Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Crime

Condenados réus pela morte do ministro José Guilherme Villela, do TSE

Leonardo Campos Alves e Francisco Mairlon Aguiar foram sentenciados pelo Tribunal do Júri de Brasília/DF a penas de 60 e 55 anos de prisão, respetivamente, em regime fechado.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Dois homens foram condenados nesta sexta-feira, 13, pela morte do ministro aposentado do TSE José Guilherme Villela, de sua esposa Maria Carvalho Villela e da empregada da família Francisca Nascimento da Silva. As penas de ambos somam 115 anos de prisão.

Após quatro dias de julgamento, Leonardo Campos Alves e Francisco Mairlon Aguiar foram sentenciados pelo Tribunal do Júri de Brasília/DF a penas de 60 e 55 anos de prisão, respetivamente, por homicídio qualificado e furto qualificado em regime fechado.

Em sentença proferida em maio deste ano, outras duas pessoas também foram pronunciadas pelo crime. Os outros dois réus são Adriana Villela, filha do casal e apontada como mandante, e Paulo Cardoso Santana. Ambos aguardam análise de recursos e ainda não há previsão para o julgamento.

Crime

O ministro, a esposa e funcionária do casal foram mortos por meio de instrumentos perfurocortantes, de acordo com a denúncia. O crime aconteceu em 28/8/09, no apartamento da família, em Brasília.

Ainda conforme documento da delegada que denunciou o caso, o crime teve como motivação conflitos de Adriana com a família por assuntos financeiros. Na data do crime, teriam sido subtraídos joias, de propriedade da esposa de Villela, e U$ 70 mil do casal.

leia mais

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes