Domingo, 24 de março de 2019

ISSN 1983-392X

Programa patrocinado pela APAMAGIS - Associação Paulista de Magistrados já levou ao ar entrevistas que realizou com ministros do STF

quarta-feira, 30 de novembro de 2005


Programa patrocinado pela APAMAGIS - Associação Paulista de Magistrados já levou ao ar entrevistas que realizou com ministros do STF

No programa que é patrocinado pela APAMAGIS - Associação Paulista de Magistrados exibido pela Tv Comunitária e coordenado pelo juiz José Paulo Camargo Magano, Cacilda Decoussau Affonso Ferreira já levou ao ar, separadamente, as entrevistas que realizou com alguns ministros do STF (Carlos Ayres Britto e Marco Aurélio), o Ministro Márcio Thomás Bastos, da Justiça, a juíza Sylvia Steiner (do Tribunal Penal Internacional), a ministra Maria Cristina Irigoyen Peduzzi (do TST), o ministro Jorge Scartezzini (do STJ), assim como os Secretários de Segurança Pública do Rio de Janeiro (Marcelo Itagiba) e de São Paulo (Saulo de Castro Abreu Fo.).

Proximamente deverão ser exibidas as entrevistas, já gravadas, concedidas ao CONTRAPONTO pelo ministro Eros Grau, do STF, e pela ministra Eliana Calmon, do STJ.

Nessas entrevistas são tratadas, sem reservas, as maiores questões jurídicas da atualidade, inclusive os julgamentos que nos últimos tempos mobilizaram a atenção nacional. No entanto, o mais inédito e surpreendente é a exposição que, no "bate-papo" com a apresentadora, os entrevistados fazem de suas privacidades: famílias e amores, alegrias e decepções, preferências literárias e artísticas, relações com advogados e promotores, ideologias e crenças, vidas acadêmicas e emoções judiciárias.

Alguns chegam a declamar e a cantar, como o ministro Ayres Britto. Outros, como o ministro Marco Aurélio, contam sobre a paixão pelo motociclismo. Eliana Calmon, por exemplo, falou sobre os preconceitos que na carreira sofreu por sua condição de mulher,além de discorrer sobre os seus dons culinários. Jorge Scartezzini revelou as suas qualidades de famoso seresteiro na Faculdade de Direito, se emocionou ao lembrar o operário Manoel Fiel Filho, torturado até a morte no DOI-CODI, e recordou os seus encontros estudantis com Fidel Castro, Nelson Hungria e Pontes de Miranda. Já os Secretários de Segurança de São Paulo e do Rio de Janeiro registraram as suas experiências pessoais com a violência urbana e as suas reações aos assaltos que sofreram em suas casas.

No próximo programa (quinta-feira, Tv Comunitária, às 22:30hs), será a vez do ministro Eros Grau discorrer sobre a sua experiência no STF, o que no íntimo sentiu diante das críticas recebidas ao conceder liminar para o deputado José Dirceu, a relação com sua queridíssima cidade mineira de Tiradentes, os vira-latas que recolhe pelas ruas e a sua vivência na Sorbonne. Eros Grau confidenciou ainda que, dando uma pausa na produção jurídica, brevemente estará lançando o seu primeiro romance, já no prelo e com título.

A grande novidade é que O CONTRAPONTO passou a ser também exibido, pela TV JUSTIÇA, em rede nacional, todas as quartas-feiras, às 20h30 (com reprises aos domingos, às 10h), e contará, em sua estréia, nesta semana, com a presença do juiz Francisco Rezek, da Corte Internacional de Justiça.
__________








__________

patrocínio

Bradesco

últimas quentes