Terça-feira, 26 de março de 2019

ISSN 1983-392X

Servidores do Judiciário entram em greve pela aprovação do novo Plano de Cargos e Salários

x

sexta-feira, 25 de novembro de 2005

Servidores do Judiciário entram em greve pela aprovação do novo Plano de Cargos e Salários

Os servidores do Judiciário entraram ontem em greve pela aprovação do novo Plano de Cargos e Salários (PCS). A paralisação foi aprovada na quarta-feira, em assembléia na Praça dos Tribunais e continuará até que o CNJ aprecie a proposta e a remeta novamente à Câmara dos Deputados.

A próxima sessão do CNJ está programada para o dia 29, quando está programada uma grande manifestação, a partir das 9h, em frente ao STF. Durante a assembléia, os servidores reforçaram a idéia de que o momento de lutar pelo novo PCS é agora. A intenção dos servidores é pressionar para que o PL 5845/05 – referente ao PCS – volte a tramitar logo na Câmara dos Deputados, o que poderia possibilitar a implantação do PCS no início de 2006.

No STJ, a paralisação poderá afetar o atendimento em algumas áreas. A Biblioteca da Casa anunciou que, devido à greve dos servidores, estará atendendo em regime de plantão, com quadro reduzido de funcionários. Outras áreas também estão decidindo pela mobilização para a aprovação do PCS, mantendo apenas os serviços essenciais para que o Tribunal não pare o atendimento ao público.

O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União no DF (Sindjus-DF) divulgou uma "Carta aberta aos presidentes dos tribunais superiores e do TJDFT", na qual explicam os motivos da greve e fazem um apelo à sensibilidade de todos eles quanto à reivindicação.

Para o Sindijus-DF, a demora na aprovação do PCS no CNJ demonstra que o próprio Judiciário está atrasando a tramitação do projeto. No último dia 8, os conselheiros que integram o CNJ retiraram o PL da pauta da sessão extraordinária que tinham programado especificamente para analisar projetos oriundos do Judiciário que tramitam no Congresso Nacional. O CNJ tem sessões ordinárias a cada 15 dias, sempre às terças-feiras.

No documento, o sindicato dos servidores afirma que a suspensão da tramitação da proposta na Câmara, somada à demora da análise por parte do CNJ, "rompe os entendimentos a que haviam chegado com todos os presidentes dos tribunais, liderados pelo ministro Nelson Jobim, no sentido da aprovação do projeto do novo PCS até o final deste ano".

______________

Quadro de greve atualizado até dia 24/11, de acordo com o portal da Fenajufe 

Rio Grande do Sul – A categoria decidiu continuar a greve até o dia 29. A adesão está mais forte na Justiça do Trabalho, com algumas varas trabalhistas da capital totalmente paradas. Na Justiça Federal alguns setores do TRF e das varas federais estão parados. Algumas cidades do interior também entraram no movimento, como Novo Hamburgo e Livramento. De acordo com o sindicato, a paralisação está sendo construída no TRE. O Sintrajufe/RS está realizando assembléias diárias de avaliação do movimento grevista.

São Paulo – A greve é mais forte no TRE e na Justiça Federal da 1ª instância. Na Justiça do Trabalho, o sindicato ainda está construindo a greve, com arrastão nos locais de trabalho. Hoje, o Sintrajud/SP realizará ato público unificado, às 14h, em frente ao TRE, com assembléia de avaliação no final do dia. No interior, por enquanto a greve atinge os servidores da Justiça Federal de Santos.

Bahia - TRT: Greve desde ontem. Adesão é de 80%.

JF e TRE: Greve de 48 horas nos dias 28 e 29/11.

Distrito Federal – Ao longo de todo o dia, diversos piquetes foram organizados nos postos de trabalho e em frente aos tribunais. O movimento culminou com o ato público realizado à tarde, no STJ. Os servidores, em passeata, percorreram os corredores do tribunal pedindo aos ministros pela aprovação do seu plano de cargos e salários. Hoje, a concentração será no TJ/DF. Na segunda e na terça-feira, as atividades serão em frente ao STF, sendo que no dia 29, quando o CNJ apreciará o parecer sobre o PCS, a concentração será a partir das 9h.

Minas Gerais – Greve de 48 horas nos dias 28 e 29/11, em todo o Judiciário Federal.

Santa Catarina – Assembléia aprovou continuidade da greve no TRT. Na segunda-feira, dia 28, o Sintrajusc realizará assembléia na JF e no TRE para mobilizar a categoria a aderir à greve.

Rio de Janeiro – JF da Av. Rio Branco: Realizou greve ontem e a assembléia decidiu continuar até amanhã hoje, com avaliação no final do dia para decidir se continua no movimento grevista.

JF da Av. Venezuela: Foi realizada paralisação parcial de duas horas ontem e hoje acontecerá paralisação de 1 hora, com avaliação no final do dia para discutir o indicativo de novas paralisações na segunda e terça-feira [28 e 29/11].

TRF: Segunda–feira será realizada nova assembléia, com expectativa de adesão à greve.

Pernambuco – JT: Das 14 varas do prédio sede, 10 pararam totalmente e quatro fecharam parcialmente. No TRT, os servidores do protocolo, da informática e do setor de precatórios também pararam os trabalhos. Uma vara trabalhista do interior aderiu à greve. Algumas varas dos bairros da capital também fecharam totalmente. De acordo com o sindicato, a expectativa é de que as adesões cresçam hoje.

TRE: Assembléia de ontem aprovou paralisação de 24 horas na segunda-feira, dia 28/11, com avaliação no final do dia para decidir se continuam na greve.

Ceará/JE - O Sinje/CE realizou assembléia no dia 23/11, que aprovou paralisação de 1 hora (16 às 17h) no dia 28 e de 2 horas (16 às 18h) no dia 29.

___________________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco

últimas quentes