

"Mas eu tenho que fazer a pergunta, é meu trabalho."

Eu não tenho nada a lhe dizer, não quero nem saber do que o senhor está tratando”.

O assessor de imprensa do ministro tentou tirá-lo do lugar, pedindo para que o presidente seguisse em frente. E quando estava à porta do elevador, na frente dos jornalistas, chamou o repórter de “palhaço”.

Na última semana o presidente do STF foi criticado pelas associações de magistrados pelas críticas que fez aos juízes em entrevista concedida na semana passada a agências internacionais. Barbosa afirmou que os juízes brasileiros são pró status quo e pró impunidade. As associações argumentaram que as declarações do presidente do Supremo foram preconceituosas, generalistas, superficiais e desrespeitosas.

Acerca do ocorrido com o repórter, veja nota oficial emitida pelo STF.

__________

“Brasília, 05 de março de 2013

Em nome do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Joaquim Barbosa, peço desculpas aos profissionais de imprensa pelo episódio ocorrido hoje, quando após uma longa sessão do Conselho Nacional de Justiça, o presidente, tomado pelo cansaço e por fortes dores, respondeu de forma ríspida à abordagem feita por um repórter. Trata-se de episódio isolado que não condiz com o histórico de relacionamento do Ministro com a imprensa.

O ministro Joaquim reafirma sua crença no importante papel desempenhado pela imprensa em uma democracia. Seu apego à liberdade de opinião está expresso em seu permanente diálogo com profissionais dos mais diversos veículos. Seu respeito pelos profissionais de imprensa traduz-se em iniciativas como o diálogo que iniciará no próximo dia 07 de março, quando receberá em audiência o Sr. Carlos Lauria, representante do Comitê para Proteção de Jornalistas (CPJ), ONG com sede em Nova Iorque.

Wellington Geraldo Silva

Secretário de Comunicação Social – SCO

Supremo Tribunal Federal

leia mais

patrocínio

VIVO

últimas quentes